Os Segredos que Vão Mudar sua Vida Resumo - Dale Carnegie

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

3127 leituras ·  4.7 avaliação média ·  891 avaliações

Os Segredos que Vão Mudar sua Vida

Os Segredos que Vão Mudar sua Vida Resumo
Autoajuda & Motivação

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 978-8576847656

Também disponível em audiobook

Resumo

Unindo os conhecimentos de 3 grandes livros: Pense e Enriqueça, de Napoleon Hill; O Poder do Subconsciente, de Joseph Murphy; Como Falar em Público e Influenciar Pessoas no Mundo dos Negócios, de Dale Carnegie, o presente microbook tem a nata dos melhores e mais marcantes livros da primeira metade do século XX.

Procurando uma obra que lhe faça enxergar a vida de uma forma diferente? Ideal para ser lido em casa, em momentos de descanso, o presente microbook pode te ajudar bastante. 

O primeiro autor é Dale Canegie, um escritor e orador americano, que chegou a ser conselheiro de líderes mundiais; Joseph Murphy, o segundo escritor, foi um dos mais famosos autores do movimento do Novo Pensamento, tendo trazido ao nosso mundo mais de 30 livros de autoajuda, muitos deles bestsellers. Por fim, temos Napoleon Hill, um escritor influente na área de realização pessoal, assessor de diversos presidentes dos EUA. Aprenda com esses mestres nos próximos 12 minutos.

Pense e Enriqueça

Ainda jovem, Napoleon Hill escutou do próprio Andrew Carnegie, um magnata do aço, o Grande Segredo da riqueza. Contudo, Carnegie deixou claro que a essência do Grande Segredo não estava nas palavras que acabara de proferir, pois ela não consegue ser expressa diretamente; deve, ao invés disso, ser deduzida por cada um.

Então incubiu o jovem Napoleon com a seguinte tarefa: mudar a visão das pessoas de que os ricos só são ricos se tirarem proveito dos outros. Para isso, Napoleon Hill passou 25 anos pesquisando, entrando em contato com as grandes mentes de sua época e entrevistando os detentores das grandes fortunas. Por fim, sintetizou seus aprendizados em um livro: Pense e Enriqueça.

Pratique os 6 passos da riqueza

Todo o livro gira em torno de seis passos, descritos objetivamente logo em seu início. Contudo, o Grande Segredo de Carnegie não está ali; pelo menos não de maneira explícita. Os passos apenas apontam uma direção, mas o verdadeiro significado está nas entrelinhas, difícil de ser colocado em palavras.

Por esse motivo, o restante do livro destina-se a esmiuçar esses passos, teorizando a respeito da postura mental que deve ser adotada em sua interpretação. Mas antes de chegar lá, conheça-os:

1- Determine a valor exato que deseja ter.

2- Determine o que dar em troca do valor (nada vem a troco de nada).

3- Estabeleça uma data para ter o dinheiro.

4- Crie um plano e comece a executá-lo, preparado ou não.

5- Faça uma declaração por escrito dos itens anteriores.

6- Leia sua declaração duas vezes por dia, ao acordar e antes de dormir. Veja, sinta e acredite em si mesmo.

Apesar desses passos traduzirem o poder da mente, não há nada de místico nem em sua execução, nem em sua formulação. Executá-los com base em superstição é a primeira forma de não conseguir o que se quer. O poder da mente não está na crença desmedida em um rito simbólico, mas na fé em sua capacidade de executar muito além do que os passos descrevem.

Adquira um desejo ardente

O ponto de partida é definir um propósito. O que você quer? E por que você quer isso?

Pense bem, trabalhe no “por quê” com afinco. Querer dinheiro, todos querem; só que querer não basta. É preciso um desejo ardente pelo dinheiro, um desejo tão forte que servirá de combustível para fazê-lo seguir em frente independentemente de qualquer adversidade. E esse combustível só se obtém quando o motivo de você estar fazendo o que está fazendo está completamente claro.

O desejo não está relacionado apenas com o “querer”, mas também com o que você definiu para “dar em troca”. Você não age sobre o “querer”, você age na construção do que está oferecendo. Isso significa que a ardência não deve vir só do impulso pelo dinheiro, mas da execução em si: você deve encontrar a sua vocação.

O problema é que dificilmente seus planos vão dar certo de primeira. E sem a perseverança, fruto principal do desejo ardente, você desistirá logo que a adversidade se mostrar. Lembre-se que muitas vezes o sucesso está a um passo de uma derrota; muitas vezes o ensinamento transmitido por ela é o necessário para que você chegue lá. Todo o fracasso carrega consigo a semente de um sucesso equivalente.

Outra característica fundamental do desejo ardente é a consciência do sucesso. A maioria vive consciente do fracasso, evocando pensamentos de escassez, miséria e derrota. No entanto, ao adquirir um desejo ardente, você muda a sua mentalidade para a de abundância e ganha esperança de que sua ideia louca pode realmente dar certo ao final.

Permita-se ser envolvido pela fé

A transmutação do pensamento em algo tangível, do desejo em riqueza, só ocorre sob os estados de espírito corretos. Porém, mais uma vez, não se deixe levar pelas palavras e ache que há algo de místico ou supersticioso nessa transmutação. Nada ocorre sem uma ação clara, portanto, ao partir do desejo, você precisa transformá-lo em um plano.

O melhor dos planos pode demorar a lhe aparecer. Mas isso não deve impedi-lo de começar. O ponto de virada entre ter o impulso do desejo e começar a executar algo está na fé cultivada em suas ações. Fé é uma palavra que pode evocar interpretações diversas dependendo de quem está lendo, mas aqui ela possui uma definição única. Para entendê-la, precisamos entender o seu surgimento.

Após adquirir um desejo ardente, você se torna consciente do sucesso. Essa crença é enviada ao seu subconsciente e, em resposta, ele lhe oferece o impulso de ação em forma de fé. Fé é, portanto, um estado de espírito propício à ação. Afinal, você faria algo se tivesse certeza que daria errado?

No entanto, por mais sincero que seja o seu desejo ardente, pode ser que o seu subconsciente não esteja preparado para deixá-lo no estado de espírito correto. Esse é um ponto delicado.

Entenda o subconsciente

O seu funcionamento é simples: pensamento em conjunto com emoção atrai pensamentos similares.

O pensamento em si é fraco, pois precisa de uma emoção apropriada para ganhar força. É como a voz transmitida por ondas de rádio: para que ela consiga vencer grandes distâncias, precisa ser potencializada, envelopada dentro uma banda de frequência maior.

O subconsciente é o emissor dessas ondas, porém ele só emite as que já vêm potencializadas. Em síntese, o que ele faz é classificar e registrar os impulsos de pensamento originados pelos cinco sentidos. Porém essa classificação é posterior à interpretação do que foi captado, e é sobre essa interpretação que as emoções agem.

Pense nelas como se fossem um filtro. Quando você está raiva percebe o ambiente diferente de quando está feliz, certo? Pois então, é somente o resultado desse filtro que chega ao subconsciente. E quanto mais intensa for a sua emoção, mais forte esse resultado chega e mais forte ele é emitido.

O subconsciente é a ligação entre sua mente finita — seus pensamentos conscientes — e a Inteligência Infinita, o grande reservatório de tudo o que já foi e será criado. É de lá que suas respostas vêm e, portanto, suas ideias, seus planos e sua fé. E a resposta adquirida, o impulso que irá levá-lo a qualquer ação, é sempre equivalente ao que foi emitido.

Então se você vive sob influência maior de emoções negativas, elas atrairão mais emoções negativas. Daí o início se torna mais difícil, pois é preciso ganhar embalo até que as emoções positivas comecem a se cultivar.

Para superar esse problema você deve dominar a autossugestão.

Influencie o subconsciente pela autossugestão

Existem sete emoções negativas e sete emoções positivas principais. As negativas são: medo, ciúme, ódio, vingança, ganância, superstição e raiva. E as positivas: desejo, fé, amor, sexo, entusiasmo, romance e esperança. As outras emoções são consequências dessas, ou são de menor influência.

O problema é que as emoções negativas se implantam sozinhas enquanto as positivas precisam ser introduzidas ao pensamento. E essa introdução consciente precisa ser feita pela autossugestão.

Sob uma visão mais ampla, a autossugestão é a comunicação entre o consciente e subconsciente. Nada passa do primeiro ao segundo sem ajuda dela. Se você perceber algo pelos cinco sentidos que seja irrelevante, isto é, de importância duvidosa e não suportado por uma emoção forte, essa informação será descartada. No entanto, se você acreditar no que está percebendo, reforçar sua importância com uma emoção e repetir o processo mais de uma vez, enfatiza a autossugestão.

Note que você tem o domínio de tudo o que chega ao seu subconsciente, pois para chegar lá é preciso passar pela autossugestão. Esse é um processo espontâneo e que é impossível de ser desligado. O que acontece na maioria das vezes, entretanto, é que a pessoa não o exerce. Você precisa assumir a responsabilidade por aquilo que chega aos seus sentidos e estar presente para eles. Só assim você conseguirá estar no controle.

Se você quiser introduzir as emoções positivas ao seu pensamento, terá que estar presente para os estímulos externos que as causam e para aqueles que as perturbam. Uma maneira de começar a prestar atenção no processo de autossugestão é praticando a Fórmula da Autoconfiança:

1- Prometa executar uma ação.

2- Mentalize 30 minutos por dia a pessoa em quem você quer se tornar.

3- Dedique 10 minutos por dia para exigir de si a autoconfiança.

4- Nunca pare de tentar alcançar seu principal objetivo.

5- Construa sua riqueza na verdade e na justiça, senão ela não durará.

Cada item leva a sua atenção para algo positivo. Enquanto estiver executando-os, esteja atento para seus sentimentos e o processo que ocorre em seu interior. No início pode ser que nenhuma emoção forte reforce esses passos, assim como não reforçam os seis passos da riqueza descritos anteriormente. Mas repita o processo; a repetição é a chave para treinar a mente. E tente perceber a autossugestão trabalhando.

Todavia, isso pode parecer estranho: o primeiro passo da autoconfiança é executar uma ação — relacionada, é claro, ao seu objetivo principal. Só que você não deveria ter fé antes de executá-la? E para ter fé você não precisaria já ter dominado a autossugestão?

Não necessariamente. Precisamos de algo que sirva de impulso inicial. Nem todos os planos e, por conseguinte, nem todas as ações precisam vir da Inteligência Infinita.

Formule o plano e execute

Um plano é formulado por meio da sua imaginação. As pessoas podem criar qualquer coisa que sejam capazes de imaginar. Esse é o grande princípio da criação e a sua maior limitante. Há dois tipos:

  • Imaginação Sintética

responsável por organizar antigos conceitos, ideias e planos em novas combinações.

  • Imaginação Criativa

responsável por receber as respostas da Inteligência Infinita.

Por mais que a imaginação criativa seja o grande alvo, não há como atingi-la apenas com o desejo. Quando o subconsciente envia um sinal, é ela que recebe a resposta. Porém, depender apenas dela tornaria quase impossível dar um passo inicial, pois ficaríamos presos em um paradoxo: seria preciso fé para ter fé.

Portanto, foque suas ações na imaginação sintética. É ela que está sob o seu total controle. Use o seu desejo ardente para explorá-la a fundo, para expandi-la, para adquirir novos conhecimentos e traçar planos cada vez mais ousados. E, principalmente, comece a executá-los. Aplique a Fórmula da Autoconfiança, entenda a autossugestão e introduza as emoções positivas. Aí sim receba a fé e seja agraciado com a imaginação criativa.

Esteja atento para os conhecimentos necessários

Para explorar a imaginação sintética, a pedra fundamental de qualquer plano, é preciso ir atrás de conhecimentos especializados. Porém não se deixe enganar: conhecimento não é poder, é apenas poder em potencial.

Aqui é onde reside o erro das instituições de ensino: elas não conseguem ensinar como organizar e utilizar o conhecimento depois de adquirido. Sem isso, o conhecimento é inútil, incapaz de gerar riqueza. Do que adianta um sistema educacional se ele não ensina o mais importante?

Seguindo esse raciocínio, pessoas educadas não são necessariamente as que possuem maior conhecimento. Mas aquelas que desenvolveram as capacidades para conseguir qualquer coisa que queiram sem violar o direito dos outros.

Por isso é preciso estar sempre atento para não correr atrás do conhecimento apenas por tê-lo; ele jamais deve ser o fim. Na verdade, saber onde encontrá-lo é muito mais importante do que tê-lo. Só que antes de partir em sua busca, certifique-se de que o objetivo da aquisição está bem claro em sua mente. O que você fará quando possuir o conhecimento?

Tendo isso definido, vá atrás de uma de suas fontes. São elas: a sua própria experiência e formação, a experiência e formação de terceiros, faculdades e universidades, cursos de qualificação especial, bibliotecas públicas e, é claro, a internet.

Muitas vezes, no entanto, ir atrás de alguém que já saiba o que você precisa e que possa fazê-lo por você é mais interessante, pois poupa tempo. Da mesma forma, você possui conhecimentos que outras pessoas não têm, e pode ajudá-las a fazer o que precisam. Assim, unir-se com pessoas de aptidões distintas em busca de um mesmo propósito torna-se poderoso.

Faça parte de um grupo de mente mestra

Poder pode ser definido como um conhecimento organizado e direcionado de forma inteligente. Ou seja, não basta ter o conhecimento, é necessário aplicá-lo. Seguindo o raciocínio, poder também poderia ser definido como um esforço concentrado para transformar desejo em riqueza, a capacidade de criar algo físico partindo apenas de uma ideia.

Só que é bem provável que para essa transformação ocorrer, você precise de vários tipos de conhecimento e manejá-los sozinho pode ser um trabalho árduo demais. Daí a importância de fazer parte de um grupo de Mente Mestra.

Mente Mestra é a coordenação harmoniosa do poder entre duas ou mais pessoas. O grupo, então, trabalha em prol de uma mesma transformação. Quando unidos, suas mentes criam uma energia potencial comparável a uma mente adicional e esse excesso é, então, distribuído a todos igualmente. Todos ganham com a cooperação.

A primeira decisão a ser feita quando se está à procura de um grupo é se você será o líder ou um seguidor. Escolha o papel que mais encaixe com sua personalidade e assuma-o. Se você for um seguidor, procure por um grupo já existente; ao entrar, seja esperto e aprenda com o líder, cresça com ele, coopere e promova a harmonia. Para fazer parte de um grupo, siga esses passos:

1- Decida exatamente o tipo de emprego que deseja.

2- Escolha a empresa ou o indivíduo para quem vai trabalhar.

3- Estude o empregador: política, relações e chance de ascensão.

4- Descubra o que oferecer.

5- Esqueça a ideia de obter um emprego aos moldes tradicionais e concentre-se no que oferecer.

6- Peça a um profissional que ajude você a colocar o plano pensado no papel.

7- Apresente o plano para a pessoa com autoridade apropriada.

Por outro lado, se você está pensando em liderar, assuma a responsabilidade. A liderança exige amadurecimento, autocontrole, firmeza, empatia e fazer mais do que espera que os outros façam por você. Para ser um líder, siga essas etapas:

1- Alie-se a um grupo de pessoas para criar e realizar o plano.

2- Decida os benefícios que cada integrante terá em troca de sua cooperação.

3- Marque reuniões pelo menos duas vezes por semana até que o plano esteja bem lapidado.

4- Mantenha a perfeita harmonia entre você e os integrantes.

O poder do subconsciente

Enquanto Pense e Enriqueça lida com a mentalidade para que você consiga gerar riqueza, O Poder do Subconsciente irá aplicar essa mesma mentalidade para todos os aspectos da vida. Embora o “Grande Segredo” para ter o que queira seja o poder do subconsciente, não encare isso com superstição. Não se trata de acreditar com força até que as coisas aconteçam, pois os pensamentos não substituem a ação. O máximo que podem fazer é levá-lo a agir.

A analogia é simples: assim como um imã magnetizado pode levantar muito mais do que o seu peso em ferro, uma pessoa magnetizada pode realizar muito mais do que acha que seja capaz. E esse magnetismo, essa força de criação, só se consegue com autoconfiança e fé. Mesmo discurso de Napoleon Hill.

Aprenda outras técnicas de autossugestão

Nada chega ao subconsciente sem autorização do consciente, lembra? Só que para essa frase fazer sentido, você precisa sentir o processo de sugestão. Quando alguém lhe diz algo, você forma uma imagem mental do que foi dito e essa imagem é confrontada com suas crenças, valores e opiniões. Desse confronto nasce uma interpretação e, então, uma resposta.

Imagine que uma aeromoça diz para um passageiro que ele pode ficar enjoado durante o voo. Caso o passageiro se considere uma pessoa que não fica enjoada com facilidade, ele apenas descartará o aviso. No entanto, se ele já ficou enjoado antes, poderá carregar o aviso na cabeça e pensar no enjoo com frequência durante o voo. Em um caso a sugestão não entrou no subconsciente, no outro entrou.

Esteja aberto e atento para o que você aceita como verdadeiro. Ademais, você pode trabalhar com técnicas de autossugestão para treinar o seu consciente, ensinando-o o que aceitar como verdadeiro.

  • Técnica da Visualização

qualquer que seja seu objetivo, imagine uma situação em que ele seja atendido. Veja, sinta e transpire o resultado desejado. Murphy, por exemplo, usava esta técnica antes de subir nos palcos; pensava em cada detalhe da apresentação.

  • Técnica do Sono

o maior inimigo da autossugestão são as crenças contrárias que temos. Você que falar em público, mas todas as suas experiências dizem que você não é bom nisso. Em casos assim, relaxe o corpo e entre em um estado sonolento. Quanto mais sonolento você estiver, menos o seu consciente estará agindo e, portanto, menos barreiras estarão levantadas contra a autossugestão. Então repita de 5 a 10 minutos o que você quer.

  • Técnica do Obrigado

agradeça o seu progresso todos os dias e, principalmente, agradeça de forma sincera como se você já tivesse conseguido o que quer. Isso força você a imaginar a sua vida depois de ter o seu objetivo alcançado e renova os seus votos para chegar lá.

Mantenha o desejo e a imaginação sempre congruentes

Querer é fácil e imaginar o que se quer também. Porém esteja atento para não restringir esses pensamentos de criação a alguns minutos por dia, como se fosse um exercício físico que você deve praticar. Não adianta imaginar uma situação ideal, se logo em seguida você começar a enumerar todas as causas que o levarão a fracassar.

Manter a congruência entre aquilo que você quer e aquilo que você pensa constantemente é um dos maiores problemas. Você não deve realizar as técnicas de autossugestão esperando por um esforço grande, como se fosse haver uma luta feroz entre os seus pensamentos. Se há esforço mental, se você acha que precisa acreditar com força no que quer para conseguir, então está fazendo errado.

Força mental pressupõe a existência de uma oposição a ela. E a oposição só pode vir de suas crenças, já consolidadas no subconsciente. Talvez você esteja querendo dar um passo grande demais se comparado às barreiras mentais que você passou anos erguendo. Trabalhe primeiro com elas: recrie-se e amadureça.

Recupere a saúde

O subconsciente controla todas as funções do seu corpo: o batimento cardíaco, a dilatação das pupilas, a digestão dos alimentos, o crescimento das unhas e dos pelos, a renovação celular… Sua função é preservar a vida e, portanto, ele busca restaurar a saúde sempre que possível.

Mas lembre-se que ele está em constante funcionamento e sempre resulta em uma resposta ao consciente. Se o consciente passa muito tempo em emoções negativas, o subconsciente trabalha em maneiras de preservá-las. O consciente ocupa-o com algo ao invés de deixá-lo restaurar o corpo. Além disso, seja qual for a emoção negativa, é provável que uma queda de saúde a intensifique. É um ciclo que se alimenta.

Por outro lado, se você vive com mais emoções positivas, você pede por mais emoções positivas. E o subconsciente sabe que precisa fazer um bom trabalho com sua saúde para que elas sejam suportadas. Quando não há forças negativas, tudo tende ao equilíbrio. E o equilíbrio é a harmonia, a paz, a saúde e a abundância; é sob esses aspectos que a cura chega.

Porém não se preocupe com isso. Seu foco deve estar no consciente. Ocupe-se com a expectativa do melhor e viva na certeza de trabalhar por coisas agradáveis, verdadeiras e justas.

Receba orientação do subconsciente

Durante o sono, o corpo e o subconsciente não descansam. É apenas o consciente que perde força e fica inativo. Isso permite que o subconsciente trabalhe sem interrupção na regeneração do corpo e na busca por respostas. Por isso dormir é tão importante; e dormir com qualidade.

Todas as pessoas precisam de pelo menos seis horas de sono por dia; menos do que isso e você está se enganando. Mas para que o sono atinja seu propósito, é preciso dormir em paz. Não deixe que seus últimos pensamentos evoquem emoções negativas, senão é nelas que o subconsciente focará e pouco ele poderá fazer em suas horas de liberdade.

Ante de dormir, acalme o corpo e relaxe. Se quiser uma resposta específica, pense na pergunta quando sentir os primeiros sinais de sonolência. Deixe que o seu subconsciente trabalhe nela e pode ser que a resposta lhe surja pela manhã.

No entanto, ao acordar, não puxe nenhum pensamento negativo. Acorde com a mesma paz com que se deitou. Permita-se deixar os pensamentos livres, sem preocupações. Só assim você perceberá a resposta, caso ela surja.

Encontre relacionamentos gratificantes

Preste atenção nos pensamentos que você nutre sobre das pessoas com quem convive. Eles estão relacionados à inveja, ciúme, raiva e ódio ou à harmonia, paz e amor? Não guarde rancor, não pense mal de ninguém, não sustente um relacionamento pernicioso, não discuta. Aquilo que você alimenta é aquilo que você obtém.

No mais, há alguns conselhos interessantes de se manter em mente:

- Pense nos outros da mesma forma que gostaria que pensassem em você.

- Sinta pelos outros o mesmo que gostaria que sentissem por você.

- Não julgue e não serás julgado. A maneira como você avalia as ações de alguém representa a mesma maneira como você avalia as próprias ações. Ou seja, quanto maior o julgamento que você faz dos outros, maior o julgamento que faz sobre si.

- Esteja atento para a maneira como você reage às notícias e aos outros. Se você ficar com raiva de uma notícia, poderá incutir raiva em quem estiver ao seu redor e isso é o que receberá de volta.

- O que uma pessoa diz não pode perturbar a outra, a não ser que a segunda o permita. A sugestão precisa passar pelo crivo do consciente do receptor, portanto, torne-se emocionalmente maduro e deixe de ser afetado.

- Perdoe os imaturos. Da mesma forma que você não culpa um cego por ser cego, não culpe um imaturo por ser emocionalmente doente. Porém isso não significa ceder à vontade deles; permaneça com sua decisão e a comunique gentilmente.

- Perdoe a si mesmo. É preciso perdoar suas falhas para alcançar o amadurecimento, a paz e a harmonia. Se você queimar um dedo, a natureza o perdoa e regenera o tecido. Da mesma forma, perdoe-se e regenere-se emocionalmente.

Desenvolva hábitos positivos

Para adquirir um novo hábito, use as técnicas de autossugestão. Além delas, você também pode tentar o seguinte:

1. Acalme e relaxe o corpo.

2. Crie uma frase relacionada ao hábito e repita. Se você quiser começar a correr, a frase pode ser tão simples como “estou correndo, estou correndo”.

3. Imagine, antes de dormir, um amigo lhe dando os parabéns por ter conseguido adquirir o hábito.

Um bom hábito para se adquirir é o de colocar a si mesmo em um estado genuíno de felicidade. Abra mão da ideia de que você só será feliz quando tiver alguma coisa. A felicidade nunca está no fim de um caminho; se você não a encontrar no percurso, jamais a terá. O feliz é aquele que produz e pratica o que há de melhor dentro de si, o resultado de uma mente tranquila.

O comprometimento com a felicidade precisa começar ao acordar. Respire fundo, perdoe, sinta a paz e a harmonia e visualize a felicidade em todas as ações que planeja executar naquele dia. Não se trata de criar um sentimento falso, não espere que a felicidade estará abraçando-o todos os segundos do dia e nem finja que ela está lá quando não estiver. Mas, ao acordar, imagine o seu dia como se ela fosse permanente.

Os passos acima e as técnicas de autossugestão podem ser usados igualmente para perder um mau hábito. Seja parar de fumar ou comer doces em excesso. Nesse caso, imagine o seu amigo dando os parabéns por você finalmente ter parado de fazer o que fazia.

Como Falar em Público e Influenciar Pessoas

Dificilmente você conseguirá alcançar seus objetivos sozinho. Relacionar-se com outras pessoas é uma parte fundamental do caminho e, portanto, é importante saber como tirar o máximo proveito dessas relações, nutrindo-as de modo que haja uma cooperação mútua. O segredo para influenciar os outros é exatamente este: desenvolver amizades recíprocas.

Veja as regras de ouro de Carnegie

1. Não critique, não condene, não se queixe.

2. Mostre apreço de modo honesto e sincero.

3. Desperte forte desejo nos demais.

4. Torne-se verdadeiramente interessado na outra pessoa.

5. Sorria.

6. Lembre-se que o nome da uma pessoa é o som mais doce em qualquer idioma.

7. Seja um bom ouvinte. Incentive os outros a falarem sobre si mesmos.

8. Fale de coisas que interessam à outra pessoa.

9. Faça a outra pessoa sentir-se importante, e faça-o com sinceridade.

Conquiste as pessoas com sua maneira de pensar

1. A única maneira de vencer uma discussão é evitá-la.

2. Respeite a opinião dos outros. Nunca diga a uma pessoa que ela está errada.

3. Se você estiver errado, reconheça o próprio erro rápida e energicamente.

4. Comece de maneira amigável.

5. Leve a outra pessoa a dizer “sim” imediatamente.

6. Deixe a outra pessoa falar a maior parte da conversa.

7. Deixe que a outra pessoa sinta que a ideia é dela.

8. Procure honestamente ver as questões do ponto de vista da outra pessoa.

9. Seja receptivo às ideias e aos anseios da outra pessoa.

10. Apele para os motivos mais nobres.

11. Dramatize suas ideias.

12. Lance um desafio.

Chegue sempre à frente

Para estar à frente você não pode se limitar à educação tradicional. Se quiser alcançar o emprego dos sonhos ou empreender, você precisa se destacar. E só conseguirá fazer isso se for atrás do que poucos estão indo. A melhor maneira de complementar a educação é convivendo com outras pessoas; interagindo e prestando atenção nelas, estudando-as, procurando entendê-las genuinamente.

E já que você não está preparado logo que termina a faculdade, não deve se frustrar com seus erros. Há muito a aprender ainda. Na verdade, considere um erro apenas quando cometê-lo uma segunda vez. Então aprenda com eles. Aprenda com tudo. Esteja sempre aprendendo.

Entretanto, conhecimento não é tudo. Uma pesquisa feita pela instituição de Carnegie revelou que apenas 15% do sucesso de alguém é determinado pelo conhecimento. Os outros 85% dependem da personalidade. Entenda personalidade como o nível de seus atos que interessam e sirvam às outras pessoas. Ou seja, ter uma boa personalidade significa gerar valor aos outros.

Desenvolva uma boa personalidade

Assim como qualquer outra habilidade, isso pode e deve ser adquirido. Para desenvolvê-la, considere:

1. Praticar um esporte físico e um jogo de inteligência, como xadrez ou videogame, uma vez por semana. Eles desenvolvem o espírito esportivo e o altruísmo.

2. Faça algo por outras pessoas. Participe de um projeto voluntário, dê aula de graça aos domingos ou faça uma campanha para arrecadar agasalhos. Doar-se é gerar valor aos outros e, portanto, é desenvolver uma boa personalidade.

3. Tenha interesse pelo próprio trabalho. Aprender a fazê-lo de forma excepcional é fazê-lo com entusiasmo e isso influencia sua personalidade. Ademais, entregar-se ao trabalho impede você de fechar-se em seus próprios problemas. Pense no resultado e em como outras pessoas irão se beneficiar dele.

Desenvolva coragem e autoconfiança pela oratória

1. Comece com um desejo ardente. Saber a razão por trás de sua oratória e em como ela se encaixa em seu grande objetivo é o que lhe oferece motivação para seguir em frente e superar medos e anseios. Inclusive o de falar em público.

2. Conheça profundamente o assunto sobre o qual vai falar. E não fale apenas por falar; fale quando realmente tiver algo a dizer e saber exatamente do que se trata.

3. Aja com confiança. Antes da apresentação respire fundo por 30 segundos. Fique ereto, cabeça erguida, e olhe nos olhos de sua plateia. Imagine que eles lhe devam dinheiro e estão ali para lhe implorar por uma extensão de prazo.

4. Pratique. O mais importante dos passos, pois não importa quão bem você domine os outros, é somente falando que você aprende a falar.

Prepare a palestra

Durante a preparação, considere os seguintes conselhos:

- Não cubra muita coisa em pouco tempo. Escolha 1 ou 2 tópicos em um discurso breve.

- Determine o assunto com pelo menos 1 semana de antecedência. Então durma com ele, puxe-o nas conversas com os amigos, faça-se todas as perguntas possíveis.

- Não transforme o seu discurso em uma pregação arbitrária, coloque ilustrações e exemplos.

- Coloque-se no lugar do seu público e fale o que seja interessante para ele e não para você.

- Reúna uma centena de pensamentos sobre o tema e descarte noventa. Preze a diversidade enquanto estiver preparando o discurso, pesquise a fundo e não queira reinventar a roda. Depois fique com o mais importante.

- Faça as anotações para a preparação e o treinamento, porém guarde-as no bolso na apresentação. Use-as somente em caso de emergência, só para prevenir uma aniquilação total.

- Não decore o discurso literal, palavra por palavra. Isso só fará você soar pouco natural.

- Fale com entusiasmo, com o mesmo entusiasmo com o qual você deve ter feito a preparação.

- Evite palavras evasivas como “me parece que” ou “na minha opinião”. Isso enfraquece o discurso.

- Não seja positivo demais, nem use muitas exclamações. Quanto mais inteligente for sua plateia, menos suscetível ela será a frases enérgicas.

Realize a palestra

Para complementar a boa preparação, há uma dica que sintetiza qualquer outra a ser dada na hora da apresentação: seja natural. Quanto mais natural você for, menos atenção as pessoas darão a você e mais atenção darão à mensagem. Esse é o propósito de um bom orador.

Se sua fala e seus gestos estiverem soando pouco natural, finja que está falando especificamente para uma das pessoas ao fundo da plateia. Fale com ela como se estivessem conversando a sós, imagine-a fazendo perguntas e as responda.

Dito isso, preste atenção a alguns pontos:

- Fale com entusiasmo e sinceridade. Deixe os sentimentos envolverem seu discurso e apresente-se com o coração, essa é a melhor forma de se mostrar autêntico.

- Abra espaço para a sua personalidade.

- Não esteja cansado, portanto, planeje bem as horas anteriores ao discurso. Não postergue a preparação. Durma direito e coma corretamente.

- Não negligencie sua aparência. Parecer desleixado diminuirá o respeito e a credibilidade.

- Mantenha uma postura correta durante todo a apresentação.

- Sorria com frequência.

- Não faça movimentos repetitivos como girar os polegares, esfregar uma mão na outra ou brincar com algum objeto. Isso apenas distrai a plateia.

Notas Finais

O poder da mente pode ser visto como uma história de motivação barata ou como um instrumento de feitos sobrenaturais. No entanto, o que esses três livros tentam mostrar é que ele não é nem uma coisa, nem outra. Tanto acreditar que ele é um mito, quanto acreditar que ele literalmente move montanhas são maneiras de se tornar incapaz de utilizá-lo ao seu favor.

Entretanto, isso não significa que ele não seja capaz de operar milagres. O subconsciente pode não conseguir tornar você um milionário da noite para o dia, mas certamente pode fazê-lo com o tempo. Isso o torna menos milagroso? Einstein já dizia que só há duas maneiras de viver a vida: a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem e a segunda é vivê-la como se tudo fosse milagre.

Estar atento para sua interação com o mundo sob qualquer forma é estar presente para o que entra no seu subconsciente. Dessa forma você o treina para trabalhar em prol de seus objetivos. Lembre-se: quer você use o poder de forma genuína, quer você o despreze, ele estará sempre em funcionamento.

Dica do 12'

A melhor maneira de prestar atenção às sugestões que influenciam você a cada instante é por meio da meditação. Ela o deixará presente para o seu estado de espírito e sempre atento às mudanças emocionais. Portanto, é uma excelente forma de treinar o subconsciente ativamente. Para saber mais sobre a meditação e como praticá-la, leia Atenção Plena: Como Encontrar a Paz em um Mundo Frenético, também disponível aqui no 12min.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Dale Breckenridge Carnegie foi um escritor e orador norte-americano. Ele escreveu best-sellers como Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas (1936) e Como Evitar Preocupações e Começar a Viver. Graças ao sucesso obtido chegou a ser conselheiro de líderes mundiais e escreveu colunas em diversos jornais e teve o seu próprio programa de rádio. Fundou o que é hoje uma rede mundial de mais de 2.700 instrutores e escritórios em aproximadamente 90 países em todo o mu... (Leia mais)

(Em árabe: جوزيف ميرفي) Joseph Murphy era um ministro da Ciência Divina e author.Murphy nasceu na Irlanda, filho de diretor da escola um menino privado e criada como católica. Ele estudou para o sacerdócio e se juntou aos jesuítas. Em seus vinte anos, uma experiência com oração de cura levou-o a deixar os jesuítas e se mudar para os Estados Unidos, onde se tornou um farmacêutico em Nova York (ter uma licenciatura em química por esse tempo). Aqui frequentou a Igreja do Cristo cura (parte da Igreja da Ciência Divina), onde Emmet Fox tornou-se ministro no 1931.In meados dos anos 1940, ele se mudou para Los Angeles, onde conheceu o fundador Ciência Religiosa Ernest Holmes, e foi ordenado em Ciências religiosas por Holmes e... (Leia mais)

Napoleon Hill foi um escritor estadunidense muito influente na área de Desenvolvimento Pessoal e Autoajuda. Foi consultor de Relações Externas da Casa Branca durante o mandato do Presidente Woodrow Wilson e também o responsável por escrever e preparar os célebres discursos pronunciados pelo Presidente Franklin Delano Roosevelt durante seu mandato. Dentre outras personalidades que fizeram parte da pesquisa de Napoleon Hill temos: Thomas Edison, Alexander Graham Bell, Henry Ford, Elmer Gates, Theodore Roosevelt, William Jennings Bryan, George Eastman, John D. Rockefeller. O resultado de sua pesquisa foi apresentado em 1928, ano que publicou sua primeira obra “A Lei do Triunfo”. Antes de sua publicação oficial esta obra foi submetida a banqueiros, comerciantes e professores universitários, que, pelo seu esp... (Leia mais)