21 Chaves Para a Realização Pessoal Resumo - Rodrigo Fonseca

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

3303 leituras ·  4.6 avaliação média ·  700 avaliações

21 Chaves Para a Realização Pessoal

21 Chaves Para a Realização Pessoal Resumo
Autoajuda & Motivação

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8542206401, 978-8542206401

Também disponível em audiobook

Resumo

O que você está buscando na sua vida?

Olhe à sua volta. O mundo vive um momento de busca por “algo” que ninguém sabe ao certo o que é. Existe nas ruas, nos rostos da multidão, o clima de uma procura constante por qualquer coisa que traga a tão sonhada “Felicidade”. É comum ouvir pessoas dizendo que querem ou que precisam mudar. Mas mais comum ainda é assistir a essas mesmas pessoas continuarem paradas, sem tomar nenhuma iniciativa para promover uma mudança real em suas vidas. A busca sem ação pela felicidade tornou-se o comportamento da maioria. Essa busca constante leva as pessoas a condicionarem sua felicidade a um futuro indefinido. Mas essa procura precisa começar agora, sem adiamentos.

1. Como encontrar o rumo certo para a nossa felicidade? E por que isso é tão importante?

Todos nós sabemos, pois sentimos na própria pele, como é importante a busca pela “felicidade”. Mas será que sabemos de verdade? Ou em algum momento de nossa vida acabamos nos desviando do nosso caminho, perdendo o contato com a nossa motivação para vivermos uma vida feliz, para encontrarmos a nossa verdadeira realização? Muitas vezes sentimos uma sensação de vazio, de incompletude, de insatisfação constante com a nossa vida e os rumos que estamos dando a ela. Não sabemos o que nos falta e tampouco como descobri-lo. E continuamos a girar em falso como um parafuso espanado, sem resolver nada e sem acrescentar nada ao nosso dia a dia, a não ser mais momentos de frustração e irritação, que vão minando a nossa capacidade de encontrar alegrias no cotidiano, no “agora”. Pegue agora um papel e uma caneta e escreva a sua resposta para as seguintes perguntas: O que estou buscando na minha Vida? É algo material, ou é um ideal, um cargo, o sucesso na minha carreira, a felicidade no casamento, o futuro dos meus filhos? Isso me dará realmente a minha Felicidade?

2. Até quando você será apenas “mais um” neste mundo?

Não pense que o sentimento de ser apenas “mais um” é um sentimento exclusivo de quem precisa trabalhar para sobreviver. Quanto melhor é a condição financeira e social, mais forte ainda é a sensação de vazio e de culpa. No fundo, todos nós sabemos que, quanto mais nos é dado, mais devemos retribuir. Por isso, se gozamos de uma boa situação, seja ela qual for, a nossa cobrança interna é muito maior, e também somos mais cobrados pelas outras pessoas. Somente ao fazermos uma reflexão profunda sobre a nossa existência, descobrimos que, apesar de todos os problemas, a resposta para sentirmos uma satisfação mais plena, verdadeira, ainda continua presente dentro do nosso coração. Basta querer enxergá-la.

3. Como parar de buscar, apenas, e começar a viver a tão almejada mudança?

O primeiro passo é parar para pensar sobre as coisas que você está buscando, as mudanças que você está procurando para a sua vida. Refletimos um pouco sobre isso no primeiro capítulo, e agora vamos desenvolver um pouco mais. O segundo é questionar-se sobre cada uma dessas mudanças: por quê? Você deve encontrar o motivo específico que o faz buscá-las. Uma mudança só ocorre quando existe uma razão clara e muito forte para ela acontecer. Uma razão legítima justifica os seus esforços e traz a disciplina e a persistência necessárias para alcançar o resultado esperado. Se você realmente deseja algo, conecte os resultados desejados com uma razão que lhe cause um forte impacto emocional. O terceiro passo é pensar: “de que maneira essa mudança me fará mais feliz?”. O grau de esforços e sacrifícios que ela demanda é proporcional aos benefícios que ela trará? A sua felicidade ocorrerá só num futuro incerto, quando a mudança se realizar, ou já nos primeiros momentos? Vale a pena esperar? Vale o esforço?

4. O que é a missão?

Missão é aquilo que o faz sentir-se realizado como ser humano e profissional. É viver para crescer e contribuir de uma maneira única para este mundo. A única maneira de alcançarmos o sucesso legítimo, ou seja, aquele que realmente nos satisfaz profundamente e, como consequência, ainda nos traz um grande retorno financeiro, é por meio da autorrealização, o processo de sonhar e transformar sonhos em realidade fazendo uso dos nossos talentos. Viver uma vida plena é uma arte, e não uma ciência. O que é um sonho para uma pessoa pode ser insignificante para outra. Portanto, sentir-se realizado é algo único, pois somos seres humanos únicos.

Como identificar a minha missão?

Desde o início desta Jornada, já começamos a refletir sobre alguns aspectos que o ajudarão a identificar a sua missão, e existem algumas perguntas impactantes que o auxiliarão nesse processo. Pare por alguns instantes agora e reflita sobre cada uma delas:

“O que eu vim fazer nesta Vida?”

“Quais são os meus maiores Talentos e Dons?”

“Como eu posso ajudar as pessoas colocando os meus talentos em prática?”

“Por que eu mereço viver?”

5. Trabalho e missão devem ser sinônimos?

Você sabia que alguns conceitos que regem a nossa relação com o trabalho são do século XIX, pois são heranças da Revolução Industrial? Ou seja, esses conceitos que até hoje usamos como um trabalho como um fim em si mesmo, sem ao menos questionar, estão mais do que ultrapassados... há mais de um século! O trabalhador que pensa e inova é visto como uma ameaça, criador de problemas e não de soluções. Você já deve ter percebido o quanto essas ideias são antigas e ultrapassadas, pois surgiram em decorrência de situações que tiveram lugar há mais de um século e meio, mas continuam ecoando até hoje dentro das grandes e médias empresas. Portanto, continuamos a mantê-las em nossas mentes, permitindo que guiem indefinidamente as nossas atitudes e a nossa forma de enxergar o trabalho. Hoje muitas coisas mudaram e, entre elas, o modelo de trabalho. A busca por uma missão que faça o trabalho fazer sentido se tornou mais importante do que o simples dinheiro no bolso.

6. Quais são as qualidades e as falhas que você herdou dos seus pais? Você sabia que não é por acaso que elas fazem parte de você?

Todos os seres humanos possuem características positivas e negativas, e nossos pais não são diferentes. Eles são os nossos exemplos, e estamos profundamente ligados a tudo o que aprendemos com eles. Isso acontece porque em algum momento, e em alguma outra “esfera”, decidimos que aquele homem e aquela mulher específicos seriam os nossos pais, porque eles possuíam características que iriam nos ensinar e nos ajudar a cumprir o nosso propósito neste Mundo. Nós escolhemos os nossos pais, justamente porque as habilidades e as dificuldades herdadas por eles, combinadas com nossos talentos, nos conduziriam e facilitariam a nossa missão. Portanto, ao integrar habilidades e características aparentemente opostas dos meus pais, pude perceber o quanto elas foram, na verdade, complementares.

7. Como você funciona?

Pare um pouco. Que momentos da sua vida, do seu dia, você tira para ficar apenas consigo? Para ouvir o seu silêncio, a criança que ainda existe em você? Vamos parar agora e descobrir as suas engrenagens internas, olhar para o seu interior, e descobrir como você funciona. Vamos observar em detalhes quem foi o menino ou menina que cresceu e se tornou o adulto que você é hoje. Feche os olhos agora e relembre... O que a minha criança gostava de fazer? O que me dava prazer? O que fazia que me deixava tão entretido, que o tempo passava e eu nem percebia? Dê tempo a você e encontre melhores caminhos para chegar à sua missão.

8. O que você faz de melhor e com excelência?

Muitas vezes tendemos a ser muito rigorosos conosco, e acabamos não reconhecendo as nossas qualidades, os nossos dons e talentos como algo muito especial. Isso acontece porque eles nos são tão naturais que acabamos não lhes prestando a devida atenção, achando que essa maneira de realizar algo, ou de nos expressar, é completamente “normal”, e que qualquer um poderia fazer o mesmo se quisesse. Mas descobrimos que isso está longe de ser realidade quando vemos outras pessoas expressarem os seus próprios dons. Aí, somos nós que ficamos admirados, pois o verdadeiro talento, quando exercido de forma plena, parece algo mágico e encantador para todos! Uma forma de reconhecer o nosso verdadeiro dom sendo exercido é por meio das reações físicas e emocionais que surgem durante esses momentos. Quando estamos exercendo o nosso dom, sentimos algo muito semelhante a um arrepio, que se repete algumas vezes em intervalos quase regulares, como se fosse uma descarga de prazer, ou endorfina, e as pessoas que estão nos assistindo, ou sendo beneficiadas pelo nosso dom, sentem as mesmas reações físicas e emocionais, a mesma sensação de encantamento.

9. Você tem apenas mais uma semana de vida. O que irá fazer? Como usará os seus últimos dias?

A ideia da morte traz para nós um sentido de urgência muito grande, pois é o único evento inadiável e definitivo. Com a morte não se negocia, não se adia, não se discute. Ela acontece quando não esperamos, quando não queremos, não importa se aproveitamos a vida enquanto podíamos ou não. Confrontado com a possibilidade de uma morte próxima, as primeiras perguntas que talvez venham à sua cabeça são:

O que deixei de fazer?

O que eu tinha de ter feito e não fiz?

O que eu mais me arrependo de ter deixado de viver?

Pare agora e pense de forma séria e honesta como seria se, hoje, você tivesse apenas mais sete dias de vida. Você está vivendo da maneira que realmente gostaria? Você está curtindo as pessoas que mais ama? Você está trabalhando com o que mais o realiza?

10. De quais maneiras diferentes você pode viver a sua missão?

Se você é um professor, não precisa necessariamente dar aulas numa escola. Você pode também criar um curso na internet, escrever um livro didático, dar dicas sobre educação em blogs, descobrir novas formas de ensinar fora dos padrões, desenvolver um novo formato de aula, ou achar dentro de si novos talentos a serem explorados e desenvolvidos com esse mesmo propósito. Saia da sua “caixa”, e amplie sua visão para perceber quantas possibilidades existem ao seu redor para você se autorrealizar e ser feliz. Então pare agora e pense: se eu estivesse agora num mundo onde tudo fosse possível, como eu poderia cumprir a minha missão de uma forma diferente, usando os talentos e dons que possuo? E escreva todas as respostas que surgirem na sua mente, sem se demorar em análises ou críticas. Apenas deixe a sua Alma sonhar.

11. Como a sua missão contribui para você e para a Humanidade? Em que ritmo isso acontece?

Cada pessoa é uma parte fundamental, que possui um dom especial, necessário para o bom funcionamento desse sistema. Se essa engrenagem se encontra no lugar certo, funcionando corretamente e em harmonia com as outras, dará uma grande contribuição ao todo, fazendo o sistema rodar com perfeição. Todos nós temos um lugar nesse sistema, e nele representamos uma parte, cuja falta pode “travar” algumas engrenagens e, depois, o Todo. Mas um morador de rua não está usando seus dons e talentos para cumprir a sua missão. Em algum momento, ele se desviou do próprio caminho e, quando isso acontece, nos tornamos uma peça quebrada, ou fora do lugar, desgastando a nós mesmos e ao sistema. Dessa forma, não estamos contribuindo para a Humanidade e, tampouco, para a nossa evolução.

12. O que falta para você ser feliz? O que está incompleto na sua vida?

No mundo de hoje, fica cada vez mais evidente a existência de um enorme vazio interior que incomoda, intranquiliza e produz frustração em grande parte da população mundial. Cruzamos todos os dias com pessoas tristes, ansiosas e estressadas, que sofrem com a sensação de que falta “algo” em suas vidas, que estão de alguma forma vazias, insatisfeitas e carentes de algo que nem elas mesmas conseguem identificar. Como consequência natural dessa situação, surgem esforços infrutíferos em tentativas de preencher esse vazio com coisas que todos nós conhecemos, como comida, cigarro, bebidas, drogas, jogos ou o amor de outras pessoas. Muitos se deixam levar pelo consumo exagerado de bens materiais, tornam-se obsessivos pela interação nas redes sociais, ou perdem-se no uso excessivo de computadores ou smartphones. Nenhuma dessas pessoas sabe, de fato, o que lhes falta, e tampouco se perguntam sobre isso, porque têm medo de encarar a resposta nua e crua. Sentem o vazio e a carência, sofrem com isso, e tentam encontrar a solução por meio de algo, ou alguém, que está fora delas. No entanto, a resposta, como sempre, está num lugar muito mais próximo: dentro de nós mesmos!

13. Como estão as principais áreas da sua vida?

Quando pensamos em saúde, imediatamente associamos a palavra à saúde do nosso corpo. Mas a saúde da mente, das emoções, do espírito e dos nossos recursos financeiros também necessita de atenção e cuidados constantes. Tratar da saúde física, emocional, intelectual, espiritual, familiar, profissional, financeira e social são fundamentais para chegarmos a cumprir nossa missão.

14. Por que e como fazer o seu Projeto de Vida para realizar os seus sonhos?

As coisas mais importantes da nossa vida só existem porque um dia foram registradas em papel ou em algum meio eletrônico, ou seja, saíram da cabeça de alguém e vieram para o mundo físico. O seu nascimento foi importante e está registrado em papel. A formatura do colégio, da faculdade, os cursos que fez, a compra da sua casa e do carro, o seu casamento e o nascimento de seus filhos foram muito importantes na sua vida, portanto, estão registrados e documentados. Com certeza os seus sonhos têm uma grande importância para você e para a sua vida, mas onde eles estão registrados? É provável que eles não existam, a não ser na sua cabeça, pois geralmente as pessoas não tomam uma atitude prática para transformá-los em algo real. Coloque todos eles em um papel, separando por cada área de sua vida e assim vai angariar melhores maneiras de planejar essa mudança de vida e realização completa de sua missão.

15. Toda missão tem o seu desprazer, ou a sua sombra, também. O que dá prazer a você?

Muitas vezes as pessoas têm a impressão errônea de que, ao cumprir a sua missão, vão encontrar apenas prazer e felicidade. Nada está mais longe da verdade. Vivemos num mundo onde a luz não existe sem a sombra, os momentos de prazer sempre se alternarão com momentos não tão agradáveis. Isso é necessário, faz parte da vida e, com relação à nossa missão, não é diferente. Momentos ruins e de desprazer vão acontecer. E é necessário que saiba o que pode lhe causar os bons momentos, para que nas horas de baixa possa ter algum parâmetro como objetivo e entender que os sacrifícios são válidos e necessários para se chegar ao topo de qualquer experiência.

16. Como usar seus medos para superar os obstáculos?

A maioria das pessoas permanece presa ao seu trabalho, à rotina, ao salário, à sua posição na empresa, ao status e ainda assim não sentem a verdadeira felicidade. Só existe uma explicação para essa atitude: o medo. O medo de se expor, de ousar e de experimentar o novo faz com que continuem, indefinidamente, a se negar a enxergar os danos que estão causando ao mundo, a si mesmas e a todos que fazem parte de suas vidas. E esse medo dá origem a algumas reações, e a mais comum é a paralisia ou fuga. O medo castra, aprisiona, prejudica os movimentos e imobiliza. A “vítima” sente tanto medo que não consegue reagir até que seja tarde demais. Ou, então, foge e se afasta de tudo que é novo, e que pode, aparentemente, gerar “perigo”. No entanto, o medo também pode provocar outro tipo de reação: a superação ou o enfrentamento. Em momentos de medo extremo, somos capazes de produzir uma grande descarga de adrenalina e endorfina para elevar a níveis extraordinários a nossa força, agilidade, percepção e pensamentos. O medo pode impulsionar as pessoas a superar seus maiores limites, a enfrentar o que as ameaça e a vencer obstáculos aparentemente impossíveis, quando apenas decidem agir, apesar do medo. E há inúmeros exemplos disso na minha vida, e na de muitas pessoas em todo o mundo.

17. Como lidar com as pedras no caminho da sua missão?

A missão está atrelada não apenas a talentos e dons, ou seja, às experiências positivas das nossas vidas, como também está ligada de uma forma muito íntima às dificuldades que enfrentamos, principalmente na nossa infância. Desde muito cedo, nos deparamos com vários obstáculos no nosso caminho: dificuldades impostas pelas circunstâncias familiares, nossos próprios erros, pessoas que nos fizeram algo de ruim de forma intencional ou não, conflitos, carências e condições financeiras difíceis. Experiências negativas ou ruins acontecem com todos nós, e algumas deixam marcas mais profundas, transformando-se em barreiras quase intransponíveis, ou nos impulsionam a superá-las e ensinar o mesmo caminho a muitos outros. As dificuldades são verdadeiros treinamentos emocionais. Devemos ser gratos pela existência dessas pedras no nosso caminho, pelo aparecimento de pessoas que, aparentemente, nos causam grandes dores e problemas. Pois elas trazem as maiores oportunidade para nos fortalecer. Ensinam-nos a polir, a desenvolver e a fortalecer o espírito, aprendendo e crescendo com os nossos erros e deficiências.

18. Você se ama?

O amor próprio é o início de todo o processo da nossa MISSÃO. A maior contribuição que alguém pode dar para a Humanidade, antes de qualquer outro feito, é se amar. É estar sempre num estado de atenção em relação às nossas necessidades, compreensão e aceitação de nós mesmos. É preciso se amar para depois contribuir para o mundo, pois contribuir significa, no seu sentido mais profundo, amar o outro. Mas como poderemos amar alguém sem antes amar a nós mesmos? Tudo começa e termina dentro de nós. Nunca daremos algo a alguém que, antes, não consigamos nos dar: seja o amor ou o ódio.

19. O que você está esperando para fazer o que tem de ser feito?

Há muita gente com talentos incríveis, recursos, apoio de todos, oportunidades e espaço para exercerem a sua missão, e mesmo assim, continuam paradas, esperando a “melhor oportunidade” eternamente, antes de se lançarem no caminho que sempre sonharam. Elas esperam até estarem mais preparadas, mais evoluídas, com mais conhecimento, com mais experiência, com mais, mais, mais... E esse algo mais nunca chega. Quantas pessoas você conhece nessa mesma situação, que ainda continuam esperando? Observe mais de perto como está a vida dessas pessoas, pois certamente descobrirá um grande vazio. Se você já sabe a direção que deve seguir, não perca tempo, comece hoje!

20. O que você pode ensinar aos seus filhos sobre a missão?

Como uma mãe ou um pai, pode ajudar seu filho a se encaminhar para um caminho profissional que o realize, para a sua missão? Os pais devem estar atentos para os talentos dos filhos. No que cada um deles é muito bom? O que é muito fácil e divertido para eles? Em que eles demonstram mais habilidade? Os verdadeiros dons e talentos se manifestam desde a mais tenra idade. Surgem de repente, espontâneos, e mostram-se de forma clara e inconfundível. Para um pai, ou uma mãe, é fácil perceber esses talentos, mas somente se estiver presente de corpo, mente e espírito na educação dos filhos. Ao perceber que seu filho tem um talento especial, chame a atenção dele para essa habilidade, destaque-a e diga o quanto ele é bom no que faz. Devemos estimulá-los a exercer esses talentos desde cedo. Dê papel, lápis de cor, aquarela, pincéis para o seu filho, ou filha, que tem habilidade para desenhar; se gostam de escrever, crie um blog para eles; deixe que preparem receitas simples na sua cozinha, se demonstram talentos culinários. Mas sem pressioná-los, para que o exercício dessa habilidade seja uma diversão e não se transforme em obrigação ou motivo de angústia.

21. Qual é o legado que você quer deixar?

Falar de legado, aqui, é falar de algo que estará vivo, crescendo e se multiplicando, mesmo após você ter deixado este mundo. Sem um legado, a sua missão morrerá com você. Claro que hoje existe a internet, onde podemos publicar vídeos, textos e depoimentos que poderão durar por muito tempo após a nossa morte. Mas tudo isso são apenas suas imagens, palavras e pensamentos. São fragmentos de você, que estão parados no tempo, não mudam e nem evoluem sem a sua presença. Sem você eles estão mortos também. O legado, ao contrário, é algo que tem vida própria, que cresce, se desenvolve e se dissemina pelo mundo independentemente da nossa vida. Algo que não ficará restrito à vida de uma só pessoa, por mais genial que ela seja. Algo que será distribuído e multiplicado por muitos líderes e para muitas pessoas. Deixar um legado significa manter os nossos dons vivos, dar continuidade àquilo que nos foi dado gratuitamente pela vida: os nossos talentos.

Notas Finais

Descobrir qual é a nossa missão e o que nos faz sentir-nos realizados não é um luxo. É essencial para fugirmos de males tão contemporâneos como a depressão, que atinge até mesmo os profissionais mais bem-sucedidos. E as 21 chaves para a realização pessoal são passos necessários para entendermos o que nos trouxe até aqui e para onde queremos ir. Há que se buscar um sentido em tudo o que fazemos, sem deixar para depois.

Dica 12’

Leia o microbook O Jeito Harvard de Ser Feliz e aprenda um pouco mais sobre como chegar à realização pessoal.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Rodrigo Fonseca tem como missão pessoal despertar no ser humano a capacidade de realizar seus sonhos e viver muito mais feliz consigo mesmo. Comunicador Social, graduado pela Universidade de São Paulo USP, atua como facilitador da Lotus T... (Leia mais)