COVID-19: Tudo O Que Você Precisa Saber Para Manter a Calma Resumo - 12min Originals

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

2195 leituras ·  4.7 avaliação média ·  3 avaliações

COVID-19: Tudo O Que Você Precisa Saber Para Manter a Calma

COVID-19: Tudo O Que Você Precisa Saber Para Manter a Calma Resumo
#FiqueEmCasa e Saúde & Dieta

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 

Também disponível em audiobook

Resumo

Perante o recente surto do Covid-19 (ou “Novo Coronavírus”, como se tornou popularmente conhecido), que atinge todo o planeta, elevou-se, concomitantemente, a disseminação de informações e dados falsos, sobretudo, na internet.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste microbook, algumas das informações mais relevantes sobre a enfermidade, a fim de sanar as suas dúvidas sobre o tema. Vem com o 12 e boa leitura!

Qual é a origem do vírus?

O Covid-19 tem sido apontado como uma variante da família Coronavírus. Com efeito, os primeiros relatos de sua existência datam dos anos de 1960, segundo o próprio Ministério da Saúde.

Essa doença, provocada por uma variação originária da China, foi oficialmente nomeada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), em 11 de fevereiro de 2020, como Covid-19 (Coronavirus Disease 2019). Não obstante, ainda não está suficientemente claro como se deram as mutações que permitiram a eclosão do novo vírus.

Porém, outras variantes mais antigas do Coronavírus, como o MERS-CoV e SARS-COV já são amplamente conhecidas pela comunidade científica. Elas também atingiram os seres humanos mediante contato com certos animais: dromedários, no caso do MERS, e gatos, no vírus da SARS.

A Organização Mundial de Saúde emitiu seu primeiro alerta sobre o novo vírus no último dia 31 de dezembro. Após as autoridades chinesas notificarem a existência de uma pneumonia misteriosa na metrópole de Wuhan (com cerca de 11 milhões de pessoas). Seu tamanho é comparável à capital paulista que, por sua vez, supera a marca de doze milhões de habitantes.

Quais cuidados precisamos tomar?

É imprescindível higienizar adequadamente as superfícies (como corrimão e móveis) e as mãos. Esses são os cuidados principais a serem tomados para se prevenir contra o Covid-19. Mesmo com as suas mãos limpas, é recomendável evitar tocar as mucosas da boca, do nariz e dos olhos. Ademais, é necessário limpar regularmente os ambientes e mantê-los ventilados.

A utilização de máscaras é mais indicada para indivíduos que necessitam entrar em contato com pessoas que apresentam sintomas gripais, que tenham estes sintomas ou que precisem viajar às áreas de risco – embora, a maioria dos países tenha decidido fechar suas fronteiras. Lembre-se, ainda que máscaras descartáveis deverão ser trocadas a cada 2 horas e não devem ser usadas sem necessidade. 

Outro importante alerta consiste em não compartilhar objetos pessoais, como toalhas, talheres e celulares, além de manter uma distância mínima de 1 metro de indivíduos que estejam tossindo ou espirrando.

Quais são os grupos de risco?

Diabéticos, fumantes, pessoas com enfermidades cardíacas, asmáticos e idosos estão entre os principais grupos de risco. Afinal, essas pessoas são mais suscetíveis a contrair o novo Coronavírus.

Os pacientes que apresentam doenças mais debilitantes do sistema imunológico têm uma capacidade menor de frear esse vírus, elevando os riscos de que ele caia em suas correntes sanguíneas e, a partir desse ponto, atinja o pulmão e provoque pneumonia.

De modo geral, todos os portadores de doenças crônicas encontram-se em maior risco, devido ao comprometimento das respostas imunológicas de seus organismos. A possibilidade de intensificar a replicação viral tende a deflagrar lesões pulmonares que, por sua vez, é capaz de agravar o quadro desses pacientes.

E se eu estiver com os sintomas?

Em cerca de 80% dos casos, as pessoas infectadas apresentam sintomas leves, similares aos da gripe comum. Entretanto, é essencial evitar sair de sua residência, permanecendo em repouso e tomando bastante água.

Não obstante, se você realmente precisa sair, convém evitar passar por locais fechados, como aglomerações e pouca ventilação. É necessário compreender que, ainda que você não seja do grupo de risco, ir à rua, à escola ou ao trabalho com sintomas de gripe significa expor outros à doença, que pode ser letal em idosos, pessoas com doenças crônicas, etc. Sendo assim, é preciso:

  • Manter uma distância de, pelo menos, 1 metro de qualquer indivíduo;
  • Não compartilhar celulares, toalhas, copos, talheres e quaisquer objetos pessoais;
  • Utilizar lenços descartáveis para higiene nasal;
  • Ao espirrar, coloque um lenço descartável ou o antebraço na frente da boca e do nariz.

A internação hospitalar é indicada apenas em casos de gravidade no quadro respiratório, na existência de doenças pulmonares e cardíacas, baixa imunidade, diabetes, neoplasias ou se você fizer parte de um grupo de risco com eventual possibilidade de agravamento.

Se você estiver passando por algumas dessas situações, é altamente recomendável encaminhar-se a um hospital para tratamento e isolamento.

Quanto ao isolamento domiciliar (ou quarentena, como vem sendo chamado), ele é indicado em caso preventivo e de suspeitas leves, de modo que não será necessário procurar por uma internação, mas observar as medidas pertinentes de precaução domiciliar.

Dessa forma, algumas medidas restritivas de isolamento individual, isto é, a quarentena domiciliar, são o bastante para restringir o contato com pessoas e, evidentemente, ambientes externos - impedindo que o vírus se espalhe de forma ágil e acometa aqueles do grupo de risco.

Dito de outra forma, ainda que você suspeite ter contraído o Covid-19, mas não apresente sintomas graves – sobretudo, dificuldade respiratória aguda – o melhor a fazer é permanecer em isolamento domiciliar. Isso vale, também, para o caso de ter entrado em contato com alguma pessoa com diagnóstico confirmado, mesmo que você não apresente nenhum sintoma.

Viagens: o que fazer para não ficar no prejuízo?

Se você reservou ou adquiriu passagens aéreas a um local que esteja com suas fronteiras fechadas devido à transmissão do Covid-19, o melhor a fazer é contactar a companhia aérea e, assim, formalizar um pedido de adiamento e/ou cancelamento. A empresa, por sua vez, deve efetuar o ressarcimento em até 30 dias após a realização desse pedido.

A companhia deverá ser informada dos motivos para o cancelamento, no qual você pode alegar o risco de ser infectado ou a impossibilidade de desembarcar no país de destino, devido às decisões tomadas pelo respectivo governo local.

Essa negociação poderá ser feita mediante um reembolso integral, pelo meio escolhido por você, como remarcação da viagem (o que é complicado, pois, ainda não se sabe ao certo quando a livre circulação de passageiros deverá se normalizar), depósito bancário ou estorno no cartão.

Para ter garantia legal, o ideal é fazer a comunicação à respectiva companhia aérea o mais cedo possível. Tal comunicado deverá ser registrado por algum meio eletrônico (tal como um e-mail com a confirmação do recebimento) ou via protocolo.

Se houver dificuldades em negociar diretamente, você deverá registrar o seu propósito no SAC da companhia, na ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e, por fim, buscar o auxílio do Procon, que já está atuando em ações jurídicas coletivas específicas para defender os interesses dos consumidores.

Notas finais

O Covid-19 pode ser erradicado pelos produtos de limpeza, isto é, desinfetantes que podem ser encontrados facilmente, como água sanitária, álcool 70% e, até mesmo, a combinação de sabão e água.

Embora o vírus possua uma espécie de cápsula protetora, composta de gordura, a limpeza com esses produtos é capaz de retirar essa cápsula e, assim, matar o vírus. Portanto, nada de pânico: não se trata de um vírus complicado de eliminar, uma vez que ele não resiste no ambiente por mais de 4 dias.

Atenção ao uso de máscaras e ao estocar produtos e alimentos: comprando sem necessidade, estamos deixando o outro à mercê da falta. É hora de pensar em sua comunidade e prevenir-se, ainda que você não seja do grupo de risco.

Dica do 12min

Como você tem acompanhado nos noticiários, com a suspensão de espetáculos públicos, peças de teatro, festas e confraternizações com muitas pessoas envolvidas, pode estar se perguntando: o que devo fazer na quarentena?

Uma das melhores, mais proveitosas e, ao mesmo tempo, prazerosas atividades é ler. A grande maioria das pessoas reclama que não consegue ler tanto quanto gostaria, pois, não há tempo de sobra. Com a quarentena domiciliar, é a hora de tirar o atraso de tarefas importantes e, é claro, ler os microbooks do 12 minutos.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Microbooks exclusivos com dicas sobre empreendorismo... (Leia mais)

Mais livros do author 12min Originals