Soft Skills

Adriana Cubas Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Neste microbook, Adriana Cubas, referência em coaching e treinamento com cases de sucesso em empresas como Unilever, Claro e Coca-Cola, apresenta os principais elementos do conceito de Soft Skills e sua importância para os profissionais do presente e do futuro.

A cada ano, o mercado fica mais competitivo. Novos pré-requisitos, competências e habilidades são exigidos para o preenchimento das melhores vagas. Currículos recheados de intercâmbios, MBAs, pós-graduações e cursos, embora ainda sejam valorizados, já não são o bastante.

Para entender melhor como reposicionar sua carreira ou conquistar aquela posição dos seus sonhos, leia este microbook até o final e entenda, em apenas 12 minutos, o que fazer para não perder as oportunidades que surgem em meio a tantas e tão radicais mudanças. Boa leitura!

1999: como o mercado era há 20 anos atrás?

Em 1999, o mercado apresentava um contexto menos complexo e uma competição bem menos intensa, pois, as qualificações exigidas dos profissionais apresentavam um escopo muito mais reduzido, em comparação à realidade atual. Para Cubas, esse período foi caracterizado por elementos como:

  • poucas mudanças e baixa complexidade;
  • pouca diversidade tecnológica, étnica e de gênero nas empresas;
  • carreiras estáveis e previsíveis;
  • mercado de trabalho formalizado;
  • início da internet e das soluções tecnológicas incipientes.

2019: como é o mercado atual?

Nos dias de hoje, as mudanças no mercado de trabalho são constantes e, na maioria dos segmentos, absolutamente frenéticas. Tal volatilidade leva os profissionais a prestarem mais atenção ao que ocorre à sua volta, a fim de impedir a perda de vantagens competitivas e sua superação pelos concorrentes.

Diferentes ambientes de trabalho, flexibilidade de horários, novas composições hierárquicas e a disseminação dos aplicativos são apenas alguns dos elementos que integram o “admirável mundo novo” do trabalho. Assim, Cubas elenca algumas das particularidades responsáveis por reconfigurar o mercado e, consequentemente, as relações profissionais:

  • diversidade;
  • agilidade mental;
  • mudanças constantes;
  • alta complexidade;
  • informalidade;
  • flexibilidade;
  • conectividade.

O deslocamento do foco

Adriana Cubas ressalta a importância de mudar a nossa mentalidade, a fim de adequá-la ao tempo em que vivemos, de grandes incertezas e instabilidades. O foco do mercado, em 1999, estava no desenvolvimento de:

  • Hard Skills;
  • conceito de empregabilidade;
  • carreiras estáveis.

Em 2019, porém, o foco está no:

  • desenvolvimento de Soft Skills;
  • conceito de trabalhabilidade;
  • busca por legado e propósito.

Isso significa que o mercado atual requer profissionais dispostos a contribuírem e que entendam o “todo”, em vez daqueles cuja mentalidade se resume a “bater o cartão e ir embora”.

As principais diferenças entre Hard Skills e Soft Skills

Hard Skills são competências técnicas concretas, quantificáveis e de aprendizado técnico. Elas podem ser desenvolvidas por meio dos métodos tradicionais de ensino formal, incluindo cursos, treinamentos, graduações, pós-graduações e afins. Alguns exemplos de Hard Skills são:

  • a operação de máquinas;
  • a gestão de projetos;
  • as certificações, Mestrado e Doutorado;
  • o domínio de sistemas computacionais;
  • as habilidades em vendas;
  • a programação;
  • o domínio de línguas estrangeiras.

As Soft Skills, por sua vez, são as competências comportamentais relacionadas aos traços de comportamento que caracterizam nossos relacionamentos com outros. Tratam-se de aprendizados subjetivos e, como tais, difíceis de serem analisados, como a capacidade de tomar decisões, a positividade e o pensamento crítico. Cubas nos oferece alguns bons exemplos:

  • a persuasão;
  • a paciência;
  • a motivação;
  • o comportamento ético;
  • a flexibilidade;
  • a boa comunicação.

Estamos vivendo uma época na qual a educação emocional é de grande relevância para a construção de carreiras de sucesso. Infelizmente, contudo, muitas pessoas ainda estão com um pensamento de 20 anos atrás.

Sem embargo, enquanto ficarmos presos à mentalidade de 1999, será muito difícil nos adaptarmos às mudanças que, atualmente, exigem muito de cada profissional.

Nesse sentido, as Soft Skills adquirem ainda mais importância, à medida que nos permitem ajustar o nosso pensamento, permitindo aprofundar o autoconhecimento em relação, sobretudo, às nossas emoções, valores, limites, resultados, pontos positivos e negativos.

Qual a importância das Soft Skills no mercado de trabalho?

Segundo um relatório recentemente divulgado pela consultoria Manpower Group no Fórum Econômico Mundial, até 2020 um terço das competências será substituído por outras. De acordo com este levantamento, as competências essenciais são:

Resolução de problemas complexos

Os profissionais devem saber trabalhar com as causas e ter visão analítica. Isso não se refere às habilidades técnicas, como consertar máquinas ou operar sistemas. A resolução de problemas complexos depende, em grande medida, do pensamento crítico, da capacidade de tomar decisões e do potencial criativo de cada indivíduo.

Pensamento crítico

O pensamento crítico requer raciocínios lógicos, capacidade de compreender o cenário e de questionar as mais variadas ações a tomar, bem como as suas repercussões. O trabalhador deve superar seu status anterior, qual seja, o de mero executor de tarefas, por meio da reflexão e da consciência do que deve ser feito.

Criatividade

Essa habilidade é prezada em praticamente todos os tipos de atividades profissionais. Nos ambientes competitivos cada vez mais acirrados e tecnológicos, a criatividade é a característica que permite encontrar soluções para resolver problemas inesperados.

Gestão de pessoas

Os melhores resultados podem ser obtidos pelo compartilhamento de responsabilidades entre os membros de equipes multidisciplinares. Nesse cenário, a gestão de pessoas é, justamente, o que permite a eficácia das atividades desenvolvidas nas empresas.

Coordenação

Os trabalhadores coordenados são profissionais altamente organizados que não perdem o foco em meio à multiplicidade de prazos e tarefas. Eles não cedem ao peso do nervosismo e do stress constante.

Inteligência emocional

Boas doses de inteligência emocional são imprescindíveis nos mercados em que é preciso lidar com diferentes cenários e muitas pessoas ao mesmo tempo.

Orientação para servir

Orientação para servir os outros é a característica mais estimada, principalmente, em atividades nas quais é necessário lidar e atender diretamente os clientes internos ou externos.

Negociação

Essa é uma qualidade intrínseca aos ambientes corporativos, de modo que todos os profissionais que demonstram dominá-la obtêm claras vantagens no mercado de trabalho.

Flexibilidade cognitiva

A flexibilidade cognitiva pode ser descrita como a capacidade de ir além do pensamento automático e primário, flexibilizando a percepção e a memória para engendrar interpretações alternativas – qualidade crucial para se adaptar a diferentes situações.

Como podemos desenvolver as Soft Skills?

O conhecimento deve ser entendido como a matéria-prima da construção e da ressignificação de nossas trajetórias profissionais. Para que o aprimoramento seja possível, devemos apenas focar em nosso autoconhecimento profissional e pessoal.

É por esse motivo que Adriana Cubas propõe a utilização de uma ferramenta altamente eficaz: a análise SWOT pessoal, a fim de investigar os seus:

  • Pontos Fortes. Você deve se perguntar: por quais motivos tem sido elogiado? O que você executa de forma orgânica, aparentemente “sem esforço”? Quais conquistas você realizou e pelas quais se orgulha?
  • Pontos de Melhoria. Quais são as situações ou atividades que você geralmente tem que se esforçar muito para executar? Quais delas causam insegurança? Quais feedbacks você recebe para melhorar?
  • Oportunidades. Como os seus pontos fortes podem lhe beneficiar na melhoria dos pontos fracos e na conquista de novas oportunidades no mercado? Como usá-los a seu favor?
  • Desafios. Quais serão as consequências de se concentrar apenas na melhoria dos pontos fracos, ignorando os seus pontos fortes? Quais as chances de você se sabotar profissionalmente?

A partir das respostas que você der a essas perguntas, será mais fácil encontrar um método eficaz de, por um lado, desenvolver as Soft Skills que você ainda não possui e, por outro, otimizar ainda mais aquelas com as quais você já contam e, certamente, caracterizarão a sua atuação profissional.

Notas finais

Se você for capaz de administrar corretamente as suas emoções, terá melhores condições de se recuperar rapidamente das situações de estresse e conflito, tanto nos ambientes de trabalho quanto nas diversas questões que perfazem a sua vida pessoal.

Ao sentir emoções fortes, você pode se conscientizar delas, nomeá-las e deixá-las seguirem seu curso, escolhendo não reagir instantaneamente. Essa medida simples manterá sua mente e seu corpo relaxado, em alerta, mas sem estresse, facilitando o seu aprimoramento profissional e o desenvolvimento das Soft Skills que poderão lhe colocar no topo de sua carreira!

Dica do 12min

Gostou do microbook? Então, não perca a oportunidade de se aprofundar no assunto e qualificar significativamente o seu perfil profissional: assista ao webinar “Soft Skills: quais são as mais valorizadas pelas empresas?”, com Adriana Cubas!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: