Gestão da Emoção Resumo - Augusto Cury

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

1760 leituras ·  4.0 avaliação média ·  1 avaliações

Gestão da Emoção

Autoajuda & Motivação

Este microbook é uma resenha crítica da obra: Gestão da Emoção

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8582402600; 978-8582402603

Também disponível em audiobook

Resumo

As emoções são parte da natureza humana. Nos ajudando a reagir melhor ao nosso entorno, elas realmente nos tornam mais humanos. Saber gerir as mesmas é conseguir se controlar e ser uma pessoa melhor no contexto geral. O presente microbook traz consigo alguns ensinamentos sobre as emoções, os sentimentos e a relação disso com a saúde mental.

Ideal para ser lido em momentos de descanso, e onde possa ter foco no que é dito, o presente microbook é recomendado àqueles que desejam entender mais de si e do que são capazes a partir do potencial das próprias mentes.

O autor é o conhecido psiquiatra, professor e escritor brasileiro, Augusto Jorge Cury, responsável pelo desenvolvimento e pela popularização da Teoria da Inteligência Multifocal/ Com livros publicados em mais de 70 países, e mais de 25 milhões de cópias vendidas só no Brasil, Augusto Cury é um mestre da área e lhe convida para uma viagem pelos limites de sua mente.

Educando o Eu

Por mais estranho que possa parecer, educar o Eu é fundamental para exercer papéis vitais como líder da psique, dominando as emoções e tomando conta da própria mente, uma tarefa muito difícil de se exercer nesses dias corridos e de tantas informações.

Para ter uma vida mais saudável, devemos aprender a proteger nossas emoções, administrando os pensamentos e aquietando a ansiedade. Dessa forma, somos capazes de libertar a criatividade e ter melhores sentimentos.

Todos os treinamentos psíquicos passam pela tarefa de gestão da emoção. Esta habilidade nos permite ter melhores resultados em todos os campos da vida: pessoal, profissional, familiar e outros. 

Não é à toa que atletas de alto rendimento, por exemplo, devem aprender a gerir emoções para ter melhor desempenho e controlar seus limites nas competições decisivas. 

Pessoas mais rígidas, impulsivas, tímidas, fóbicas e pessimistas tendem a bloquear seu desempenho, de maneira a demonstrar o quanto a má administração das emoções traz prejuízos, mas que podem ser recuperados com o devido treinamento.

Gestão de emoção envolve muitos treinamentos, alguns voltados às habilidades intelectuais, pessoais e profissionais. 

Tais treinamentos são também conhecidos como coaching das emoções, enquanto a psicoterapia trata dos conflitos que minam tais habilidades.

A gestão da emoção treina o Eu para que ele lidere a si próprio, enquanto a psicoterapia ataca todas as armadilhas que o impedem de chegar no máximo possível. 

Programa de Gestão da Emoção

O programa de gestão da emoção não traz resultados de um dia para o outro. É um treinamento extenso e riquíssimo, que permite expandir nossas habilidades em algumas áreas. Elas são 15: 

  1. eficiência socioprofissional;
  2. reciclagem de falsas crenças;
  3. descaracterização de paradigmas limitantes;
  4. ruptura com o cárcere do conformismo;
  5. capacidade de reinventar-se nas crises;
  6. promoção do raciocínio complexo e do pensamento estratégico;
  7. liderança e gestão de pessoas;
  8. expansão do potencial criativo;
  9. habilidade de pensar antes de reagir;
  10. empatia;
  11. carisma;
  12. relações saudáveis;
  13. formação de pensadores;
  14. fomento da resiliência;
  15. prevenção de transtornos psíquicos.

Megatécnicas de Gestão da Emoção (MegaTGE)

As Megatécnicas de Gestão de Emoção, como o próprio nome diz, envolvem a reconstrução de costumes muito arraigados em nossas vidas. Elas são um passo fundamental para colocar em prática tudo o que desejamos para administrar nossas emoções. 

Abaixo, você conhecerá algumas delas, para que as coloque em prática e mude a forma como lida com as emoções.

MegaTGE: Reeditar janelas traumáticas ou reconstruir janelas saudáveis

É inútil tentar apagar medos,  ciúme, mágoa, timidez, pessimismo, humor deprimido e outras sensações negativas. 

Ao insistir em acabar com esses maus momentos, haverá o reforço de tudo o que menos gosta e o chamado Registro Automático da Memória, o RAM, reforce esses maus sentimentos.

Não somos programados para apagar as más emoções, mas a superarmos cada uma delas depois de trabalhar em sua superação, vivendo-as em sua totalidade. 

MegaTGE: Não deletar de sua história as pessoas que o frustraram: dance com elas a valsa da vida com a mente desengessada

A tentativa de apagar os desafetos da mente sempre será infrutífera, além de causar mais frustração pelo fracasso no intento das eliminações.

Tal intenção só os fará dormir com você, como se namorassem seu travesseiro e perturbassem o sono. As pessoas que passam em sua vida deixam histórias, boas e ruins. 

Fique com as boas e absorva as ruins, não tente tirar os desafetos de maneira compulsória. 

Duas grandes invejas na história da humanidade

Há dois tipos de inveja: a inveja sabotadora e a inveja espelho. A primeira pode ser definida como algo que uma pessoa não tem, ambiciona ter, mas duvida da própria capacidade de consegui-lo.

Já a inveja espelho é representada pela pessoa que não tem algo, deseja ter, mas crê na própria capacidade ao se espelhar em exemplos que chegaram onde ela quis. 

Enquanto a inveja espelho promove o desenvolvimento de ambientes de convívio familiar ou profissional, a inveja sabotadora destrói grupos de pessoas, dos menores aos maiores. 

MegaTGE:  Pensar antes de reagir

Pessoas que vivem aprisionadas em armadilhas mentais ficarão impedidas de ser grandes estrategistas, tampouco poderão elaborar projetos para médio e longo prazo. Por isso, reagir por instinto é uma atitude irracional e que deve ser evitada para quem busca o melhor na gestão da emoção. 

Todas as reações, mesmo as improvisadas, carecem de muito preparo e treinamento. E se estudamos para uma prova ou teste qualquer, por que não estudamos a nós mesmos, analisando e anotando as próprias reações, para evitar repeti-las quando nos depararmos novamente com situações imprevistas?

MegaTGE: Não reagir pelo fenômeno da ação-reação

Assim como as drogas, também há comportamentos viciantes. O circuito da memória sente dependência de reações ríspidas, atritos, discussões, picuinhas e intolerâncias a frustrações. 

O denominado fenômeno RAM  deposita entulhos na memória e arquiva janelas killer, nas quais são formados núcleos traumáticos. Esses núcleos traumáticos sequestram o Eu e nos deixa com a autonomia engessada, de forma contrária à personalidade, que jamais é estática. 

Reagir pelo fenômeno ação-reação deve ser evitado a todo custo. 

MegaTGE: Exaltar a pessoa que erra antes de exaltar o erro dela

A Teoria das Janelas da Memória elucida os comportamentos humanos e é capaz de expandir outras teorias, mesmo as criadas por mestres como Freud, Jung, Adler, Piaget, Fromm, Skinner, Pavlov e outros gênios da humanidade.

De acordo com essa teoria, no solo de nosso inconsciente há um jogo de janelas ou arquivos que abrem e fecham em velocidade muito grande. 

Nesse solo, as respostas inteligentes e reações violentas podem ser incentivadas ou jogadas para baixo. Portanto, exaltar as pessoas antes que elas cometam seus erros é fundamental para seu crescimento pessoal, que alimenta o crescimento de quem está propenso a cometer erros. 

MegaTGE: Construir a felicidade inteligente e a saúde emocional

Para irrigar as regras que constroem a felicidade inteligente e a saúde emocional, esta Mega TGE é fundamental. Ela deve ser vivida todos os dias ao longo da vida. 

Grandes celebridades, executivos, empresários, intelectuais de sucesso e outras figuras de muita notoriedade serão miseráveis emocionalmente se não tiverem o brilho da felicidade inteligente dentro de si. 

Para pôr em prática essa megatécnica multifocal e complexa, deve-se praticar diariamente essas sete ferramentas todos os dias:

  • ser fiel à consciência;
  • contemplar o belo;
  • encantar-se com a existência;
  • ser altruísta;
  • pensar como humanidade;
  • doar-se sem esperar a contrapartida do retorno;
  • adquirir estabilidade emocional fundamental.

MegaTGE: Quem é infiel à sua consciência tem uma dívida impagável consigo mesmo

A idade mental nem sempre corresponde à idade cronológica da pessoa. Em alguns casos, pessoas amadurecem desde jovem. Em outros, pessoas com 40 anos têm idade emocional de 15, 20 ou menos. 

Quando o Eu não passa da fase da adolescência, podemos suspeitar de sinais de infidelidade à própria consciência, contaminada pela ganância e imediatismo, que costumam figurar entre nós nos anos de formação. 

Ser fiel à própria consciência nos leva a um crescimento automático e quita nossas dívidas com a própria com nosso mais profundo íntimo. 

MegaTGE: Contemplar o belo

Quando estamos fiéis à própria consciência, mantemos fidelidade à saúde emocional. Esse fato nos treina para contemplar o que é belo.

Contemplar o belo nos permite entregar atentamente às nuances e nos embriagar nos detalhes imperceptíveis que as mentes ansiosas não são capazes de prestar atenção. 

Se contemplamos o belo, temos o olhar refinado e observamos intensamente, capturando o que há dentro de nós.

Não há riqueza maior que essa. 

MegaTGE: Encantar-se com a existência

Há um passo além da contemplação do belo. Em tempos de entristecimento humano, estar encantado com a existência é algo além do casual.

Doenças como depressão, ansiedade e ideias de suicídio crescem quando perdemos a capacidade de nos encantarmos com a existência, que é nosso bem maior.

Se não somos capazes de ver beleza em nosso bem maior, não veremos alegria em mais nada. 

MegaTGE: Ser altruísta – O prazer de se doar

Quando nos doamos de maneira inteligente, temos a capacidade de nos colocarmos no lugar dos outros. Abraçamos mais e julgamos menos, compreendemos mais e criticamos menos, nos entregamos mais e nos enclausuramos menos.

Pessoas altruístas entregam suas camadas mais profundas da personalidade para estancar lágrimas, para suprir necessidades alheias que pouco lhe faltam.

Ser altruísta é fundamental para uma gestão da emoção mais eficaz. 

MegaTGE: Pensar como humanidade

Ao treinar a contemplação do belo e pensar de maneira altruísta, adquirimos a habilidade de nos encantarmos com a existência. 

Tal encantamento é um dos pilares da liberdade emocional, que nos permite sentir prazer ao nos doarmos. 

Tais atitudes deveriam ser ensinadas na escola, se os sistemas de ensino tivessem a real intenção de fazer com que as pessoas nutrissem maior bem-estar.

MegaTGE: Doar-se sem esperar contrapartida – A construção da liberdade emocional

Pessoas altruístas doam-se, mas o melhor altruísmo diminui a expectativa de retorno, protegendo-se contra eventuais frustrações.

A liberdade não é apenas ir e vir, mas também caminhar de maneira livre, sem estar assombrado por conflitos. E a esperança de retorno é um conflito possível. 

Liberdade psíquica é colocar o Eu como líder de si, investindo nas habilidades da sua mente e evitando preocupações futuras. 

MegaTGE: Ter estabilidade emocional - não comprar o que não nos pertence

A busca pela estabilidade emocional prescinde em não comprar o que não nos pertence. E aqui não falamos apenas de produtos e questões financeiras, mas também em não carregar culpas que não são suas.

Há problemas que, por mais que estejamos compadecidos com quem esteja sofrendo, não poderemos resolver. Ainda assim, nos momentos de pouca gestão emocional, pensamos em abraçar o mundo.

MegaTGE: Renunciar a ser perfeito

Renunciar a ser perfeito é básico: nunca atingiremos o status de perfeição, então por qual motivo tanto queremos isso?

Errar é humano e ao renunciar à perfeição nos permitimos perdoar-nos de tudo aquilo que não saiu da maneira como planejado. 

Erramos e erraremos, por mais que façamos planos para que eles não ocorram. E nos perceber como humanos que erram é fundamental, ainda que o compromisso seja com o acerto.

MegaTGE: Ter autoconsciência

Depois de renunciar à crença irreal de ser perfeito em sem erros, conquistar o patamar da autoconsciência é o passo a ser seguido.

Por mais imperfeitos que sejamos, ter consciência de si, das próprias limitações e habilidades, dos caminhos a serem seguidos e de como reagimos a determinadas situações, é fundamental. 

A autoconsciência abre espaço ao automapeamento, sem o qual não nos localizamos e temos desconhecimento quanto à destruição interna e crescimentos na gestão da emoção. 

MegaTGE: Estabelecer metas claras

Por fim, é necessário estabelecer metas claras para conquistar nossos objetivos. 

Elas são vitais para saber aonde se quer chegar e não se perder no meio do caminho. 

As metas claras nos direcionam com maior clareza, impedindo que fiquemos caminhando em círculos e sem saber onde chegar. Com metas claras, nós não gastamos energia inutilmente, não há desperdício de tempo. 

Notas finais 

Toda obra escrita por Augusto Cury nos leva a refletir o quanto nossos costumes podem ser moldados para que possamos viver melhor. 

Neste Gestão da Emoção, aprendemos o quanto é possível treinar o cérebro para que as emoções não nos dominem, mas que sejam domadas por nós.

As MegaTécnicas de Gestão da Emoção nos permitem avaliar atitudes diárias que repetimos automaticamente e sem pensar. Quando as modificamos, a percepção de como tudo pode ser diferente, bem trabalhado e otimizado, nos leva à excelência da autorrealização.

Dica do 12’

Em Inteligência Relacional, você poderá aprender um pouco mais sobre o quanto há diversas formas de treinar habilidades do cérebro.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Augusto Jorge Cury é médico psiquiatra, professor e escritor brasileiro. É o autor da Teoria da Inteligência Multifocal e seus livros foram publicados em mais de 70 países, já tendo vendido mais de 25 milhões de livros somente no Brasil. Nasceu em Colina, São Paulo. Formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e concluiu seu doutorado em Administração de Empresas pela Florida Christian University no ano de 2013 com à tese: "Programa Freemind como ferramenta global para prevenção de transtornos". Na sua carreira dedicou-se à pesquisa sobre as dinâmicas da emoção. É pós-graduado no Centre Medical Marmottan, em Paris, e na PUC de São Paulo. Ele é... (Leia mais)