44% OFF

Não deixe suas metas para 2022

Assine 12min Premium por apenas R$0,46/dia e aprenda mais em menos tempo!

693 leituras ·  4.6 avaliação média ·  81 avaliações

Como Ter Relacionamentos Lucrativos e Influenciar Pessoas

Como Ter Relacionamentos Lucrativos e Influenciar Pessoas Resumo
Desenvolvimento Pessoal

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8576845938, 9788576845935

Editora: Best Seller

Também disponível em audiobook

Resumo

Dale Carnegie foi o pioneiro do que agora é conhecido como o movimento do potencial humano. Seus ensinamentos e sua literatura têm ajudado pessoas do mundo inteiro a se tornarem confiantes, apresentáveis e influentes. Ele foi um dos primeiros a dar cursos sobre como falar em público ainda no começo do século passado. Entre palestras e aulas, também envolveu-se em extensas pesquisas sobre a abordagem da vida de homens e mulheres bem-sucedidos. Tudo isso o levou a escrever seu livro mais famoso: Como fazer amigos e influenciar pessoas, best-seller imediato e, desde sua publicação, em 1936 (e sua edição revisada em 1981), foram vendidas mais de 20 milhões de cópias e traduzido para 36 idiomas. Como fruto de seus cursos, também há uma série de cinco livros escrita para que os leitores se familiarizem com os ensinamentos de Dale Carnegie. Como ter relacionamentos lucrativos e influenciar pessoas é o primeiro deles. Baseado na obra de Dale Carnegie e no material oferecido nos vários cursos ministrados pela Dale Carnegie & Associates, Inc., ele torna tais ensinamentos mais aplicáveis ao leitor do século XXI. E nos próximos 12 minutos, você vai entender um pouco mais sobre os segredos para atrair mais resultados em sua vida.

Sim, você tem carisma

Podemos pensar que algumas pessoas nascem carismáticas e outras não. Há inúmeros exemplos ao nosso redor. Alguns aspectos de nossas personalidades são inatos, tais como a nossa aparência física, a inteligência básica e alguns talentos, mas cada um de nós tem a capacidade de tirar o máximo proveito de nossas características inatas e desenvolvê-las de modo a nos dar aquele tipo de “personalidade” que os outros vão admirar. Não é fácil se transformar em uma pessoa carismática, mas isso começa com um desejo forte e o compromisso de desenvolver nossas características inatas.

As características da personalidade podem ser adquiridas

Certas personalidades são maiores do que a simples beleza física e mais poderosas do que o aprendizado lhes ofereceu. O carisma, aquele charme que algumas pessoas exalam, pode influenciar os personagens mais fortes e, às vezes, até mesmo controlar os destinos das nações. As pessoas que possuem esse poder magnético nos influenciam inconscientemente. No momento em que estamos em sua presença, temos uma sensação de engrandecimento. Elas desbloqueiam dentro de nós possibilidades das quais não tínhamos ideia anteriormente. Nosso horizonte se expande; sentimos um novo poder agitando todo o nosso ser; experimentamos uma sensação de alívio, como se um grande peso, que há muito tempo nos pressionava, tivesse sido removido. Não seria ótimo se as pessoas reagissem a você desse modo? Muito do encanto de uma personalidade magnética vem de hábitos bem cultivados. O tato também é um elemento muito importante. É preciso saber exatamente o que fazer e ser capaz de fazer precisamente a coisa certa no momento adequado. O bom julgamento e o bom senso são indispensáveis para aqueles que estão tentando adquirir esse poder mágico. O bom gosto também é um dos elementos do carisma. Traços de personalidade podem ser adquiridos. As pessoas não são todas iguais. Temos que reconhecer que as pessoas não têm inteligência igual, força física igual ou níveis de energia iguais, mas com esforço podemos nos tornar carismáticos. Você pode escolher e trabalhar para desenvolver os traços de personalidade que deseja adquirir. A chave é a aplicação.

Seja alegre e otimista

As pessoas carismáticas são inteligentes, alegres e esperançosas, e passam a vida buscando o bem e o belo, em vez do feio; o nobre em vez do desprezível; o brilhante e o alegre em vez do obscuro e do triste; a esperança em vez do desespero; para ver o lado brilhante em vez do lado escuro. Voltar o seu rosto sempre na direção da luz do sol é simplesmente tão fácil quanto ver sempre as sombras, e isso faz toda a diferença em seu temperamento entre contentamento e descontentamento, entre felicidade e sofrimento e, em sua vida, entre prosperidade e adversidade, entre sucesso e fracasso.

Sorria

O sorriso é um sinal de simpatia. É o equivalente humano de um cachorro abanando o rabo. É claro que você não pode sorrir o tempo todo. O sorriso não é algo que se coloca mecanicamente da mesma forma que se coloca um chapéu. Um sorriso verdadeiro é simplesmente uma expressão externa de uma condição interna. É bem possível ser gracioso e encantador sem que seja necessário sorrir de fato. Há situações em que o sorriso é totalmente inapropriado e, com certeza, ninguém sorri o tempo todo.

Pessoas carismáticas são entusiastas

As pessoas carismáticas são entusiastas em relação às suas vidas, ao seu trabalho, aos seus relacionamentos e aos seus objetivos. O entusiasmo vem das profundezas de nós mesmos. A palavra “entusiasmo” vem de duas palavras gregas que significam “o deus interior”. O entusiasmo não pode ser falsificado. Fingir que se está entusiasmado por meio de gestos artificiais, sorrisos falsos e comentários exagerados é algo fácil de detectar. Se você acredita que o que está fazendo vale a pena, é significativo, emocionante e realizável, isso será notado em seu comportamento e em suas ações. As pessoas entusiastas em relação a si mesmas e às suas ações realizam seu trabalho com a certeza do sucesso.

Pessoas carismáticas são visíveis

Como uma pessoa se torna visível? O primeiro requisito é a competência. Se você é incompetente e visível, a visibilidade trabalha contra você. Se for competente e invisível, ninguém vai saber de seus atributos. Faça o possível para aliar competência e ser visível com ela.

Fale com desenvoltura

Uma das maneiras mais eficazes de se tornar conhecido para os executivos de sua empresa é participar ativamente nas reuniões das quais fizer parte. A maioria das pessoas que são bem competentes em seus campos de atuação tem muito a oferecer. A preocupação de se falar em público foi identificada como um dos medos mais comuns entre os profissionais. Sim, trata-se de um medo que pode ser superado por meio de treinamento e prática.

Mostre interesse pelos objetivos das outras pessoas

As pessoas carismáticas não são egoístas. Elas têm interesse por seus colegas e se preocupam com eles. Não estão voltadas apenas para si, elas sabem olhar ao seu redor.

Busque o lado bom nos outros

Uma das maneiras de desenvolver as melhores características em si mesmo é buscar as melhores características nos outros. Quando adotamos uma atitude bondosa para com todas as pessoas que encontramos, quando tentamos penetrar a máscara externa de alguém até sua parte mais íntima e quando cultivamos sentimentos amáveis para com todos, tornamos possível adquirir esse presente inestimável.

Não tenha medo de ser original

Permita que suas realizações no mundo, quer sejam muitas ou poucas, sejam originais, à sua própria maneira. Não tenha medo de se afirmar de uma forma individual ousada. A originalidade é vida; a imitação é morte. Não tenha medo de se soltar. Você cresce sendo original, nunca copiando; liderando, nunca seguindo. Permita-se estar aberto a novas ideias, sempre em busca de aperfeiçoamento. Pense em algum propósito. Há sempre um lugar para uma pessoa original.

Seja um ímã para negócios

Alguns homens e mulheres atraem negócios, consumidores, clientes ou pacientes de forma tão natural quanto os ímãs atraem partículas de aço. Tudo parece apontar para o caminho deles, pela mesma razão que as partículas de aço apontam para o ímã: porque tudo é atraído por eles.

Faça novos amigos e mantenha os antigos

Se quiser fazer amigos, cumprimente as pessoas com animação e entusiasmo. Quando alguém telefonar para você, diga “alô” em um tom que faça com que a pessoa saiba que você está contente em receber seu telefonema. Ao mostrar um interesse verdadeiro pelos outros, você pode, além de conquistar amigos, desenvolver a lealdade dos clientes para a sua empresa. Não perca nenhum deles, use seu carisma.

Seja compreensivo

Uma pessoa compreensiva se coloca no lugar das pessoas com quem se inter-relaciona. Ela não apenas ouve o que elas dizem, mas sente o que elas sentem quando falam. Como as pessoas podem deixar de responder positivamente a uma pessoa como essa?

Aprenda sobre a vida das pessoas

Cada um dos nossos funcionários têm uma vida fora do trabalho que, normalmente, é mais importante para o funcionário do que o trabalho em si. Ao falarmos com nossos funcionários sobre as coisas que de fato interessam a eles fora do trabalho, deixamos que saibam que estamos interessados neles como pessoas, e não apenas como trabalhadores.

Reconheça as realizações

Há muitas maneiras de as empresas reconhecerem as realizações de seus empregados. Nos saguões da maioria dos hotéis e em lugares de destaque em muitos dos escritórios de empresa, pode-se encontrar, com frequência, uma placa dedicada aos “empregados do mês”. Ter a honra de ser nomeado é um evento importante na vida dos homenageados. Eles podem receber algum prêmio real, porém, mais importante do que o bônus ou o prêmio, é o reconhecimento.

Expresse reconhecimento sincero e honesto

Uma maneira eficaz de fazer e manter amigos é expressar reconhecimento por suas ações. Em nossa vida diária, tantas coisas nos são concedidas naturalmente que podemos muitas vezes esquecer de expressar nossa gratidão àqueles que tornam os nossos sucessos possíveis e nosso dia a dia mais agradável.

Não critique, não condene, não reclame

Fazer um amigo é apenas um primeiro passo. Manter esse amigo não é automático. Você deve trabalhar a amizade. Uma das principais causas da perda de um amigo é a crítica. Criticar as pessoas não apenas causa danos à autoimagem delas, como também faz uma mancha na sua própria imagem. A crítica é fútil, porque coloca a pessoa na defensiva, e geralmente faz com que essa pessoa tente se justificar em vez de corrigir o problema. Isso causa ressentimento e antagonismo, além de prejudicar as relações com os amigos atuais, com a família e com os colegas de trabalho.

Os três “Cs”: cooperação, colaboração e coleguismo

Grande parte das nossas conquistas se deve à interação que temos com as outras pessoas. Podemos fazer muito por nós mesmos, mas, quando unimos nossos esforços e compartilhamos nossos pensamentos com outras pessoas, nossas faculdades tornam-se mais afiadas e nossas vidas são acrescidas de esperança, encorajamento e utilidade. A maioria dos psicólogos concorda que, quando as pessoas trabalham em conjunto em um ambiente com “os três Cs” , elas vão ter mais conquistas, ser mais felizes e enriquecer suas vidas.

O quarto “C”: credibilidade

Para que os três “Cs” funcionem é necessário, primeiro, que o pessoal de gerenciamento seja aceito pela equipe de funcionários. Os funcionários devem acreditar nas pessoas encarregadas do gerenciamento. Elas precisam ter credibilidade. A credibilidade não deriva apenas das credenciais ou qualificações de alguém. A credibilidade é estabelecida por meio do nosso caráter, de nossos valores e de nosso modo de agir com integridade. Ao estabelecer a credibilidade, o importante não é o que sabemos, mas o que fazemos com aquilo que sabemos.

12 maneiras para você estabelecer a credibilidade no local de trabalho.

1. Conheça o seu pessoal. Procure saber o que os motiva e ajude-os a aprender e a crescer;

2. Incentive-os a expressar suas ideias mesmo quando eles sabem que você pode discordar deles. Honre e veja mérito nas diferenças de opinião, nas parcialidades e na diversidade;

3. Inclua-os nas decisões. Ouça com a mente aberta. Seja receptivo a novas ideias. Defina um sistema para tomada de decisão colaborativa;

4. Fale de modo franco e decisivo. Em vez de dar ordens, venda suas ideias. Ofereça evidências para dar suporte aos seus pontos de vista;

5. Seja um especialista modesto e esteja disposto a submeter-se aos conhecimentos de outros especialistas;

6. Seja confiável. Cumpra promessas. Realize;

7. Aja de forma racional, justa e honesta;

8. Delegue e, depois, deixe fluir. Não gerencie de forma meticulosa;

9. Seja um recurso e não diga: “Eu não sei”; diga: “Vou procurar saber.”;

10. Seja realista ao comunicar metas e resultados;

11. Aceite a responsabilidade e admita os erros, as quedas e as desvantagens;

12. Compartilhe a glória e dê crédito aos outros pelas realizações;

Como construir a confiança

A base de qualquer relacionamento, dentro ou fora do trabalho, é a confiança. Quando um grupo de pessoas não confia em seu líder ou em um ou mais de seus colegas, não se faz nenhum progresso. O sucesso ou fracasso de um líder depende da confiança de seus seguidores. Se as pessoas confiam em você, qualquer coisa que diga pode ser ouvida. Se não confiam, então grande parte do que você disser vai entrar por um ouvido e sair pelo outro. Não é preciso muito para que uma pessoa perca a confiança em outra. Se o líder faz uma promessa e depois não consegue cumpri-la, a confiança é perdida. Se, uma vez, um funcionário sonegar informações necessárias aos outros, ninguém confiará nele novamente. Reconstruir a confiança não é fácil. Se a falta de confiança acontecer entre membros de um grupo, o líder poderá intervir para diminuir o problema. No entanto, se o líder perdeu a confiança do grupo, vai ser necessário um esforço extraordinário para restabelecer uma relação de confiança.

Não faça promessas que não pode cumprir

Todos nós fizemos promessas que não conseguimos manter. Fizemos essas promessas de boa-fé; porém, circunstâncias sobre as quais não tivemos controle tornaram impossível cumpri-las. É muito difícil, ou quase impossível, recuperar a confiança das pessoas que foram enganadas. É improvável que os membros da equipe de Desmond sejam novamente motivados por ele a trabalhar além da conta em missões futuras.

Todos devem desenvolver a confiança

O desenvolvimento da confiança não fica limitado aos líderes de uma organização. É essencial que todas as pessoas conquistem a confiança de seus colegas, seja no trabalho ou em outros aspectos de suas vidas. Todos nós conhecemos funcionários que são especialistas em evitar o trabalho duro. De fato, quando conspiram, esquivam-se e tentam evitar trabalhar com afinco no desempenho de suas funções, eles trabalham mais duro do que trabalhariam se tentassem fazer o seu melhor e tivessem prestado o maior e mais generoso serviço possível aos seus empregadores. O trabalho mais duro no mundo é aquele que se faz a contragosto. Pessoas que agem assim nunca são merecedoras de confiança por parte dos outros, e é pouco provável que sejam bem-sucedidas em qualquer atividade a que se dediquem.

Tenha coragem de ser verdadeiro

Dizem que o mundo está sempre procurando por aqueles que não estão à venda, que são honestos e confiáveis. Tais pessoas podem dizer a verdade e olhar o mundo direto nos olhos. Elas não se vangloriam nem fogem. São pessoas que podem ter coragem sem fazer alarde e que conhecem e cuidam de seu próprio negócio. São pessoas que não vão mentir, esquivar-se nem trapacear, que não têm medo de dizer “não” com ênfase, e que não têm vergonha de dizer: “Eu estava errado.”

Integridade: a força vital da confiança

O dicionário define integridade como a possessão de princípios firmes: a qualidade de possuir e aderir resolutamente aos princípios morais elevados ou padrões profissionais. A menos que uma pessoa tenha integridade, não há possibilidade de ser confiável. O primeiro componente da integridade é a honestidade. A honestidade por si só não pode garantir o sucesso, mas mesmo os fracassos serão honrados e não vão prejudicar o caráter e a reputação de alguém. A negociação justa é admirada por todos, mesmo o desonesto admira isso nos outros; e as pessoas que lidam justamente com outros em todas as suas transações, que falam a verdade e cumprem com seus contratos, mesmo quando estes geram sua própria perda, serão consideradas confiáveis.

Compreender a personalidade dos outros

O sucesso na inter-relação com os outros, particularmente como gerente ou supervisor, depende da cooperação voluntária de seu pessoal. O que se pode fazer para obter a cooperação de outras pessoas? Para começar, deve-se conhecer esses indivíduos. As pessoas são diferentes e, a menos que você conheça cada uma delas e compreenda suas características individuais, não é possível realmente chegar até elas. Quando você tem apenas algumas pessoas em sua equipe, não é muito difícil aprender várias coisas sobre cada uma delas. Se você supervisiona muitos subordinados, isso se torna mais difícil, mas não impossível.

Estude os registros

Ao assumir um novo departamento, consulte os arquivos pessoais de cada um dos seus funcionários. Ao examinar a formação e a experiência anterior, pode-se aprender muito sobre cada um deles. Entender como os seus colaboradores agiram no passado ajuda a trabalhar com eles de modo mais eficaz no presente.

Ouça e observe

Todos nós temos vidas fora de nossos empregos. Nós não contratamos um trabalhador. Contratamos uma pessoa como um todo. É útil saber o máximo que pudermos sobre os interesses pessoais de nossos funcionários, de modo a entendermos realmente o que os motivará. Não é necessário se intrometer em suas vidas privadas, mas com as atitudes de ouvir e observar pode-se aprender muito sobre eles.

É injusto tratar de modo diferenciado as pessoas diferentes?

Alguns gerentes acreditam que ao “atenderem os caprichos” de cada funcionário, teriam que tratar cada pessoa de modo diferente e que isso não apenas seria caótico, mas poderia levar a acusações de injustiça. Como as pessoas não são todas iguais, devemos fazer adaptações para lidar com cada uma, de modo a alcançar o mesmo objetivo geral. Isso não significa que aceitamos padrões mais baixos ou toleramos o mau comportamento de alguns de nossos funcionários. Ao tratar cada pessoa de uma forma, o que as inspira a dar o seu melhor, estamos desempenhando nossas funções gerenciais da melhor maneira possível. Isso resultará em um ambiente de trabalho mais feliz, e também mais produtivo, e ajudará cada pessoa, inclusive nós mesmos, a alcançar os objetivos desejados.

Seja um ouvinte melhor

Fazer as perguntas que suscitarão boas informações é o primeiro passo para conhecer as pessoas; porém, independentemente das perguntas escolhidas, se você não ouvir as respostas com atenção, vai obter apenas uma fração das informações fornecidas. Aperfeiçoar suas habilidades de escuta é importante não apenas na condução de uma entrevista utilizando-se a abordagem da “visão interior”, mas em todas as conversas.

O que as pessoas realmente querem de seus empregos

Para conquistar a confiança de quem você supervisiona, é importante saber o que as pessoas realmente querem de seu emprego e garantir a elas que você compreende seus desejos e está comprometido em ajudá-las a alcançá-los. Robert Lebow, um executivo de marketing, solicitou que a Chicago’s International Survey Research o ajudasse a responder essa questão. Após analisar as respostas de 2,4 milhões de trabalhadores de 32 indústrias nos Estados Unidos, durante 17 anos, Lebow relatou quais são as oito características mais destacadas.

Oito itens que as pessoas querem em seus empregos

  1. Ser tratado de forma verdadeira;
  2. Ter a confiança dos outros funcionários;
  3. Orientar e ser orientado de modo altruísta;
  4. Ser receptivo a novas ideias, independentemente de sua origem;
  5. Ser capaz de assumir riscos pelo bem da empresa;
  6. Receber crédito quando merecer;
  7. Comportar-se eticamente;
  8. Considerar os interesses dos outros antes dos próprios interesses.

Você pode aprender a ser uma pessoa persuasiva

Assim como homens e mulheres nascem com dons naturais para a música e para a arte, alguns têm, em alto grau, as qualidades naturais que lhes permitem convencer outros a pensar da maneira deles. Embora seja verdade que algumas pessoas têm mais capacidade natural do que outras, também é verdade que a maioria pode, por meio de treinamento, adquirir as habilidades necessárias para ter sucesso. Vamos tomar como exemplo um trabalho em que a capacidade de persuasão é um elemento fundamental: o de vendas. Se você não vende produtos ou serviços para outras pessoas, mas vende suas ideias, deve pensar em si mesmo como um vendedor. Vender ideias não é muito diferente de vender um produto ou serviço. Ao seguir as abordagens dos vendedores de sucesso, podemos convencer as pessoas a aceitar nossos conceitos. O primeiro passo em qualquer atividade de vendas é estar devidamente preparado. Nenhum bom vendedor tentaria fazer uma venda sem uma preparação cuidadosa.

Esclareça suas ideias

Assim como um vendedor deve conhecer profundamente o seu produto, de modo a ser capaz de vendê-lo, você deve conhecer o máximo possível sobre as ideias que quer vender. Se existem variações do conceito que você deseja apresentar, aprenda sobre elas e analise as alternativas. A maioria das ideias tem desvantagens e limitações. Encare-as e procure saber quais são elas e quais medidas devem ser tomadas para superá-las.

Os nove passos para decisões vantajosas a todos

  1. Qual é a oportunidade para tomada de decisão? Identifique claramente qual é a oportunidade a partir da perspectiva de um contexto amplo. Identifique o que está em jogo. Pense em termos de êxitos e resultados;
  2. Quais são as opções? Faça um brainstorming de cada opção e de todos os desdobramentos;
  3. Quais são os prós e contras de cada opção? Identifique e avalie os critérios ou prós e contras de deixar a emoção fora da decisão. A avaliação nos leva a considerar o lado emocional, assim como o lado lógico;
  4. Qual é a melhor opção? Considerando-se tanto a lógica quanto a intuição, podemos assegurar melhores chances de sucesso;
  5. Quais são as etapas da ação? Defina as etapas necessárias para realizar a decisão com sucesso;
  6. Quem é o responsável por cada etapa? Designe a pessoa apropriada para cada etapa;
  7. Como vamos monitorar e medir cada etapa? Estabeleça um sistema de monitoramento para manter o foco e as pessoas responsáveis;
  8. Como e quando avaliaremos se essa foi a decisão certa? Estabeleça cronogramas e padrões para medir os resultados;
  9. Defina o que vai determinar se essa decisão foi bem-sucedida. Avalie os resultados em comparação com as expectativas.

Ter a percepção dos excessivamente sensíveis

Ninguém gosta de ser criticado, mas a maioria de nós pode aceitar críticas construtivas. No entanto, algumas pessoas se ressentem com qualquer tipo de comentário. Sempre que fazemos uma crítica ao trabalho de indivíduos assim, mesmo que seja uma observação leve, eles fazem cara feia e nos acusam de implicância. Seja gentil com eles. Seja diplomático. Comece elogiando as partes das tarefas que eles fizeram bem. Em seguida, faça algumas sugestões sobre como eles podem fazer melhor em áreas que ficaram a desejar.

Negar a negatividade

Quase toda organização tem indivíduos negativos. Sempre que você é a favor de alguma coisa, eles são contra. Eles sempre têm um motivo para justificar que o que você quer realizar simplesmente não pode ser feito. Essas pessoas são habitualmente negativas e têm uma visão pessimista do mundo. Em geral, são indivíduos irritados, depressivos e frustrados, que sempre criticam os outros e se queixam com frequência. Evite ser um deles e tome cuidado ao ter de lidar com quem toma esse tipo de atitude.

Controle suas emoções

É fácil tornar-se impaciente com pessoas negativas. No entanto, tente evitar demonstrar desagrado quando alguém o desafia constantemente. Em vez de pensar “Ela vem sempre com seus velhos truques. Não vou deixá-la me intimidar”, treine a si mesmo para ter em mente que “Ela está manifestando seus sentimentos antiautoridade. Não tem nada a ver com o problema ou comigo”. Se não tomar isso como afronta pessoal, você poderá agir de maneira lógica e não emocional.

Como discordar sem ser desagradável

Muitas vezes o que parece ser um desentendimento é uma falha de comunicação. Antes de expressar discordância, certifique-se de que você realmente discorda. Talvez você não tenha entendido os argumentos apresentados, ou tenha interpretado a mensagem de modo diferente. Faça perguntas sobre o que foi apresentado. Certifique-se de que entendeu o que foi dito na mensagem original. Em diversos casos, você pode concordar até mesmo com a maioria das questões apresentadas, mas discordar de outras. Separe as áreas de concordância e discordância, de modo a poder direcionar seus argumentos para as áreas que você não concorda e não para a situação como um todo.

A chave para obter e prestar um serviço melhor

Dentre as várias queixas que os executivos de negócios escutam hoje, a de serviço de má qualidade lidera a lista. Os clientes relatam que os vendedores os ignoram, dão informações insuficientes sobre os produtos e, muitas vezes, são rudes quando lhes fazem perguntas. Não são apenas os vendedores, mas também todas as pessoas que lidam diretamente com consumidores ou clientes: recepcionistas nos escritórios, funcionários do serviço ao cliente, pessoal de serviço e manutenção e outros que lidam apenas ocasionalmente com os clientes. Com frequência, a culpa recai sobre o empregado da empresa, mas o erro pode na verdade ter sido causada pelo próprio cliente.

Princípios para se tornar uma pessoa mais amigável

1. Não critique, não condene, não se queixe.

2. Mostre apreço de modo honesto e sincero.

3. Desperte um forte desejo nos demais.

4. Torne-se verdadeiramente interessado na outra pessoa.

5. Sorria.

6. Lembre-se de que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce em qualquer idioma.

7. Seja um bom ouvinte. Incentive os outros a falarem sobre si mesmos.

8. Fale de coisas que interessem à outra pessoa.

9. Faça a outra pessoa sentir-se importante, e faça-o com sinceridade.

20. A única maneira de vencer uma discussão é evitá-la.

11. Respeite a opinião dos outros. Nunca diga a uma pessoa que ela está errada.

12. Se você estiver errado, reconheça o seu erro rápida e energicamente.

13. Comece de maneira amigável.

14. Leve a outra pessoa a dizer “sim” imediatamente.

15. Deixe a outra pessoa falar a maior parte da conversa.

16. Deixe que a outra pessoa sinta que a ideia é dela.

17. Procure honestamente ver as questões sob o ponto de vista da outra pessoa.

18. Seja receptivo às ideias e anseios da outra pessoa.

19. Apele para os motivos mais nobres.

20. Dramatize suas ideias.

21. Lance um desafio.

22. Comece com um elogio e um reconhecimento sincero.

23. Chame a atenção para os erros das pessoas de forma indireta.

24. Fale sobre seus próprios erros antes de criticar os da outra pessoa.

25. Faça perguntas em vez de dar ordens diretas.

26. Permita à outra pessoa uma saída honrosa.

27. Elogie o menor progresso e elogie cada progresso. Seja “sincero na sua aprovação e generoso no seu elogio”.

28. Proporcione à outra pessoa uma boa reputação a qual zelar.

29. Empregue o incentivo. Faça com que o erro pareça fácil de ser corrigido.

30. Faça com que a outra pessoa se sinta feliz realizando o que você sugere.

Princípios fundamentais para superar preocupações

1. Viva “um dia de cada vez”.

2. Como enfrentar um problema:

a) Pergunte a si mesmo: “O que pode acontecer de pior?”

b) Prepare-se para aceitar o pior.

c) Procure melhorar o pior.

3. Se as preocupações afetarem a sua saúde, lembre-se de que você talvez tenha que pagar um preço alto por isso.

Técnicas básicas para analisar as preocupações

  • Reúna todos os fatos.
  • Pondere todos os fatos e depois tome uma decisão.
  • Uma vez tomada a decisão, entre em ação!
  • Anote por escrito e responda às seguintes perguntas:

a) Qual é o problema?

b) Quais são as causas do problema?

c) Quais são as possíveis soluções?

d) Qual é a melhor solução possível?

Notas Finais

É evidente que não é fácil lidar diariamente com tantas pessoas no trabalho e em casa. Mas as técnicas de Dale Carnegie, inegavelmente um especialista no convívio humano, nos mostram que gente não é um bicho de sete cabeças. É possível melhorar os ambientes e assim angariar melhores resultados. Sua leitura é fundamental para todos aqueles que sentem dificuldades para chegar aonde querem, por meio das pessoas.

Dica do 12’

Leia o microbook Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas e conheça um pouco mais do trabalho de Dale Carnegie.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Dale Breckenridge Carnegie foi um escritor e orador norte-americano. Ele escreveu best-sellers como Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas (1936) e Como Evitar Preocupações e Começar a Viver. Graças ao sucesso obtido chegou a ser conselheiro de líderes mundiais e escreveu colunas em diversos jornais e teve o seu próprio programa de rádio. Fundou o que é hoje uma rede mundial de mais de 2.700 instrutores e escritórios em aproximadamente 90 países em todo o mu... (Leia mais)