Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos Resumo - Jane Nelsen

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

651 leituras ·  0 avaliação média ·  0 avaliações

Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos

Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos Resumo
Psicologia e Parentalidade

Este microbook é uma resenha crítica da obra: Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos: como criar filhos confiantes e capazes

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8520456146; 978-8520456149

Também disponível em audiobook

Resumo

A vida do bebê

Da notícia da gravidez ao nascimento, bem como os primeiros meses do bebê, mais que um novo ser que vem ao mundo, é um período de grandes surpresas e adaptação da vida adulta. 

Pode ser um período de grande turbulência, que exigirá muita preparação dos futuros pais. Mais que expectativas – e elas são muito comuns e podem gerar incansáveis discussões e encantamento – os pais, assim que levam para casa aquele “pacotinho desamparado”, se deparam com frustração e uma realidade que, mesmo que você já tenha passado por outras gravidezes, nunca é igual. 

É também um momento de uma avalanche de dúvidas, perguntas, ansiedade, frustrações, decisões, bem como de muito amor e dedicação. A vida passa a acontecer em volta do que pode parecer um pequeno tirano, conforme descrevem as autoras.

O trabalho dos pais

Todos tivemos uma experiência com educação infantil, nem que remonte a nossa própria criação, a que tivemos com os nossos pais, com seus erros e acertos. Além disso, há uma oferta de conselhos das pessoas que nos cercam. 

O seu trabalho é descobrir o que funciona no relacionamento do seu filho, é justamente se questionar e buscar entre os especialistas o que há de agregador e cativante, sem manipular com recompensas, se preparando para cada etapa.

O cérebro milagroso

O cérebro é um organismo vivo e em desenvolvimento. Ele tem vida ainda com um conglomerado de células na formação do feto. É na quarta semana da gravidez que estas células migram para as partes onde terão a sua função. Mais células são formadas, bem como uma rede de conexões: as sinapses.

São as experiências que as crianças desfrutam ao nascer que estimulam e moldam o cérebro. 

Aos 2 anos, o indivíduo já tem o mesmo número de sinapses que um adulto. Aos 3 anos, tem mais de mil trilhões de conexões (duas vezes mais que os pais). 

Aos 10 anos, o cérebro começa a podar as conexões em excesso. E pensar que aos 20 anos o cérebro ainda não está totalmente maduro!

O cérebro de 0 a 3 anos

Em cada fase da vida, há desafios de desenvolvimento. O 0 aos 3 anos é uma fase muito importante, pois é quando a criança aprende e decide sobre si mesma e sobre o mundo. 

O cérebro, nesta fase, é flexível para se adaptar às mudanças ou lesões, mas se não forem aproveitadas as oportunidades de desenvolvimento, será difícil adquirir certas habilidades. E o aprendizado acontece pela conexão com as pessoas, começando pelos pais.

Disciplina positiva

A proposta da disciplina positiva é uma forma gentil de ensinar, com confiança mútua, habilidades especiais e um ambiente adequado para que a criança possa se desenvolver, em uma perspectiva não-punitiva. 

A proposta advém de teóricos como Adler e Dreikurs, psiquiatras e pioneiros na educação parental. Para estes, o comportamento humano é motivado pelo desejo de pertencimento, de autovalor, de conexão, que deve ser motivado desde o nascimento e que vai acompanhar o indivíduo por toda a sua vida.

Disciplinar o filho

A disciplina positiva é construída por ensinamentos, compreensão, encorajamento e comunicação, e jamais pela punição, mas pelo aprendizado. Como nesta fase o comportamento da criança está mais associado ao desenvolvimento cognitivo, emocional e físico do que com mau comportamento. 

Disciplinar o seu filho tem mais a ver com o que você vai decidir fazer do que o que você espera que o seu filho faça. A punição é falha, porque, a longo prazo, cria rebeldia, revolta e descrença da criança no seu próprio valor.

Pilares da disciplina positiva

Os pilares da disciplina positiva descrita pelas autoras são: respeito mútuo, entender a crença por trás do comportamento, compreender cada fase do desenvolvimento infantil, comunicação efetiva, disciplina que ensina, encorajamento, foco na solução (e não na punição) e entender que crianças agem melhor quando se sentem melhor.

O desenvolvimento do seu filho

Além de compreender o cérebro como um organismo vivo, é importante conhecer quem o seu filho é para poder apoiar de maneira construtiva o seu desenvolvimento.

O que isso significa? Compreender a sua personalidade, as suas necessidades, como aprende sobre o mundo por meio da ação, a necessidade de explorar como algo natural, a divisão que fazem de realidade e fantasia e como as habilidades afetam o seu comportamento.

Ferramentas da disciplina positiva

Com isso, será mais fácil aplicar as diferentes ferramentas que são apresentadas pela disciplina positiva. 

Entre elas estão: a conexão antes da correção, a criação de rotinas, a motivação para o envolvimento da criança, ensino sobre o respeito, se permitir entrar no mundo da criança, a ação gentil e firme, o desenvolvimento das habilidades emocionais e da linguagem, incentivo da confiança etc. 

A autonomia e a compreensão do comportamento adequado para a idade são etapas fundamentais da disciplina positiva. 

Em todo o livro, as autoras trazem relatos e exemplos destas e outras ferramentas ou insights para que seja mais fácil para pais e professores compreenderem o conceito. 

Temperamento

Chegamos à metade deste livro. Para as autoras, temperamento é algo que torna o seu filho único. Não há crianças perfeitas ou um ideal de criança a ser seguido. É com compreensão e acolhimento que os pais estão equipados para ajudar as crianças a alcançarem o máximo do seu potencial, em vez de moldá-las como crianças ideais.

O mundo do seu filho

Nunca faça nada por uma criança que ela não possa fazer por si mesma – com esta máxima de Dreikurs que as autoras começam a terceira parte da obra, que aborda mais pontualmente o mundo infantil, trazendo dicas de como fortalecer o autovalor, o encorajamento, a confiança e a resiliência da criança. 

Autovalor

Para tal, o ensinamento é ir além das palavras gentis para desenvolver o autovalor, mas propor experiência para exercitar esta competência. O autovalor vem da aceitação, do sentimento de capacidade, sendo que isso não é dado pelos pais, mas a criança deve aprender a construir.

Encorajamento

O encorajamento para uma criança é como a água para uma planta. E é também seletivo, devendo observar o que cada indivíduo tem de especial. Encorajamento não é só elogio: este é condicional, enquanto encorajamento, para as autoras, é incondicional. O encorajamento ajuda a criança a aprender a tomar decisões.

Confiança

Já o conceito de confiança implica em lidar com os riscos – e assim como há a possibilidade de riscos, há a possibilidade de sucesso. Não há como atingi-lo sem os riscos. 

As crianças aprendem a confiar e a desconfiar com os adultos, na convivência, nos erros e nos acertos.

Ame o filho que você tem

Isso significa aceitá-lo como ele é, com paciência – principalmente com o seu desenvolvimento – dando-lhe oportunidades e ensinando habilidades: o autovalor acontece quando a criança exerce esta competência. 

É possível planejar, sem expectativas pessoais, cada fase que você irá enfrentar juntamente com o seu filho, com respeito e dignidade. Educar é uma tarefa difícil, mas não precisa ser algo aterrador e traumatizante para todas as partes.

O mundo fora da sua casa

As autoras falam, durante toda a obra, sobre a necessidade de conexão. Isso significa também conexão da criança com o mundo externo. A “Mãe Natureza” é um destaque na quarta e última parte da obra. 

Se o intuito é incentivar o desenvolvimento saudável da criança, o contato com a natureza pode atenuar conflitos e problemas. Na natureza, a criança pode encontrar sabedoria e perspectiva de se desenvolver, estimulando o aprendizado precoce e evitando problemas como obesidade, depressão e ansiedade. 

O contato com o natural ajuda a desenvolver o cérebro a partir da experiência, e expande também a criatividade. Dessa forma, a dica das autoras é proporcionar o contato com os ambientes naturais sempre que possível.

Tecnologia

A tecnologia também é outro conceito essencial para a vida moderna e pode ajudar no desenvolvimento infantil. É possível ter um contato saudável e com acompanhamento com esta parte inegável da vida moderna.

Habilidades sociais

A convivência social e o desenvolvimento de habilidades sociais é outro alicerce do desenvolvimento infantil, sendo preciso entender a criança na perspectiva global. 

A creche, o berçário e outros ambientes podem ser tão importantes quanto o cenário do lar e do convívio em família. 

Nestes campos, as circunstâncias podem mudar – como a chegada de um novo irmão ou a mudança de sala de aula – e isso traz desenvolvimento. É no mundo real que a criança aprende.

Crescendo como uma família

O trabalho de educar uma criança nunca é o que você esperou antes do nascimento. Mas os pais podem aprender com a sabedoria dos outros: médicos, educadores, outros pais mais experientes e adultos em geral. E também com a própria criança. 

Cuidando de si

É preciso, inclusive, aprender a cuidar de si mesmo neste período - planejando o tempo com sabedoria, não se sobrecarregando de tarefas, cultivando relacionamentos, fazendo listas, coisas que gosta, aprendendo a lidar com o estresse. 

Tudo isso faz com que você sobreviva de forma saudável e gratificante a um período de expansão e desenvolvimento que é o do seu filho, mas também o seu.

Notas finais 

Não é à toa que Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos é um best-seller mundial e uma leitura recomendada para todos os pais e profissionais que lidam com o desenvolvimento infantil nessa fase. A obra traz, com uma linguagem muito descomplicada e direta, dicas sobre como apoiar a criança sem puni-la, com gentileza e firmeza. 

Há muitas ferramentas, exemplos e ações concretas que vão lhe ajudar a dar o seu melhor e aproveitar os primeiros anos do seu filho – uma fase desafiadora, mas que sentirá saudades, já que passa rapidamente.

Dica do 12’

Outra obra que pode lhe ajudar na gratificante tarefa de ser um apoiador do desenvolvimento do seu filho é O cérebro adolescente – Guia de sobrevivência para criar adolescentes e jovens adultos, da Dra. Frances E. Jensen e Amy Ellis Nutt, que já está disponível para a sua leitura. 

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Dr. Jane Nelsen é um licenciado Casamento, Família e Criança Conselheiro em South Jordan, UT e... (Leia mais)