Empreenda com Menos Resumo - Giovanna Baccarin

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

1436 leituras ·  4.4 avaliação média ·  402 avaliações

Empreenda com Menos

Empreenda com Menos Resumo
Startups & Empreendedorismo

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 978-85-508-0049-3

Também disponível em audiobook

Resumo

O chamado à aventura

Um bom primeiro passo é não construir nada apenas com base na boa fé e na intuição. Não é assim que funciona no empreendedorismo. Embora sejam importantes, tais quesitos não podem servir como as únicas medidas para seguir em frente. Logo de cara é necessário muito planejamento e estudo ao se aventurar em novos negócios. Pesquisa sobre o mercado, o local, as melhores formas de se colocar em prática ideias construídas anteriormente são alguns dos pré-requisitos para seguir em frente.

Coceira empreendedora

No momento em que Giovanna Baccarin começou seus estudos e aventuras no empreendedorismo, sequer sabia o que era uma startup ou uma empresa inovadora. Ainda assim, correu atrás de pesquisas, estudos e imersão na área até se tornar hoje escritora e consultora no ramo do empreendedorismo.

Faça o que eu digo

Para a criação e elaboração deste livro, a metodologia usada por Baccarin a fez conversar com muita gente interessada em empreendedorismo. Mínima versão viável foram as palestras por ela apresentadas e nas quais recebia vários pedidos de apresentação. Foi por meio delas que sentiu uma sede no mercado do empreendedorismo por uma obra sobre o tema. A linguagem simples e direta era a principal pedida.

A jornada empreendedora

O empreendedorismo é uma jornada que você cria e compartilha. A partir do momento em que você enxerga uma ideia, uma oportunidade, até a hora de decidir que é capaz de aceitar esse chamado para a aventura. Confie em si mesmo.

Comece antes de estar pronto

Você nunca sabe se está pronto de verdade, porque quanto mais nos conhecemos, quanto maior é o nosso repertório e nossas informações, mais entendemos o quanto ainda há para conhecer, o quanto ainda não sabemos. Então sempre existirá um caminho que ainda precisa ser percorrido, nunca teremos chegado lá. O "lá" vai mudando no decorrer do processo. Portanto, comece antes de estar pronto, porque você nunca estará.

A mentalidade empreendedora

Qual a diferença entre ser empreendedor e ser empresário? Ao abrir seu próprio negócio, você automaticamente se torna um empresário, por definição. Você se torna então um administrador, mas isso não quer dizer que você se tornará um empreendedor. Empreendedor é aquele que busca, que toma para si a jornada, que toma a seu cargo uma empresa, no sentido de ação árdua e difícil que se comete com arrojo.

Empreendedor nato

O empreendedor nato é aquele que naturalmente possui o maior conjunto de características empreendedoras. Nasceu assim e não pode evitar. Vê oportunidades onde todos veem problemas. Enxerga as soluções para os problemas antecipadamente. É exceção, não regra.

Dica e consultoria

Quando houver dúvidas sobre se seu caminho é mesmo o de um empreendedor, busque uma consultoria sem medo. O Sebrae é a mais acessível delas. Estude, pesquise, corra atrás da melhor informação para descobrir seu caminho.

Comportamento empreendedor

De acordo com o Sebrae, estas são algumas das principais características de um empreendedor por vocação:

  1. Busca de oportunidade e iniciativa;
  2. Persistência;
  3. Correr riscos calculados;
  4. Exigência de qualidade e eficiência;
  5. Comprometimento;
  6. Busca de informações;
  7. Estabelecimento de metas;
  8. Planejamento e monitoramento sistemáticos;
  9. Persuasão e rede de contatos;
  10. Independência e autoconfiança;
  11. Ser curioso e investigativo;
  12. Estar preparado para trabalhar observando causas e efeitos;
  13. Ser orientado para a ação, para a implementação;
  14. Possuir otimismo e crença nas possibilidades;
  15. Ser orientado para a busca de solução de problemas, e não para busca a de culpados;
  16. Capacidade de lidar com falhas;
  17. Capacidade de lidar com a incerteza;
  18. Mentalidade de persuasão de vendas;
  19. Mentalidade livre da ideia de direito adquirido;
  20. Foco no resultado de cada ação;
  21. Mentalidade de parcimônia com tempo e dinheiro;
  22. Paixão, que vem da alegria de fazer o trabalho, porque trabalho duro, é preocupação. Então, se você não ama, falhará. Porque um empreendimento de sucesso é um processo de longo prazo, então, é preciso manter a vontade por um longo período.

Consistência

Um dos grandes segredos para construir um negócio de sucesso é a consistência. Você precisa aparecer todos os dias, deve fazer o que precisa ser feito. Precisa estar presente e realizando aquilo a que se propôs, um dia após o outro, consistentemente. A consistência é importante também na hora de criar um negócio e essa não é uma tarefa simples. Você precisa de foco para ir até a linha de chegada, porque no caminho existe um grande inimigo chamado resistência. Resistência é aquela força que existe dentro de nós e que nos mantém onde estamos. Ela se disfarça de racionalizações, desculpas, enrolação, outras ideias que parecem melhores, gratificações instantâneas e tudo mais.

Vencendo inimigos internos

Nossos três principais inimigos são a autossabotagem, a preguiça e a procrastinação. Não deixe nada para depois, confie em si mesmo e tenha grande disposição para seguir em frente.

Inconsistência dinâmica

Este é o termo dado ao comportamento humano que nos faz decidir uma coisa no momento inicial e fazer outra coisa no momento sinal. É esse nome que damos quando pensamos que amanhã vamos acordar mais cedo para fazer uma caminhada antes do trabalho, e na manhã seguinte decidimos que está friozinho demais para isso e continuamos dormindo após o despertador ter tocado. A resistência é o principal fator que a faz acontecer, portanto, fuja dela.

Crenças limitantes

Além da resistência e da inconsistência dinâmica, também precisamos combater as crenças limitantes. São quatro as principais delas.

  1. A crença de que você é fundamentalmente defeituoso;
  2. Deslealdade ou abandono;
  3. Acreditar que mais sucesso traz mais peso;
  4. O crime do ofuscamento.

O efeito cebola

Tal insight mudou a vida da autora. A resistência não vai embora, portanto, não existe um “felizes para sempre.” Nós criamos e crescemos em camadas, então sempre haverá algo novo para aprendermos. E quando estamos indo montanha acima, a resistência bate em suas mais diversas formas, não tenha dúvidas.

Perguntas antes de empreender

Antes de empreender, você deve ter na sua mente as respostas para as seguintes perguntas:

  • Por que você quer esse negócio?
  • Quais são sua missão e sua visão com essa ideia?
  • Como quer se sentir com isso?
  • Quem é você? Você conhece suas habilidades pessoais?
  • Quais são seus valores pessoais?
  • E a sua personalidade?
  • Como você é enquanto empreendedor?
  • O que lhe faz se sentir mais vivo?
  • O que drena completamente suas energias?
  • Como desejo passar meus dias?
  • A quem eu quero servir?

A importância do significado

Somos irrelevantes e precisamos criar nosso próprio sentido e isso pode refletir no negócio pelo tempo que vamos passar ali. Ele deve representar bem mais do que o mero sustento, ele deve ter um pouco de nossa alma. Se seu negócio não tem nenhum significado para além do dinheiro no bolso, está fadado ao fracasso.

A montanha-russa

Quando um negócio já está funcionando e os números não estão fechando, começam os problemas. A ansiedade toma conta dos empreendedores e pode ser sentido por todos na organização. Os clientes começam a pedir produtos e serviços novos e preços diferenciados, e os donos, desesperados, começam a tentar atender a todos os pedidos possíveis para não perder nenhuma venda. Os processos internos da empresa começam a não valer mais nada, e exceções e mais exceções passam a existir. As ofertas vão ficando cada vez mais confusas, e os funcionários, quando existem, começam a sentir insegurança e desconfiança em relação à coisa toda. A tensão vai se construindo e pode ser sentida no ar. O negócio vai perdendo o foco, e fica difícil saber no que apostar de verdade. Esse não é um cenário incomum. E ele pode ser vivenciado de duas maneiras. A mais comum delas é deixar a sensação de desespero tomar conta, não agir de forma assertiva e levar a espiral destrutiva até as últimas consequências caso não haja nenhuma mudança meio que milagrosa no caminho. Quando essa é a opção que entra em cena e o negócio termina, os empreendedores saem derrotados, com um sentimento de perda, frustração e mágoa. Esses são os empreendedores que dificilmente tentam uma nova empreitada e que muitas vezes se tornam pessoas negativas, sempre dizendo aos outros para nem tentarem porque não vai dar certo. Uma outra forma de vivenciar esse processo é com clareza e assertividade. É mais fácil conseguir isso se o planejamento do negócio foi feito de forma possível, com ação e conhecimento prático, e não só como exercício intelectual. Nesses casos, o empreendedor conhece bem seu mercado e consegue identificar melhor os erros e imaginar e testar possibilidades de acerto. Ainda que nada funcione, o desespero não aparece.

Por que as empresas morrem?

Eis os principais motivos que levam as empresas a fecharem em seus primeiros anos, todos eles relacionados à gestão empresarial e problemas no perfil empreendedor: 61% dos que fecharam a empresa nos primeiros anos não procuraram uma consultoria, 55% não elaboraram um plano de negócios e 46% das empresas não sabem o potencial de clientes que podem ter.

Visão e objetivos

Além da visão de negócio que precisa ser desenhada de forma completamente alinhada às outras áreas, é também importante ter um plano de ações para atingir as metas traçadas e saber exatamente aonde se quer chegar. Se antecipar aos fatos, buscar intensamente informações e persistir com clareza nos objetivos são comportamentos que destacam os empreendedores de sucesso.

Autenticidade

Em seu planejamento, você traçará a estratégia de seu negócio. Nesse caminho, busque sempre a diferenciação. Tente injetar autenticidade em seu negócio. Uma voz única, um porquê.

Plano de negócio

É formado por uma série de análises que devem ser compiladas em um único documento. Ele pode ser criado em uma planilha, um documento de texto ou mesmo com lápis e papel. Em qualquer que seja o formato, trata-se de um documento volumoso que deve servir como base e guia para desenhar e criar o negócio.

Mudar a mentalidade

A mentalidade inflexível de acreditar que “eu sei o que estou fazendo!” pode funcionar como um gesso que trava o processo empreendedor e pode decretar a falência de uma ideia.

Grande o suficiente, pequeno o suficiente

Quanto é grande ou pequeno o suficiente? Isso depende do tipo de negócio que está abrindo, do mercado em que deseja entrar e de qual é o capital disponível.

Maiores erros dos empreendedores

1- Achar que sua ideia é perfeita e que todos apoiaram por ser incrível;

2- Ter certeza de que o negócio lhe trará felicidade sem saber o que lhe provoca felicidade;

3- Ter certeza de que é capaz de implementar o negócio com sucesso sem nunca ter testado suas habilidades específicas para essas situações específicas;

4- Olha para as métricas erradas para verificar sucesso ou falha;

5- Começar maior do que devia;

6- Começar com menos dinheiro do que devia;

7- Não entender que a prática ganha da teoria e do estudo quando falamos de negócios;

8- Não entender que não existem fatos no planejamento em papel. Ali, tudo é suposição;

9- Entender que essa experiência não pode ser terceirizada;

10- Não entender que nenhum plano sobrevive ao campo de batalha. Todos erraremos e precisamos nos adaptar a eles, de forma rápida;

11- Achar que sabe quais diferenciais o cliente está buscando sem pesquisar;

12- Não prever de antemão os espaços para erros e consertos;

13- Achar que seu planejamento financeiro é impecável;

14- Não ter paixão pela missão e visão do negócio.

As diferenças

As principais diferenças de uma micro ou pequena empresa em relação a uma startup são as de que uma micro ou pequena empresa:

  • Trabalha em cima de um modelo de negócios que já existe;
  • Não necessariamente tem a ambição de crescer e escalar;
  • Não acha que faturar um milhão ao ano seja pouco;
  • Tem definições de sucesso variadas e diferentes dependendo do empreendedor;
  • Não está em busca de grandes investimentos de capital de risco. No geral, usa capital próprio, familiar, de amigos ou de bancos.

As semelhanças

  • A microempresa ainda não sabe quem serão seus clientes;
  • A microempresa ainda não sabe quais serão as características finais de sua oferta.

Desenvolvimento de clientes

Decidir que o produto é bom, que as empresas irão querer compra-lo, que existe mercado suficiente e que o modelo de negócios está bem desenhado e é, portanto, viável, são, na verdade, um conjunto de crenças nas quais decidimos acreditar. E muito mais vezes do que gostaríamos, na maioria das vezes, na verdade, essas crenças estão erradas e se provam desalinhadas com a realidade do mercado. E quando não existe um processo para analisar e perceber os problemas a tempo e, mais ainda, um processo de aprendizado e alteração de rota a postos, o que vemos é que o barco navega rumo ao abismo, sendo que o comandante só reconhece o problema quando já é tarde demais.

As 4 Etapas para o desenvolvimento de clientes

São duas etapas macro: busca e execução. Na busca, primeiro descobre-se o cliente para depois validar se ele é mesmo ou não um potencial cliente. Na execução, cria-se o cliente para que se construa a organização que irá atendê-lo.

Canvas

Para auxiliar na visualização do modelo de negócio a ferramenta Canvas ou Business Model Canvas é uma excelente dica. Ela mostra por meio de um mapa visual a representação resumida dos principais elementos que constituem uma organização, dividido em 9 blocos. Trata-se de um modelo de fácil elaboração e interpretação que auxilia empreendedores na criação de soluções para resolver problemas existentes, permitindo traçar planos de ação de acordo com a realidade da empresa. Pela facilidade de reunir, organizar e até mesmo alterar dados de um modelo de negócio. O Canvas é muito utilizado para desenhar Startups em fase inicial, bem como em microempresas e está disponível em diversos links da internet para acelerar o crescimento de seus negócios. São esses os nove itens a serem descritos no Canvas:

  • Proposta de Valor;
  • Segmentos de Clientes;
  • Relacionamento com o Consumidor;
  • Canais de Distribuição;
  • Atividades Chaves;
  • Recursos Chaves;
  • Parceiros Chaves;
  • Fluxo de Receita;
  • Estrutura de Custos;

Metodologia #EE

A metodologia #EE, criada pela autora, tem como base o princípio de que nada acontece de forma linear. Quando estamos apaixonados pela nossa ideia de negócio, não temos perspectiva real no assunto e portanto é normal fazermos previsões incorretas.

Enxergamos uma oportunidade de mercado ou acreditamos que uma ideia é viável para ser posta em prática. Então, quando se tem conhecimento necessário para partir em busca da essência do negócios, parte-se para um processo de redução. Aqui, desmontamos a versão completa do sonho em partes, a fim de chegar à porção mais importante, no item mais crucial e que contém a maior necessidade que seu mercado precisa ter atendida, além do diferencial de mercado mais interessante.

Depois, cria-se valor, gera-se valor na ideia, para então fazer escolhas e refinar o que de fato é importante para o empreendimento.

Então, põe-se em teste, lista-se os chekpoints e o que dá certo vira hábito!

Paixão pela missão

Qualquer empreitada que vá ser desenvolvida por um longo período de tempo precisa ter uma motivação muito grande para manter seu ritmo e sua intensidade. Na jornada empreendedora, como em qualquer outra, surgem obstáculos no caminho, provações que testam nossa determinação, inimigos e perigos de toda espécie, e sem um porquê forte fica fácil desmoronar e desistir no caminho. A missão, nesse caso, é a primeira etapa de validação, pois é o que nos dá forças quando precisamos lembrar por que estamos fazendo tudo isso. Por que decidimos nos colocar nessa posição e ter tanto trabalho.

Notas finais

Ufa! Se chegou até aqui, viu que não há uma fórmula para o empreendedorismo, ainda que não seja nenhum bicho de sete cabeças do qual somos incapazes de enfrentar. Há diversos caminhos, só você descobrirá o seu. É possível empreender no sentido de lutar, ir atrás, desvendar a melhor forma de fazer o que é seu e descobrir o seu caminho. Vamos à luta!

Dica do 12'

Confira mais livros deste estilo em nossa categoria de Empreendedorismo!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Gi Baccarin é empreendedora, consultora e autora. Seu trabalho foca nas áreas de empreendedorismo, novos negócios, planejamento estratégico, marcas e tendências. Sua missão é dar aos negócios de seus clientes chances reais de sucesso no mercado. Costuma usar sua própria vida como l... (Leia mais)