44% OFF

Não deixe suas metas para 2022

Assine 12min Premium por apenas R$0,46/dia e aprenda mais em menos tempo!

12462 leituras ·  4.6 avaliação média ·  3856 avaliações

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes  Resumo

Este microbook é uma resenha crítica da obra: The 7 Habits of Highly Effective People

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8576843439, 978-8576843436

Editora: Best Seller

Também disponível em audiobook

Resumo

Alinhe seus paradigmas pessoais com princípios universais

Paradigmas são os blocos fundamentais que constroem nosso caráter. Eles são os nossos princípios e valores fundamentais. Por isso, eles definem a maneira como vemos o mundo, como um par de óculos.

Os hábitos que definem nossas ações resultam diretamente desses paradigmas. Eles são o núcleo de nosso caráter e a chave para mudarmos se queremos nos tornar mais eficazes.

Somente desta forma é possível mudar a nossa realidade subjetiva e, com ela, o nosso comportamento. Para tal, o primeiro passo é tornar-nos conscientes dos nossos próprios paradigmas.

Se você quer superar hábitos estabelecidos, como procrastinação, egocentrismo ou ansiedade, você primeiro tem que reconhecer o princípio fundamental que forma esse hábito.

Se você quer alcançar a verdadeira efetividade, é necessário alinhar seus paradigmas com princípios universais, como a justiça, honestidade e integridade. Como a maioria das pessoas concorda sobre esses princípios, podemos vê-los como leis naturais que duram para sempre, ou seja, parâmetros para comparar com nossos próprios valores.

Seja proativo

Você quer se tornar mais efetivo? Então você precisa tomar o controle da sua vida diante de todas as oportunidades e situações que surgem. A liberdade na escolha da sua resposta baseia-se em:

·         autoconhecimento: para que você consiga entender seus sentimentos e pensamentos;

·         imaginação: visando ser capaz de ir além da sua realidade presente;

·         consciência: sua capacidade de distinguir o bem do mal;

·         livre arbítrio: para alterar as emoções e pensamentos percebidos pelo seu autoconhecimento.

Uma pessoa proativa é guiada pelos seus próprios valores e diferentemente de uma pessoa reativa, ela faz questão de tomar suas próprias decisões, nunca deixando que o mundo ou os outros lhe digam o que fazer para mudar sua situação.

Se você é proativo, ninguém pode afetar seus sentimentos de forma negativa, a menos que você permita. Esta verdade não é fácil de aceitar, principalmente se você costuma colocar a culpa nos outros pelos seus problemas.

Uma vez que você aceitar que causou sua própria situação atual e que você é senhor do seu destino, você se torna capaz de mudar o seu futuro. Uma das melhores maneiras de mudar isso é transformando a sua forma de se comunicar. Use uma linguagem que condiz com essa nova realidade mental.

Se você usa frases passivas, como: “fulano de tal me deixa louco”, é hora de parar. Entenda que você está sendo reativo e permitindo que outras pessoas controlem suas emoções. Tente uma alternativa ativa, como “estou permitindo que fulano me deixe louco. O que eu poderia fazer para que isso não aconteça mais?”

Comece com um fim em mente

Muitas pessoas trabalham para objetivos sem sentido, um foco difuso. Elas se preocupam em serem eficientes, ao invés de eficazes. Para mudar isso, é preciso desenvolver o hábito da liderança pessoal, que se baseia na necessidade de começar cada dia com um claro entendimento dos seus objetivos e resultados desejados.

Para ter sucesso, é preciso planejar primeiro e executar depois. Primeiramente, defina o que deseja conseguir e, depois disso, planeje todas as atividades para atingir aquele objetivo.

Em seguida deve vir sua capacidade de se gerenciar, na forma da pergunta “qual é a melhor forma de conseguir o que quero?”. Para atingir seus objetivos, você precisa visualizar o resultado de cada ação antes de executá-la. Por isso, uma boa dica é definir uma declaração de missão pessoal, memorizá-la e anotá-la.

Nesta missão, você define suas crenças e objetivos: liste os valores e princípios em que você acredita, e os objetivos maiores que você deseja alcançar em sua vida. A declaração de missão é a sua constituição pessoal, um padrão estabelecido e pelo qual tudo pode ser medido e avaliado. Ela é como uma bússola, dando-lhe um senso de direção e segurança para tomar as melhores decisões baseadas nos seus princípios. 

Ao decidir baseado em seus princípios, você se torna mais eficaz, pois:

1.    fundamenta-se em seu livre arbítrio, e não porque alguém está o empurrando rumo a uma determinada direção;

2.    você sabe que sua decisão é a adequada, pois ela está baseada em princípios com resultados previsíveis a longo prazo;

3.    sua própria decisão contribui para reforçar seus valores fundamentais;

4.    é possível comunicar-se honestamente com todos os envolvidos, explicando seus princípios fundamentais;

5.    há uma sensação de conforto, em relação à sua decisão, seja ela qual for.

Priorização

Você já aprendeu que pode criar seu próprio paradigma e descobriu os princípios básicos pelos quais deveria viver e trabalhar. Agora você está pronto para colocar as coisas mais importantes em primeiro lugar, a cada momento. Em outras palavras, tornar-se capaz de controlar o seu tempo com maestria.

Para ser realmente efetivo, é necessário organizar seu tempo ao redor das suas prioridades sempre. Para conseguir priorizar de verdade é necessário aprender a dizer sim a tudo que faz parte do seu objetivo final e não a todas as distrações que podem aparecer entre você e o seu objetivo.

Agora que chegamos na metade da leitura vamos conhecer os elementos centrais para atingir o seu objetivo e incorporar hábitos vencedores em seu cotidiano.

Pense “win-win”: todos têm que ganhar

A maioria das pessoas tende a pensar segundo o modelo "ganha-perde''. Este modelo, afirma que toda vez que alguém ganha algo, alguém tem que perder, como nos jogos de soma zero.

Porém, a vida e a maioria das situações não são uma competição, e você precisa entender que existem situações em que todos podem ganhar. O jeito “win-win” de pensar se baseia na ideia de que a vitória de uma pessoa não necessariamente acontece à custa da derrota de outra.

Se uma pessoa ganha e outra perde, nenhuma das duas obtém a confiança e lealdade do outro a longo prazo. Quer dizer, você pode ganhar fazendo a outra parte perder agora, mas isso afetará a próxima negociação no futuro. Acordos “win-win” possuem as seguintes dimensões:

·         caráter: é a base do paradigma. Só quando você conhece bem os seus valores, saberá o que significa ganhar;

·         relações: constroem-se sobre a base do caráter. Desenvolva sua credibilidade ao longo do tempo investindo em relações focadas no sucesso de ambas as partes;

·         acordos: surgem a partir das relações. Um acordo deve ser claro e amarrar resultados desejados, regras ou parâmetros dentro das quais se obterão esses resultados, recursos disponíveis, medidas para avaliação dos objetivos alcançados e as suas consequências;

·         sistema regulador: para que os acordos funcionem, devem existir um sistema para avaliá-los e regulá-los;

·         processo: um processo simples deve ser utilizado para conseguir um acordo ganha/ganha. O primeiro passo é tentar ver a situação sob a perspectiva do outro, identificando os aspectos e preocupações-chave dele.

Em seguida, devemos listar os resultados que consideramos uma solução aceitável para ambos e por fim precisamos buscar o acordo ou novas opções para obter estes resultados.

Compreenda para ser compreendido

Cada relacionamento é como uma espécie de conta bancária emocional que registra exatamente quanto cada pessoa tem investido nele. Quanto maior o equilíbrio, maior a confiança entre as partes. E para chegar a este equilíbrio, é preciso entender o outro.

Este é o hábito da comunicação efetiva. É o mais poderoso que podemos colocar em funcionamento de forma imediata. A maioria das pessoas passa sua vida aprendendo a se comunicar de forma escrita ou falada, mas têm pouco treinamento em escutar e entender verdadeiramente o próximo.

É raro encontrar pessoas que escutam com a intenção de entender. Geralmente as pessoas escutam com a intenção de responder. Escutar com empatia é uma ferramenta muito poderosa que lhe proporciona a informação exata com a qual trabalhar.

Ao escutar com empatia, você satisfará essa necessidade e poderá então influenciar a outra parte e trabalhar com você numa solução ganha/ganha. É preciso tempo e esforço para dominar esta habilidade no início, mas as recompensas são grandes.

Usufrua a sinergia

Sinergia significa que o todo é mais do que a soma das suas partes. O hábito de sinergizar implica então na cooperação criativa e no trabalho em equipe: as pessoas com mentalidade “win-win” e que escutam com empatia podem aproveitar suas diferenças para gerar opções que não existiam antes.

Reunir várias perspectivas diferentes, no espírito do respeito mútuo, traz como resultado a sinergia. Os participantes sentem a liberdade de procurar a melhor alternativa possível e, com frequência, conseguem propostas diferentes e melhores que as originais.

Sinergia faz com que você assimile novos pontos de vista e chegue a resultados positivos trabalhando em conjunto. Porém, a sinergia não é fazer com que todos concordem. É extrair o melhor de cada um, mas nunca confundindo uniformidade com unidade.

Afie sua serra

Assim como um marceneiro tem que afiar sua serra sempre, você precisa afiar seus hábitos, dando manutenção à sua ferramenta. A ideia é simples, você deve ser capaz de trazer novos hábitos, mas se reorganizar também para manter os hábitos atuais funcionando adequadamente.

A efetividade se consegue quando se pode manter o equilíbrio entre a produção (P) e a capacidade de produção (CP). Porém, é frequente que as pessoas estejam muito ocupadas produzindo (serrando a madeira) para prestar atenção à manutenção do seu meio de produção (afiar a serra).

Isso faz com que elas se vejam produzindo pouco, por estarem com uma serra sem amolação. O mesmo acontece com seus hábitos. Se seu hábito não está afiado, sua produção cai.

Muitas vezes, a manutenção não traz grandes ganhos imediatos, mas ela é essencial se você quiser continuar serrando e ainda mais se quiser preservar sua serra. Você deve se dedicar pelo menos uma hora cada dia trabalhando em quatro áreas fundamentais:

·         dimensão física: inclui exercício físico, nutrição e controle do stress. Ao comer adequadamente e exercitar-se 30 minutos por dia, você conseguirá melhorar sua força e resistência de forma proativa;

·         dimensão espiritual: você deve renovar seu compromisso com seus valores, revisando a sua missão pessoal. Isso pode incluir atividades relacionadas à oração, à meditação, à música, à literatura ou à natureza;

·         dimensão mental: sua mente se “afia” por meio de atividades como leitura, escrita e planejamento. Comece com um fim em mente e trabalhe nas prioridades primeiro;

·         dimensão social/emocional: seja empático e pense “win-win”. Como as quatro dimensões estão inter-relacionadas, o que você fizer para “afiar a serra” em uma, impactará positivamente nas outras.

Notas Finais

Comece agora a trabalhar seus novos hábitos. Primeiro, seja proativo. Depois continue com a clareza dos seus objetivos, concentre-se em princípios universais e foque nas suas prioridades.

Procure situações “win-win”, escute empaticamente e crie oportunidades de sinergia em sua vida. Mas lembre-se: este processo criativo nunca acaba. Você deve continuar afiando os hábitos pelo resto da sua vida.

Dica do 12min

Gostou do microbook? Então, leia também “O poder do hábito” e aprenda a identificar os padrões que influenciam todos os aspectos de nossas vidas.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Stephen Richards Covey é um escritor americano, autor do best-seller de gestão Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, publicado pela primeira vez em 1989. Ele também é fundador da Covey Leadership Center em Salt Lake City e da Franklin Covey Corporation, uma consultoria que ajuda empresas a planejar melhor. Covey é mestre em Administração pela Harvard e doutor pela Universidade Brigham Young.Ele tinha 9 filhos e 52 netos. Ficou mundialmente conhecido com o livro Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, lançado em 1989. Covey instruiu as pessoas a como adquirir plena eficácia na vida, especialmente no contexto profissional e da administração. Porém, seus livros ta... (Leia mais)