A Menina do Vale Resumo - Bel Pesce

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

2025 leituras ·  4.6 avaliação média ·  683 avaliações

A Menina do Vale

A Menina do Vale Resumo
Startups & Empreendedorismo

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8577342808; 978-8577342808

Também disponível em audiobook

Resumo

Uma jornada empreendedora

Bel Pesce se assume obcecada por conhecimento desde a infância. Em 2006, ela realizou o grande sonho de estudar no MIT, uma das mais conceituada universidade de tecnologia do mundo e, por volta de 2012, ano do lançamento desse livro, mudou-se para o Vale do Silício, na Califórnia.

Ela passou tanto por empresas gigantes, como a Google e a Microsoft, quanto por startups, iniciando projetos do zero.

Na época em que A Menina do Vale foi lançado, um dos seus principais empreendimentos era a startup Lemon, um aplicativo feito para ajudar as pessoas a organizarem suas finanças.

Tudo isso apenas aos 24 anos, mas ela garante: não há idade certa para começar a empreender.

Empreenda seja novo, seja velho

Se seu sonho é empreender, você não deve se desmotivar por conta da sua idade. Nesse caso, o que realmente importa é:

  • ser apaixonado por solucionar problemas;
  • melhorar a vida das pessoas;
  • estar disposto a trabalhar arduamente para fazer as coisas acontecerem;
  • aceitar que nem tudo dará sempre certo, estar pronto para aprender com isso e, consequentemente, tentar de novo.

Você sabia que Ray Croc conheceu os irmãos McDonald depois dos 50 anos e aos 52 começou a sua jornada para fazer da lanchonete a maior rede de fast food do mundo, mesmo tendo pouca experiência no ramo alimentício?

Ou que Catherine e Dave Cook fundaram a MyYearBook, uma versão digital para álbuns de fotografia, em seu projeto inicial, na adolescência? Ah! Ainda no Ensino Médio, ambos venderam a empresa por 100 milhões de dólares.

Esses casos extremos servem para exemplificar que a preocupação com a idade na hora de empreender é desnecessária e só tem a capacidade de distanciar você dos seus sonhos.

Então, acredite que, independentemente da sua idade, você pode empreender e transformar seus sonhos em realidade.

Pense em quem inspira você de verdade

Falando em sonhos, saiba que eles fazem muito bem a você e, inconscientemente, ajudam nas suas conquistas e metas, mas também podem ser preocupantes se fazem você se limitar profissionalmente.

Nesse caso, ter alguém que você admire pode ajudar a se manter focado e comprometido com suas conquistas e ambições. Afinal, se aquela pessoa chegou lá, você também pode!

E não se prenda a idolatrar apenas uma pessoa! Descubra vários empreendedores que estimulam  você de alguma forma e veja o melhor de cada um deles.

Bel Pesce, por exemplo, admira o senso aguçado para negócios de Richard Branson, fundador do Virgin Group; o visionarismo de Steve Jobs, da Apple; a determinação de Ayrton Senna, o piloto de Fórmula 1 e a habilidade de lidar com as pessoas de Silvio Santos, criador de uma das maiores emissoras televisivas do Brasil.

Ter referências profissionais e saber o que as torna admiráveis a partir do seu ponto de vista, servem para você se conhecer mais e entender o que realmente importa para sua carreira como empreendedor.

Conte com a experiência de quem entende do assunto

Além de ter perfis para se inspirar, outra dica muito importante é consumir conteúdos valiosos sobre os temas que cercam o empreendedorismo.

Qualquer tipo de material que foi produzido sobre ou por quem está nesse ramo há um bom tempo é uma ótima opção para acelerar o seu aprendizado.

Nesse contexto, a autora compartilha algumas obras que a ajudaram ao longo da carreira.

Nessa obra, Blank explica a metodologia do “desenvolvimento de clientes”.

Uma proposta que se baseia no teste de hipóteses de negócios fora do escritório, ou seja, nas ruas.

Algo que serviria para validar ideias e criar empresas que atendem as necessidades do consumidor real.

De acordo com Blank, esse método se divide em:

  • descoberta do cliente: fase em que se descobre se realmente há pessoas que desejam seu produto e qual o valor elas dão a ele;     
  • validação do cliente: etapa para provar que é possível ter um ciclo de     vendas sustentável com base na quantidade de pessoas que     experimentaram o produto e tornaram-se clientes a partir disso.
  • criação do cliente: momento para decidir qual melhor estratégia para     crescer a base de clientes;
  • construção da empresa: hora de montar toda a estrutura empresarial.

 

Ao contrário da obra de Blank, que oferece uma metodologia para desenvolver o cliente, a obra A Startup Enxuta, de Eric Reis, fala sobre um método feita para aprimorar o produto, criando algo que os consumidores, de fato, desejam por meio da compreensão de alguns conceitos, como:

  • aprendizado validado: são conhecimentos que podem ser aplicados para melhorar e acelerar o desenvolvimento da empresa, não importando quais foram     os tropeços pelo caminho, desde que você tenha aprendido com eles;
  • mínimo produto viável: é a versão de um produto a partir do máximo     aprendizado validado somado ao menor esforço possível;
  • pivot: são as correções que o seu produto receberá durante o processo de aprimoramento. No mundo das startups, é comum dizer que algo “pivotou”, ou seja, ganhou nova face ou propósitos diferentes do que foi pensado no início.     

Há vários conceitos neste livro para orientar você no desenvolvimento de um produto ideal, o que fazem da obra uma leitura muito recomendada por Bel Pesce.

A autora ainda indica as obras Startup, da Jessica Livingston e Startup Brasil, do Pedro Melo.

Para quem reconhece o valor dos blogs, Bel Pesce cita os brasileiros Startupi; Webholic; Inovação e Negócios; ResultsON; BizRevolution; O Pulo do Gato; Blog da Aceleradora; Beco com Saída; Blog da Endeavor Brasil; Tribo do Mouse; Saia do Lugar; Brasil20 e o Startups Brasil.

Já os videocasts brasileiros sobre empreendedorismo ficam por conta do Man In The Arena (MitA); Geração de Valor (GV) e Brasileiros no Vale.

Saiba compartilhar e aprender

Algo que ajuda a lidar com a ansiedade, agonia e dúvidas é conversar com outras pessoas.

Como empreendedor, sua vida será recheada de momentos de incertezas e ouvir outras opiniões é algo positivo. Afinal, é bem possível que você não seja a única pessoa do mundo que passou por uma determinada dificuldade.

Se você está lançando um produto e se sente inseguro sobre determinado ponto, compartilhe essa dúvida com pessoas que fizeram isso no passado. A Menina do Vale diz que essa lição mudou sua vida.

Conhecer pessoas que viveram experiências pelas quais você está passando agora e receber conselhos delas é um privilégio que poucos têm. Se puder ter isso, abuse.

Agora, se você já lançou um produto, mas ainda tem incertezas sobre ele, aproveite para saber a opinião do seu usuário, seja por meio de conversas, seja através de pesquisas. Esteja aberto a esse diálogo e reconheça a importância dele para o seu empreendimento.

Uma boa pedida também é ouvir seus funcionários. Muitos problemas podem ser maximizados se você tentar consertar um erro sem entender como ele foi originado.

Apenas não se esqueça: as decisões sobre o seu negócio são essencialmente suas. Ouça os outros para ampliar sua visão e conhecer novas perspectivas.

Lembre-se da importância da humildade

Não importa o quanto você conquistou na sua vida, sempre há mais para aprender.

Além disso, vivemos sempre em altos e baixos profissionais ou pessoais e se sentir superior em relação a outras pessoas não faz sentido algum.

Por isso, você precisa ter humildade nas suas relações profissionais. Isso significa que você deve ser honesto consigo mesmo e ter consciência de que sempre pode ser alguém melhor, tirando o máximo de proveito das suas experiências.

Ser humilde é estar disposto a ouvir as pessoas que estão ao seu redor e isso pode trazer inúmeras vantagens para você, já que é mais fácil ganhar a confiança das pessoas quando você mostra interesse pelo que elas têm a dizer.

Além disso, a cultura da humildade dentro de uma empresa gera, consequentemente, uma comunicação aberta entre os funcionários.

Isso faz com que as tarefas sejam executadas de forma hábil e contribui para o desenvolvimento da empresa.

Essas práticas e o cumprimento delas tornarão você cada vez mais confiante, entretanto, é necessário ter cuidado, pois há uma linha tênue entre a confiança e a arrogância. Veja bem:

  • confiança: é sua amiga. Faz você acreditar que pode resolver os problemas mais difíceis, ajuda a motivar equipes e lhe dá uma explosão de energia para continuar trabalhando bem quando você mais precisa;
  • arrogância: é o resultado da sua confiança aliada ao seu ego. É algo que você deve abolir da sua empresa a qualquer custo.

Esse último aspecto complica o diálogo e torna o ambiente profissional um lugar extremamente desagradável para se estar.

Monte uma equipe “para casar”

O dia a dia de um empreendedor é enfrentar mudanças constantes.

Nessas situações é importante não estar ligado emocionalmente às soluções elaboradas no começo da empresa.

O melhor é achar um problema que precisa ser resolvido e tocar várias vidas de uma maneira positiva.

Nesse cenário, ter uma equipe qualificada, interessada e apaixonada pelo que faz torna-se primordial.

Agora, imagine que você basicamente vive o dia todo acompanhando da sua equipe de trabalho? As decisões podem se tornar ainda mais difíceis.

Por isso, trate o seu negócio como um casamento. Isso quer dizer que você terá momentos maravilhosos, mas passará por dificuldades e será nesses casos que você não deve se arrepender de quem escolheu para estar do seu lado.

Invista em quem tem habilidades complementares às suas e que ajude você a conquistar suas metas.

Por conta disso, muito profissionais optam por escolher pessoas com quem trabalharam antes e isso faz muito sentido. Também é importante que, mesmo que um profissional seja incrível individualmente, ele precisa saber desenvolver projetos em equipe.

Lembre-se de encontrar alguém que você consiga conviver e trabalhar durante dias e noites, sempre com respeito, confiança e admiração. Algo bem semelhante a um casamento, não é mesmo?

Monte seu plano de negócios

O plano de negócios é o primeiro passo para iniciar seu empreendimento. É nesse material que você descreverá a visão para o seu negócio e suas projeções financeiras em várias seções, como:

  • descrição do negócio: texto explicativo sobre os produtos e serviços que a empresa oferecerá. Também deve apresentar um panorama detalhado do mercado da empresa e seus concorrentes;
  • planos detalhados de marketing, vendas e engenharia: documentos que, além de tudo, servem para mostrar quem são as pessoas por trás da ideia e porque elas formam a equipe certa para executá-la;
  • finanças: parte imprescindível do seu plano, que deve incluir, no mínimo, Balanços Patrimoniais, Demonstração do Resultado do Exercício e Demonstrações do Fluxo de Caixa para os primeiros anos do negócio.

Assim que o seu plano estiver pronto, você deve montar um sumário executivo, que geralmente possui cerca de duas páginas, disponibilizando uma boa visão geral do seu negócio, incluindo o estado atual da empresa e planos futuros.

Agora que você já aprendeu o básico sobre como montar seu plano de negócios, chega a ser uma pena informar que ele poderá estar desatualizado assim que você acabar de escrevê-lo, contudo, o verdadeiro propósito da sua dedicação a ele foi atingido.

Isso porque o real valor do plano de negócios está no tempo que você gasta pensando sobre a sua ideia, na pesquisa feita sobre o mercado e concorrentes e na avaliação inicial de possíveis estratégias.

Seja rápido, mas paciente

As empresas que têm sucesso não são aquelas que criam rapidamente o produto que têm em mente, mas sim aquelas que aprendem o mais breve possível.

É muito importante que você tenha agilidade na criação do seu produto e nos processos da empresa. Afinal, a concorrência está aí e você sempre corre o risco de outras empresas estarem trabalhando num projeto semelhante ao seu de forma mais rápida.

Entretanto, isso não quer dizer que você deva enfiar os pés pelas mãos. Você precisa de paciência para validar seu negócio.

Geralmente as empresas que têm sucesso são aquelas que montam um ciclo de feedback para validar suas suposições, que no método Lean Startup é chamado de Construir-Medir-Aprender.

Veja o exemplo de uma das maiores lojas de sapatos online do mundo, a Zappos, que começou com um site simples, no qual a cada venda os fundadores iam até uma loja física comprar o sapato escolhido pelo cliente e o enviavam pelo correios.

Todo esse trabalho para testar a hipótese de que as pessoas gostavam de comprar sapatos online.

Foi apenas a partir do resultado positivo que os fundadores resolveram investir em tecnologia e automatizar o processo de venda.

Como você pode perceber, houve a construção de um produto simples, a possibilidade de medir quantos visitantes se tornaram compradores e, com isso, eles aprenderam que essa quantidade era atraente e, finalmente, puderam investir mais no negócio.

Quando chegar sua vez, tenha certeza de não se ater durante muito tempo em cada etapa do ciclo e certifique-se de que você está indo para o caminho correto a cada detalhe.

Saiba o que faz o Vale do Silício ser o que é

Mais paixão, networking e menos glamour.

O Vale do Silício é um local de empreendedores cheios de garra, vontade de aprender e dedicação.

Sendo assim, poderíamos até ousar dizendo que o Vale do Silício não se resume a um ponto geográfico específico, mas sim a um local onde você encontrará profissionais completamente apaixonados pelo que fazem, inúmeras possibilidades de networking para alavancar seu negócio e muito menos glamour do que se imagina.

Esses três fatores são pontos em comum encontrados entre empreendedores do Vale e que você deve buscar para si. Aqui, as dicas são:

  • investir em algo pelo qual você realmente é apaixonado, acredita no potencial e não mede esforços para executar;
  • aproveitar os contatos para além do seu círculo social, checando como os profissionais que cercam você podem ajudar seu negócio e vice-versa;
  • não ter medo de pôr a mão na massa. A vida de CEO é, sem dúvida, a parte mais difícil e foge de um cotidiano repleto de luxo, como muitos imaginam.     

Em meio a isso tudo, encontre coisas que tenham o poder de motivá-lo quando você não estiver em seus melhores dias. Pense que é um método preventivo para manter seu ritmo de produtividade acelerado.

Pode ser uma música, um livro ou até mesmo uma campanha publicitária. Encontre algo que energize você e faça diferença no seu dia a dia.

Evite o maior erros de todos

Você vai errar e é inevitável.

Alguns erros chegam a ser tão sutis que você pode até não reparar neles. Por exemplo, você pode estar sempre com pressa e nunca parar para ouvir novas ideias.

Seja qual for a proporção das suas falhas, saiba que você as terá e não há como fugir disso.

Muitos fundadores de sucesso são capazes de aprender rapidamente com os erros e esse é o segredo. Aprenda com os seus.

Será a sua capacidade de aprender com os erros que tornará você um empreendedor competitivo.

Contudo, tem um erro que você não pode cometer. O erro de se acomodar de deixar de correr riscos.

Não permita que as pessoas o desencoraje a dar vida aos seus sonhos e seguir suas paixões no mundo do empreendedorismo.

Lembre-se de que o maior risco é aceitar um “não” como resposta, quando o “sim” é uma possibilidade.

Se você se esforçar ao máximo e, mesmo assim, algo não deu certo, não se arrependa. Ao menos, você sabe que deu o seu melhor e não se acomodou perante as dificuldades.

Vamos a um exemplo: imagine que você está participando de uma competição de planos de negócios e realmente quer ganhar o prêmio de melhor empresa, o.k.?

O pior que pode acontecer é você não participar da competição. Nesse caso, com certeza, você não terá chances de ganhar.

A segunda opção é participar do concurso, mas não se dedicar e fazer tudo de qualquer jeito.

Agora, digamos que você sabe que tentou o seu melhor e aprendeu muito ao longo da competição. Independentemente do resultado, você é um vencedor.

Começar uma empresa é mudar de vida

Começar uma empresa requer uma grande mudança em sua vida. Para isso, você precisa mergulhar de cabeça nessa experiência, mesmo que ela seja repleta de coisas que você desconhece.

Ser empreendedor é tomar grandes decisões diante de incertezas ainda maiores. E isso tem a ver com sair da sua zona de conforto e começar a repensar seus hábitos.

Saia por aí conhecendo pessoas novas sem ter medo de viver o momento, cante em público, viaje para lugares desconhecidos. Faça coisas que você jamais fez. Ouse.

Só assim você entenderá que as possibilidades são infinitas e de que nada, absolutamente nada, é impossível.

Tenha iniciativa

Executar as diversas tarefas e afazeres que nos passam diariamente não é ter iniciativa. É cumprir com as expectativas.

Ir além delas é dar um passo à frente. É pensar de maneira diferente ou, finalmente, iniciar um projeto próprio. É pensar em quanto você deseja conquistar alguma coisa e ignorar as regras para se chegar até lá.

Por exemplo, todos os seus amigos procuram emprego quando estão no seu terceiro ano de faculdade? Encontre um trabalho no primeiro ano.

Você ama guitarra e seu professor de música espera que você toque uma hora por dia? Toque muito mais.

Todo mundo começa a se preparar para os vestibulares alguns meses antes da prova? Comece a praticar anos antes.

As pessoas são promovidas a cada dois anos em sua empresa? Faça um trabalho fenomenal e seja promovido mais rapidamente.

Você é capaz de coisas que nem sabe

Faça uma lista de algumas de suas metas para o ano. Se você tiver iniciativa, provavelmente, poderá alcançar cada uma delas.

Imagine em como você pode usar a iniciativa para ir além das expectativas. O resultado pode ser surpreendente até para você

Notas Finais

Bel Pesce desmistifica o empreendedorismo ensinando que qualquer pessoa que seja apaixonada pelo que faz e tenha a capacidade de aprender com os erros consegue, com muito esforço e dedicação, dar vida a um negócio.

Agora que você conheceu as dicas dessa jovem empreendedora, que tal pôr, enfim, suas ideais em prática?

Dica do 12'

Se você curtiu esse microbook e ficou ainda mais curioso para entender sobre empreendedorismo, leia Vai Lá e Faz, do Tiago Mattos, também disponível aqui no 12’.

Acreditamos também que você possa se interessar pelo filme The Founder, que conta a história de Ray Croc, do McDonald’s, citada anteriormente.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Isabel Pesce Mattos, também conhecida como Bel Pesce ou a "menina do vale", é uma palestrante, escritora, suposta investidora e empreendedora brasileira. É conhecida por afirmar ter feito parte da equipe de fundadores da empresa norte-ame... (Leia mais)