Por Dentro do Alibaba Resumo - Porter Erisman

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

1618 leituras ·  4.4 avaliação média ·  157 avaliações

Por Dentro do Alibaba

Por Dentro do Alibaba Resumo
Startups & Empreendedorismo

Este microbook é uma resenha crítica da obra: Como a maior empresa de e-commerce do mundo está mudando os rumos dos negócios on-line

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 978.85.8240.283.2

Também disponível em audiobook

Resumo

Alibaba é uma empresa imensa de entregas e vendas online. Essa gigante do e-commerce chama atenção não somente pelos seus preços quanto pela lucratividade. Porter Erisman, o nosso autor, conta como foi ser vice-presidente dessa empresa, e tudo o que aprendeu com o funcionamento da mesma. Como a empresa conquistou um mercado que quase não existia e o expandiu tão bem?

Se você é um amante do mundo dos negócios, este livro é mais que recomendado para a leitura. Ideal para momentos de estudo e concentração, preferencialmente em casa.

Porter Erisman, autor de dois incríveis livros - "Six Billion Shoppers" e "Alibaba's World", é um empreendedor de renome internacional, palestrante e professor de cursos. Este profissional tem uma bagagem imensa no mundo dos negócios, e de certo pode compartilhar parte de seu conhecimento nos próximos 12 minutos contigo. Que tal aproveitar?

Empreendedorismo e resiliência

O empreendedorismo é, hoje, mais fácil do que nunca. Você não precisa juntar um milhão de dólares para começar: tudo o que necessita é uma ótima ideia e algum tempo livre. Mesmo assim, o mundo está repleto de pessoas que temem dar os primeiros passos.

Superar dificuldades na vida só é possível quando nos esforçamos seriamente em vez de ficar parado e reclamando. Começar um negócio não é diferente. Então, por que todas as pessoas não são empreendedoras? A verdade é que muitas pensam que isso é algo difícil.

Afinal, grande parte das indústrias já tem um grande player e, ainda que você confie em si mesmo o bastante para competir com gigantes como o eBay ou o Google, ainda há diversos obstáculos legais e sociais a serem superados. Todo empreendedor enfrenta esses problemas. A única maneira de ter sucesso é tentar.

Quando Jack Ma lançou o Alibaba em 1999, apenas 1% da população chinesa usava a internet. E aqueles que a utilizavam dificilmente levariam a sério a ideia de comprar qualquer coisa on-line.

Não obstante, ao longo de 15 anos, o Alibaba superou os concorrentes internacionais e a desconfiança dos consumidores, e agora domina 80% do mercado de e-commerce da China.

Conhecer uma história de sucesso como essa pode fazer com que você passe a duvidar de si mesmo. “O que posso fazer que é tão especial?”, talvez se pergunte. Bem, você não precisa ser tão inteligente quanto Einstein para começar um negócio que, um dia, será um sucesso.

Antes de iniciar o Alibaba, Jack Ma era um professor de inglês que ganhava cerca de US$ 20 mensais. Tanto que, às vezes, brinca que é tão bem-sucedido precisamente porque ele realmente não sabe nada sobre computadores. Isso significa que não foi seu gênio técnico que lhe abriu as portas do sucesso, mas seu espírito empreendedor.

Negócio sustentável

O autor sustenta que, nos dias atuais, criar uma empresa é bastante fácil. Mas, infelizmente, falir também o é. Mas não precisa ser assim. Infelizmente, muitos empresários estabelecem metas de curto prazo e/ou abandonam seus negócios, na busca por saídas rápidas que possam deixá-los milionários.

Um dos objetivos que Ma estabeleceu em sua jornada empreendedora era que o de que a empresa durasse, pelo menos, 80 anos.

Em outras palavras, uma vida humana. Embora mais tarde ele tenha estendido esse objetivo para 102 anos, permaneceu fiel à ideia de construir uma organização sustentável que sobrevivesse a todas as dificuldades e desafios que teria pela frente.

Tal decisão afetaria os negócios diários da empresa. Por exemplo, enquanto Ma desejava levar a empresa ao público já em 1999, ele adiou a decisão até o momento em que pudesse ter certeza de que isso levaria a empresa ainda mais longe.

Um negócio sustentável é aquele que permanece fiel à sua cultura. À medida que a empresa cresce, ela encontra muitos eventos inesperados que podem obrigá-la a mudar sua própria cultura.

O Alibaba passou por uma dessas situações em 2005, durante o processo de negociação e compra do Yahoo. No último momento, Ma se retirou das negociações quando seus interlocutores surgiram com uma nova demanda: nomear o empreendimento de “Alibaba-Yahoo!”.

Para Ma, isso faria com que o Alibaba perdesse sua identidade aos olhos dos clientes. Tanto que essa aquisição, o acordo que transformou o Alibaba em um fenômeno global, só foi concretizada quando o Yahoo desistiu da ideia.

Visão dos clientes

Uma empresa de sucesso é aquela que descobriu uma forma de conquistar o coração dos clientes. Mas como é possível fazer isso? O primeiro passo consiste em encontrar uma necessidade importante dos clientes para resolver.

Em seus primeiros anos, o Alibaba testou várias oportunidades potencialmente lucrativas, estabelecendo parcerias e realizando investimentos. A empresa tentou, até mesmo, abrir um escritório no famoso Vale do Silício. Infelizmente, porém, esses esforços iniciais falharam, uma vez que a empresa ainda não tinha essa visão dos clientes.

Tudo mudou quando a organização finalmente identificou a barreira que deixava os clientes excessivamente cautelosos quanto ao comércio eletrônico: confiar em alguém que ainda não conheciam.

Depois que o Alibaba desenvolveu soluções de autenticação, permitindo que o público verificasse seu status de empresa legítima, os clientes se mostraram mais dispostos a pagar por seus serviços.

Essa percepção crucial para estabelecer uma relação de confiança com os clientes potenciais também foi usada na plataforma C2C do Alibaba, TaoBao. Em vez de simplesmente copiar o elegante modelo utilizado por sites norte-americanos, o TaoBao disponibilizava uma plataforma divertida, com chat ao vivo, com o qual os usuários podiam interagir.

Mas uma adequada visão do cliente não basta. Essa percepção também deve ser compatível com o mercado. Antes de o Alibaba lançar seus serviços premium, a utilização de seu site era totalmente gratuita.

Embora a pressão dos investidores tenha dificultado a decisão de oferecer serviços gratuitos, a direção da empresa sabia que o público chinês precisava ter o tempo necessário para testar as novidades antes de decidir se comprometer com ela. Essa era a única forma de conquistar uma base de clientes fiéis.

Pensando em um ponto de vista estratégico, fornecer serviços gratuitos era, de fato, a única opção disponível no mercado. Isso era ainda mais verdadeiro se fosse levado em conta apenas o mercado consumidor. Por essa razão, o TaoBao tem se mantido como um serviço gratuito desde o seu lançamento, em 2003.

A despeito de o eBay ter ridicularizado o TaoBao por seu modelo de serviços gratuitos, seu site na China teve de ser fechado depois que o TaoBao conquistou a maior fatia do imenso mercado local.

No entanto, mesmo que você crie um negócio com base em uma visão acertada dos clientes, ainda enfrentará duros percalços ao longo do caminho.

Transformando dificuldades em vantagens

Todas as empresas enfrentam dificuldades ao longo do caminho. Contudo, isso não desencoraja os empreendedores que sabem como transformar as dificuldades em vantagens.

Um mercado limitado, por exemplo, também pode ser considerado uma grande oportunidade de investimento.

Quando o Alibaba começou, a China ainda estava descobrindo a internet – e com muita cautela. Qualquer pessoa provavelmente pensaria que começar um negócio on-line naquele contexto levaria, sem dúvida, ao desastre, pois, simplesmente, não havia clientes em potencial em quantidade suficiente!

Todavia, onde a maioria das pessoas via limitações, Ma enxergava oportunidades – o poder de compra de um bilhão de pessoas!

Outra dificuldade para as empresas de internet na China consiste em lidar com a legislação e as autoridades locais. Isso fez com que companhias estrangeiras, como o Google, desistissem de atuar no mercado chinês e, consequentemente, das possibilidades de explorar todo o seu potencial.

Apesar de suas ambições internacionais e do tempo que passou no exterior, Ma nunca foi tão rápido em julgar a política de regulamentação do uso gratuito da internet. Ele simplesmente a reconheceu como parte do processo, decidindo focar em qualquer bem que pudesse ser produzido por meio de seus negócios.

Por exemplo, um empreendimento de e-commerce que trouxesse empregos e prestígio certamente faria com que os governantes reconsiderassem seus posicionamentos em relação à internet.

Ma sabia que crises inesperadas podem representar excelentes oportunidades para o desenvolvimento de negócios. Isso aconteceria em 2003, ano em que China foi atingida pela mortal epidemia de SARS (sigla inglesa para Síndrome Respiratória Aguda Grave).

Depois que um funcionário do Alibaba contraiu o vírus, todos os demais colaboradores da empresa tiveram que permanecer em quarentena, dentro de suas casas. Mas, em vez de deixar o medo incapacitá-los, a equipe do Alibaba manteve o site funcionando de casa.

Eles foram recompensados por seus esforços com um enorme fluxo de tráfego. Pessoas de todo o país também estavam em quarenta (ou com muito medo de sair para fazer compras) e, como resultado, elas foram praticamente forçadas a experimentar o comércio eletrônico.

A competição é sua melhor amiga

Se o seu negócio é, atualmente, um líder de mercado, será que ele permanecerá sempre nessa posição? Provavelmente não. Assim que souberem da oportunidade que você criou, outros certamente o seguirão.

Manter-se à frente da competição requer, em primeiro lugar, estabelecer uma diferenciação. Empresas e empreendedores jovens muitas vezes caem na armadilha de copiar alguém que admiram, esquecendo que o verdadeiro sucesso só acontece quando você se torna mais do que a sombra de outra pessoa.

Por isso, Ma trabalhou arduamente para garantir que o TaoBao fosse mais do que uma mera cópia do eBay. Ele compreendeu que a cultura de consumo na China era diferente da dos países ocidentais. Os consumidores chineses não tinham garagens cheias de coisas antigas que eles quisessem vender on-line.

Em vez disso, eles queriam vender produtos como se tivessem uma pequena loja de artigos variados. Sabendo disso, o TaoBao encorajou essa cultura, oferecendo ferramentas como chat ao vivo WangWang. Eles também incentivaram compradores e vendedores a ligar uns para os outros e fortalecer os relacionamentos, assim como na vida real.

A importante lição que pode ser extraída aqui é a de que você deve apreciar a competitividade, encarando-a como uma forma de se desenvolver, e não com a disposição de lutar contra um oponente que precisa ser destruído a qualquer custo.

Muitos empreendedores cometem o erro de criar relacionamentos hostis com os seus concorrentes. Como resultado, concentram toda a sua energia em prejudicá-los, quando seria muito melhor utilizar a competição como uma poderosa fonte de inspiração para desencadear ações positivas.

Notas finais

Qualquer um pode começar o próprio negócio e atingir o sucesso, desde que tenha determinação suficiente e a atitude correta. Como a história do Alibaba revela, até mesmo uma pequena empresa iniciante, de um país em desenvolvimento, pode competir com gigantes multinacionais... e vencer!

Dica do 12min

Gostou do nosso microbook? Então, leia também “O Caminho dos Líderes” e saiba o que é necessário para se tornar um grande líder empresarial!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: