Como Vencer o Medo de Falar em Público

Edições LeBooks Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

A linguagem falada é um elemento fundamental nas relações humanas. A capacidade de usar as palavras de forma eficaz pode ajudar você a conseguir grandes coisas na vida.

Além disso, apresentações orais são a pedra angular da interação humana em grande escala, e também têm um efeito profundo sobre as interações íntimas. Sendo assim, falar em público pode ser uma grande fonte de ansiedade para muitas pessoas.

No entanto, isso não tem que ser assim. Pessoas vêm praticando essa arte há séculos e, hoje em dia, a oratória tornou-se parte integrante de nossas vidas pessoais e profissionais.

Este microbook centra-se na definição de falar em público de uma forma que possa ajudar você a obter o apoio necessário para reverter seus medos, oferecendo estratégias para criar uma apresentação oral em diferentes situações.

Se interessou? Então, vamos juntos descobrir, em 12 minutos, como superar o receio de falar na frente de uma plateia e, assim, desenvolver para si um importante diferencial. Boa leitura!

Os quatro elementos para se falar em público

Dizem que as pessoas usam máscaras diferentes para ocasiões diferentes. Mudamos nossos maneirismos em vários ambientes. Quando se fala em público, há algumas considerações que precisam ser feitas, a fim de planejar bem a apresentação.

O primeiro elemento da oratória é a pessoa do palestrante. O orador deve considerar cuidadosamente como ele quer ser percebido pelo público. A sutileza aqui é que você pode criar um personagem que se adapte à apresentação e ao público.

O segundo elemento é a mensagem. É importante considerar a informação que está apresentando (sugestão: apresentando por “sendo transmitida”). O conteúdo é de imenso valor para qualquer apresentação oral. Assunto bem organizado é parte integrante de uma apresentação bem-sucedida.

O método é o terceiro elemento a considerar. Onde será a palestra? O que irá ser usado? Haverá recursos visuais e sonoros? A apresentação acontecerá em um ambiente formal, uma sala de conferência ou em um ambiente mais casual?

O elemento final diz respeito ao objetivo da apresentação. É destinada a informar? Existe um valor de entretenimento? A apresentação deve motivar e influenciar o público ou apenas informar?

Três tipos de fobias

Existem três tipos básicos de fobias reconhecidas pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Fobias simples são medos irracionais de objetos ou situações.

Fobia social consiste no medo de situações sociais e agorafobia é o medo de ficar preso em uma situação ou ambiente.

Fobia simples

Fobias simples vêm em uma variedade de formas e podem incluir praticamente qualquer objeto ou situação. O indivíduo tende a ter um sentimento opressivo e precisa evitar esses objetos ou situações.

Também reconhece que o medo é irracional. Aqueles que se enquadram nessa categoria nem sempre tem necessidade de procurar tratamento.

Fobia social

Fobias sociais são completamente insuportáveis para o indivíduo que as tem. Uma pessoa com fobia social ficaria paralisada só pelo próprio pensamento de falar em público. O medo de ser julgado ou humilhado publicamente é muito incapacitante.

Agorafobia

A agorafobia foi formalmente classificada como medo de espaços abertos, no entanto, pesquisas mais recentes reconhecem que os indivíduos que têm essa condição muitas vezes não deixam sequer as suas casas, pois têm medo de serem presos.

Acredita-se que a agorafobia se desenvolva como resultado de ataques de pânico. A pessoa tem medo de ter um ataque em um lugar público ou em local que não possa ser socorrida.

Causas do medo de falar em público

Para superar o medo, é necessário reconhecer suas causas. O medo é uma emoção importante, projetado para ajudar a nos proteger. Algumas emoções são ligadas ao nosso sistema, a fim de nos manter fora de perigo. Mesmo o medo de falar em público pode ter raízes na autopreservação.

Medos naturais

O medo de falar em público pode estar parcialmente embutido na psique humana. Considerando as condições de um evento público, não é de admirar que o corpo tenha uma reação profunda com a situação.

Uma pessoa tem que enfrentar uma multidão de desconhecidos. Esta pode ser uma reação precária, a nível primitivo.

Medos adquiridos

Alguns medos são adquiridos. Nossas primeiras experiências nos ensinaram a temer vários objetos e situações. Uma criança não tem medo de uma chama até que a experiência a ensine a ser cautelosa. As experiências podem vir de várias e múltiplas formas.

Medo de falar em público

Mesmo que o medo intenso seja sentido apenas por um momento, o impacto pode durar uma vida. O sistema nervoso é projetado para nos alarmar quando passamos por situações que devem ser evitadas.

Sentir uma grande ansiedade e medo durante um evento nos ensina a responder de forma apropriada.

Empatia e associação

A empatia estabelecida com o medo é semelhante à de uma criança que passa a ter medo de cães, depois de testemunhar outra criança ser mordida. A observação do incidente traumático é suficiente para criar o medo permanente nela.

Construção gradual

Experiências relativamente inócuas podem se transformar em sentimentos de medo. O corpo aprende a responder de forma apropriada à preocupação com o medo, através da mente.

A ansiedade é estimulada na mente e o sistema nervoso responde.

Reformule sua resposta à situação de falar em público

É perfeitamente possível treinar suas respostas emocionais aos objetos e situações. As pessoas são capazes de suprir reações de medo por meio de um processo conhecido como “terapia de exposição”.

Há uma alta taxa de sucesso entre aqueles que usam esses processos. Algumas pessoas acreditam que essa abordagem funciona melhor se for utilizada intensamente por um curto período de tempo, em vez de alongar o processo por dias ou semana.

Basicamente, a terapia de exposição faz isso através da substituição de memórias antigas por novas. Esta abordagem é muito efetiva, a despeito de sua simplicidade.

Memórias do medo são colocadas na garganta. O processo de controlar a emoção começa no córtex pré-frontal medial. Esta área do cérebro envia mensagens para a garganta e para o tronco cerebral.

A noção básica é que o cérebro emite um sinal de segurança através da garganta. O processo da magia no cérebro envolve simplesmente a exposição gradual de experiências positivas e agradáveis na fonte do medo.

Quem quiser superar o medo de falar em público, deve se expor a essa tarefa em pequenas doses, e poderá se surpreender com o resultado.

Organize expectativas

Expectativa é uma questão complicada quando se trata de audiência. Vamos considerar uma pessoa que realmente goste de falar em público.

Esta pessoa pode achar que esta tarefa é agradável porque sabe o que é preciso para atender as expectativas do público.

Veja o exemplo dos atores. Eles decoram, memorizam e ensaiam. O ator sabe o que esperar e também tem o benefício de um personagem. Se olhar para o público tendo algumas expectativas, poderá se sentir oprimido.

No entanto, essas expectativas podem ajudá-lo a superar seu medo.

Use as expectativas do público como fonte de inspiração. Organize suas informações em torno do que ele quer e precisa saber. Seja empático. O que você esperaria ouvir na palestra caso estivesse na plateia?

10 ações efetivas para enfrentar o medo

Agora você verá algumas importantes ações práticas para a preparação e também o momento da apresentação. Elas foram elaboradas pelo prof. Reinaldo Polito, um dos grandes especialistas em comunicação verbal no Brasil:

  • saiba exatamente o que vai dizer no início, quase palavra por palavra. Isso vai lhe dar segurança no momento mais delicado da apresentação;
  • leve sempre um roteiro escrito com os principais passos da apresentação, mesmo que sejam apenas os títulos dos assuntos;
  • se tiver de ler, imprima ou cole o texto em cartão grosso. Assim, se suas mãos tremerem um pouco, o público não perceberá e você ficará mais tranquilo;
  • ao chegar diante do público, não tenha pressa para começar. Respire o mais tranquilamente possível, acerte devagar a altura do microfone, olhe para todos os lados da plateia e comece a falar mais lentamente e com volume de voz mais baixo;
  • no início, quando o desconforto de ficar na frente do público é maior, se houver uma mesa diretora, cumprimente cada um dos componentes com calma, assim ganhará tempo para superar os momentos iniciais que são os mais difíceis;
  • antes de falar, quando já estiver no ambiente, não fique pensando no que vai dizer: preste atenção no que as outras pessoas estão fazendo e tente se distrair um pouco;
  • se estiver muito nervoso, deixe as mãos apoiadas sobre a mesa ou a tribuna até ficar mais calmo. É um gesto normal que não chama a atenção dos ouvintes;
  • antes da apresentação, treine com os colegas de trabalho ou pessoas próximas. Lembre-se de exercitar respostas para possíveis perguntas e objeções mais previsíveis;
  • se der branco, não desespere. Diga: “na verdade o que eu quero dizer é que...” Essa frase permitirá que forneça a informação por outro ângulo. Se este recurso falhar, diga aos ouvintes que mais adiante voltará ao assunto;
  • todas essas recomendações ajudam no momento de falar, mas nada substitui uma consistente preparação. Use sempre todo o tempo que disponível para isso.

Confira a seguir três técnicas infalíveis para ter sucesso ao falar em público.

  • Use o humor

Ao se dirigir ao público com bom humor você criará uma interação entre você, sua apresentação e a plateia. O humor é muito bom e pode ajudá-lo a deixar seu público relaxado e confortável, mas não se esqueça do timing. Faça isso somente quando sentir que o momento é propício.

  • Utilize as pausas a seu favor

A pausa ajuda a lembrar que nada de ruim vai acontecer. Caso haja um momento incômodo de silêncio ou algum questionamento mais agressivo, use isso para criar uma interação com a plateia.

Pode fazer isso a qualquer momento, transformando o mal-estar em oportunidade para avançar. Veja sempre os obstáculos como oportunidades.

  • Supere o medo de errar

Contanto que seja honesto, caloroso e acolhedor em sua apresentação, seus erros terão poucos efeitos. Na verdade, podem trabalhar a seu favor, especialmente se você puder injetar um pouco de humor bem cronometrado e simpatia.

A humildade sem excessos pode funcionar tão bem quanto o humor.

Cursos para falar em público

A ideia de fazer um curso de oratória e se expor pode não parecer muito atraente. No entanto, a maioria das pessoas que entra nessas classes compartilha a mesma ansiedade e medo que você. Há muitos benefícios nesse tipo de curso.

As aulas oferecem técnicas úteis, projetadas para ajudá-lo a fazer discursos eficazes. Essas dicas e truques, além da prática adquirida nos exercícios reais, também poderão ajudá-lo a melhorar sua confiança e superar o seu medo.

Os orientadores desses cursos podem oferecer um método sistemático de aprendizagem e estratégias que trabalharão a seu favor. Estas técnicas também servem para uma abordagem cognitiva, em vez de emocional.

Avalie suas necessidades

Toda pessoa tem necessidades diferentes. Nossas memórias e experiências são únicas. A gravidade dos nossos medos pode variar bastante. Tente dar pequenos passos e visualize-se falando na frente de uma plateia.

Isso parece plausível ou você sente uma enorme sensação de medo?

Pode recorrer a hipnose ou terapia profissional, ou ir mais longe, com a utilização de medicamentos em casos mais graves. Alguns medicamentos podem inibir reações de medo, ajudando a lidar com a situação de forma mais eficaz.

Outros acham que adotar uma abordagem cognitiva os ajuda a racionalizar a visão de uma palestra pública, em vez de procurar um trabalho a nível emocional. Pense que está trabalhando com a colaboração de colegas de classe quando falar em público, o que lhe oferecerá maiores benefícios, ou encontre ajuda entre amigos, familiares e profissionais especializados no assunto.

Notas finais

Simplesmente saber não é suficiente. O armazenamento de informações na parte de trás do cérebro produz poucos resultados. É preciso esforço para colocar a teoria em prática. Depois de ter decidido sua estratégia, é necessário fazer um esforço e colocá-la em prática.

A aplicação prática de tudo o que você aprendeu neste microbook pode começar com algo simples, como visualizar-se fazendo um discurso em público. O público pode ser de qualquer tamanho que escolher.

Essa etapa é ideal para quem não sabe realmente se tem medo. A partir daí, procure ocasiões, inicialmente simples, onde poderá praticar e aprimorar seu desempenho. A prática é o único caminha que vai levá-lo à excelência.

Dica do 12’

Leia também “As Armas da Persuasão” e domine conceitos essenciais para influenciar pessoas!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: