Rookie Smarts

Liz Wiseman Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Se você é um profissional experiente buscando por renovação, essa é uma leitura obrigatória. É possível que depois de décadas de experiência, você mantenha seu entusiasmo, curiosidade e coragem ao aceitar novos desafios? Com a mentalidade correta, você pode! Esse livro explora como se aproveitar de algumas características e vantagens de ser um iniciante. E o mais importante: você pode manter essas características mesmo com anos de experiência!

Aprenda a reter a inteligência dos amadores e com essas práticas poderá incentivar a curiosidade, determinação e flexibilidade nos seus funcionários e em você!

A mentalidade dos amadores

Em diversos áreas, os iniciantes se saem melhor que os veteranos porque vivem na curva de aprendizado. Eles não têm medo de tentar coisas novas porque não sabem o que não vai funcionar. Felizmente, agir como um amador não tem nada a ver com sua idade ou experiência na área. Ao invés disso, tudo depende de como você pensa. Para utilizar a lógica dos amadores, existem quatro mentalidades amadoras que você pode usar, e quatro mentalidades dos veteranos que você pode evitar.

Quando mais de 400 locais de trabalho foram analisados sistematicamente, descobriu-se que os amadores alguém que nunca havia feito aquele tipo de trabalho antes), se saíram melhores que os veteranos (aqueles com experiência no campo). As razões para isso incluem:

  • Os amadores são normalmente mais inovadores e abertos a diferentes abordagens.
  • Amadores procuram conselhos rapidamente.
  • Amadores sabem que têm muito a aprender e trabalham duro para aprender rápido.
  • Amadores não têm pontos cegos ou pressupostos enraizados como os veteranos.

A mentalidade dos amadores é caracterizada por quatro modos de pensamento distintos. Esses modos são:

  1. Mochileiro
  2. Caçador
  3. Firewalker
  4. Pioneiro

Ter o comportamento de um amador depende de como pensamos e agimos quando estamos cientes de que estamos fazendo alguma coisa pela primeira vez. Os modos de pensar dos amadores e dos veteranos não são classificações de pessoas, e sim um modo de comportamento. É viável assumirmos um modo amador em um aspecto de trabalho e o modo veterano em outro aspecto, simultaneamente.

Considerando cada um dos quatro modos de pensamento amador:

O mochileiro

Muitos gestores de negócios se comportam como cuidadores. Eles possuem um histórico que protegem a todo custo. Por isso, buscam gastar seus tempos e energias tentando manter o status quo. Eles normalmente seguem os caminhos convencionais e possuem um olhar defensivo enquanto tentam proteger seus recursos.

Os amadores agem muito mais como mochileiros. Eles não têm nada a perder e, portanto, estão abertos às novas possibilidade e novas maneiras de fazer suas tarefas. Os mochileiros exploram novos terrenos com entusiasmo e quando decidem fazer alguma coisa, agem com sinceridade. Além disso, como eles não têm nenhuma reputação para proteger, os amadores estão dispostos a buscar novas práticas que se encaixam bem em seu trabalho.

Então como podemos adotar a mentalidade de um mochileiro? Algumas sugestões são:

  • Tenha o hábito de fazer perguntas inocentes – o tipo de pergunta que só um novato faria. Perguntas que simplifiquem e deem clareza são ideais. Você terá acesso a novas possibilidades fazendo perguntas fundamentais.
  • Tenha uma mentalidade limpa – e comece do zero. As escolas são boas nisso. Elas possuem semestre para você começar de novo. Dê a você e a seu time pontos de passagem periódicos, em que você pode começar de novo esquecendo o passado.
  • Dê livre acesso a seus recursos – e veja o que acontece. Além disso, reconstrua seu orçamento do zero. Pergunte: “O que eu faria aqui se não tivesse nenhum funcionário? “ Renove seu pensamento investigando novas oportunidades e possibilidades.

O caçador

Os amadores pensam e agem como caçadores que sobrevivem de suas caças. Eles percebem que estão em um território desconhecido e permanecem alertas e vigilantes. As consciências deles sobre suas inexperiências fazem com que aprendam rapidamente.

Em contrastes, é fácil para uma pessoa experiente ficar presa uma mentalidade local. Ela já viu tudo aquilo antes, e só precisa procurar pelos dados que confirmem o que ela já sabe. Esse tipo de pessoa está em uma posição confortável e acomodada na organização.

Antigamente, os caçadores saíam procurando por comida. Se você entrar nesse modo amador, você está admitindo que não tem recursos ou conhecimento e precisa avaliar seu ambiente e tentar descobrir o que está acontecendo. Você também não liga de procurar por especialistas e pedir ajuda. Você não vai ter muito a perder, então vai procurar e valorizar o conhecimento. Os amadores mobilizam facilmente o pensamento coletivo das multidões porque estão vulneráveis. Quanto mais você consegue mudar suas perspectivas e aprender com os outros, melhor será para você como um amador.

Para agir como um caçador:

  1. Transporte-se mentalmente para quando você era um novato completo – e lembre-se de como você se sentiu, o que você fez e como você abordou os desafios. Continue agindo como um novato.
  2. Multiplique seu conhecimento – construa uma rede de relacionamentos que você pode acessar para pedir conselhos. Tente manter quatro ou cinco especialistas na sua rede e faça muitas perguntas a eles. Procure por padrões úteis.
  3. Tente a mentoria reversa – convide um colega junior para ser seu mentor sobre novas abordagens e novas tecnologias.
  4. Acostume-se a conversar com estranhos – você nunca sabe o que uma injeção de novidade pode te trazer. Escolha pessoas que pensam diferente de você e aprenda com elas.
  5. Faça um mapa – mapeie quem são os players chave na sua indústria, quais as regras deles e o que eles valorizam. E pense em quem pode ser seu aliado para gerar mais valor a seus clientes.
  6. Faça a tarefa de outra pessoa – troque de tarefa com alguém por um dia e veja o que você pode aprender. Se for viável, peça a um colega de outro departamento para trocar de tarefa por umas duas semanas. Isso vai te trazer novos insights e ideias.

O Firewalker

Andar sobre o fogo é um ritual antigo, mas é também uma demonstração das leis da física. Um bom firewalker nunca para de se mover – ele dança através das brasas rapidamente, então seus pés não ficam muito tempo em contato com as brasas quentes. Bons amadores são assim também – eles não sabem o que estão fazendo, então agem de maneira ousada e se movem rapidamente enquanto se preparam para fazer ajustes rápidos quando for necessário.

As pessoas com experiência agem como maratonistas. Profissionais altamente experientes têm anos de feedbacks positivos sobre a qualidade de seus trabalhos, então se acomodam e trabalham de maneira constante, em um ritmo confortável. Os veteranos sabem que estão nisso por um longo tempo, então têm confiança para dar passos largos. É comum que os veteranos assumam que estão fazendo um bom trabalho, então não se preocupam em verificar isso com seus clientes.

Para agir como um firewalker:

  1. Tenha o hábito de dar passos pequenos e calculados – comece com aquilo que você é bom, e dê pequenos passos na direção que você quiser. Faça coisas diferentes e mude se for preciso. Se elas não funcionarem, será simples voltar e mudar a direção. Os amadores assumem riscos pequenos e bem pensados.
  2. Entregue rapidamente – para que você possa calibrar os resultados que está entregando com as pessoas que importam. Na prática, os amadores esperam cuidadosamente uma oportunidade para entregar. Começar pequeno e depois crescer é o segredo deles para a fama. Essa é a essência da metodologia lean também: experimente, receba feedbacks, faça melhorias, aprenda e continue repetindo isso.
  3. Procure ativamente feedbacks e coachings – e use essa informação para aprender. Os amadores pedem conselhos para todos. Isso faz com que aprendam rapidamente enquanto trabalham duro. O feedback é muito útil para converter a informação crua em inteligência.
  4. Crie um espaço seguro para experimentações – descobrindo quais aspectos do seu trabalho devem ser realizados com perfeição e quais tarefas estão em áreas que o fracasso não atrapalha muito. Então você usa essa segunda opção como um laboratório para tentar novas ideias sem prejudicar os stakeholders. Assuma alguns riscos em uma série de passos calculados e pequenos.
  5. Esteja preparado para sujar suas mãos – se aproxime dos seus clientes, stakeholders e funcionários.

O pioneiro:

Os amadores são muitas vezes pioneiros. Eles constroem caminhos em novos territórios todos os dias, entrando em novos campos e tentando coisas novas. Os amadores sabem que têm menos experiência e precisam trabalhar duro para compensar essa desvantagem

As pessoas com experiência são mais acomodadas, entram em suas zonas de conforto e ficam lá indefinidamente. Os acomodados confiam no que está disponível e seguem procedimentos estabelecidos o tempo todo. Eles não estão preocupados em encontrar novas e melhores maneiras para fazerem as coisas, ao invés disso caem no velho ditado “a maneira como fazemos as coisas por aqui”.

Para agir como um amador, você precisa se acostumar a viver no limite, ao invés de se acostumar com a mediocridade. Os pioneiros constroem novas ferramentas e estruturas, e os novatos fazem a mesma coisa. Você precisa descobrir as coisas por você, e será capaz de chegar onde quer chegar.

Além disso, os pioneiros não têm horas marcadas. Eles não largam suas ferramentas às 17 horas e vão embora. Ao invés disso, trabalham com urgência e são implacáveis. Esse é um novo aspecto da mentalidade do amador. Você precisa enfrentar grandes gaps em seu conhecimento e capacidades, e trabalhar duro para ser bem-sucedido como um amador.

Para construir uma mentalidade pioneira e se posicionar em sua zona pessoal de desconforto você pode:

  1. Se desqualificar – procure um emprego para o qual você não é qualificado no momento. Ao invés de utilizar seus pontos fortes, arrume um emprego no qual você será forçado a aprender. Arruma um emprego em uma nova área ou assuma um papel mais amplo em sua organização. Isso vai te forçar a sair da sua zona de conforto.
  2. Seja um “especialista pela metade” em alguma área – em outras palavras, veja quão rápido você pode chegar na metade do caminho na curva de aprendizagem de alguma área diferente. Aprenda as coisas básicas rapidamente e descubra os últimos desenvolvimentos na área.
  3. Procure por um problema em sua carreira – se apegue a isso e deixe que o problema te leve a um novo ambiente de aprendizado. Descubra o que está acontecendo e encontre novas soluções. Isso vai te renovar e te forçar a agir como um amador.
  4. Aventure-se – Levante suas mangas e comece a construir coisas. Pode ser cansativo continuar se forçando a aprender coisas novas, mas a jornada pode ser muito emocionante. Os amadores são sempre pioneiros.

Como ter sucesso ao agir como um amador

Para que sua companhia e seus funcionários pensem e ajam como novatos, as regras são:

  1. Faça o que puder para ser demitido
  2. Jogue fora suas anotações
  3. Saia e se relacione com os amadores
  4. Deixe de ser um líder para ser um aprendiz
  5. Saia da sua zona de conforto
  6. Dê passos pequenos constantemente
  7. Crie rituais para renovação
  8. Repense como você gerencia os talentos
  9. Dê aos novatos uma voz
  10. Deixe que os executivos sejam novatos novamente

Faça o que puder para ser demitido

Uma das melhores maneiras para energizar sua mentalidade de amador, é voltar a trabalhar da mesma maneira que você trabalhava quando não tinha nada a perder. Se pergunte: “o que eu faria agora se eu não tivesse medo de perder meu emprego? “ E então faça exatamente isso.

Quando você é novo, você não pensa demais nas coisas. Você não duvida de você mesmo. Ao invés disso, você faz o que parece certo. E quando está forçando os limites, você está muito ocupado para se preocupar com isso – você só está tentando sobreviver. Esse é o sentimento que você quer recapturar e usar para energizar sua criatividade.

Os novatos têm um apetite voraz para aprender e descobrir. Eles abordam suas metas de maneira intencional e divertida. Eles são eternos alunos que querem descobrir tudo o que puderem sobre seu campo de trabalho. Para ter essa mesma motivação, você precisa decidir se tornar um eterno novato.

As quatro características que definem os amadores perpétuos são:

  1. Curiosidade – Para ser um eterno amador, você precisa ter um desejo de aprender tudo sobre sua área. Você precisa ter uma sede pelo conhecimento e entender o que te leva a buscar novas experiências. Amadores tem um apetite insaciável pelo aprendizado.
  2. Humildade – os amadores são humildes. Para ser um eterno amador, você precisa entender que todas as pessoas a seu redor podem ensinar muitas coisas. Você também precisa estar disposto a aprender com todo mundo.
  3. Diversão – Os amadores não têm nada a perder, então abordam os desafios de maneira divertida. Para ser um eterno amador, faça do seu trabalho seu jogo. Seja apaixonado por ele e curta o que você faz.
  4. Deliberação – Os amadores abordam suas tarefas de maneira intencional. Eles estão atentos e sabem o que precisa ser feito, mas não são intimidados.

Jogue fora suas anotações

C. K. Prahalad foi inúmeras vezes classificado como um dos melhores professores de negócios do mundo. Ele faleceu em 2010, e em seu velório, sua esposa mencionou que ela sempre se preocupava quando ele jogava fora suas anotações de aulas no começo de cada semestre. Uma vez, ela tirou aquelas anotações preciosas do lixo e entregou a seu marido. Ele confirmou que estava jogando-as fora e disse, “meus estudantes merecem o melhor de mim, um pensamento novo e renovado todas as vezes. “

Essa também é uma maneira de ser um amador inteligente. Pegue o que você está usando agora e jogue fora. Isso inclui suas anotações, seus discursos bem elaborados, seus modelos para o que você faz – tudo. Jogue tudo fora e comece de novo.

Saia e se relacione com os amadores

Se você quer mesmo ser um eterno amador, adquira o hábito de trabalhar com os novatos de maneira contínua. Quanto mais tempo você passa com novatos, melhor.

Um grande exemplo desse princípio era Sergio Marchionne, o CEO de 59 anos do Grupo Chrysler. Responsável por mudar a companhia, a primeira coisa que Marchionne fez foi mover seu enorme escritório de CEO para uma sala perto dos times de design e engenharia. Ele gastou tempo no chão de fábrica e trabalhou na linha de montagem.

Depois de fazer isso, Marchionne demitiu a maioria dos gestores da companhia. No lugar deles, ele colocou 26 jovens líderes que assumiram o controle e respondiam diretamente a ele. Fazendo isso, Marchionne não só estava perto da ação, mas também foi energizado por aqueles novos gerentes, além de terem revigorado toda a companhia.

A lição é simples. Se você quer novas ideias, ande com os novatos da organização. Eles são novos no jogo e vão te ajudar a ver as coisas com outros olhos. Gaste tempo e esforço para conversar com eles.

Deixe de ser um líder para ser um aprendiz

Uma das maneiras mais simples de ter uma mentalidade de amador é mudar seu título de trabalho, de “líder” para “aprendiz”. Quando você muda de uma posição de liderança para uma posição de incerteza do aprendiz, coisas impressionantes podem acontecer.

Psicólogos falam sobre um fenômeno chamado “o viés de confirmação”. Ele se refere ao fato de que somos a favor da informação que apoia nossas crenças pré-existentes e ignoramos todo o resto. Quanto mais especialistas somos, menor é a chance de procurarmos informação que prove que estamos errados.

Para evitar cair no viés de confirmação, você precisa se lembrar de que não sabe tudo, e de que é um aprendiz para a vida toda. Algumas ideias para fazer isso:

  1. Mantenha uma lista com o título “Eu não sei” - e compartilhe com todo mundo. Seja sincero sobre o que você não sabe. Essa vulnerabilidade vai encorajar as pessoas a te ajudar.
  2. Realize uma auditoria de suposições – faça uma lista por escrito do que você está supondo, e examine esses pontos um por um.
  3. Identifique alguns funcionários iniciantes que podem te mentoriar – e peça insights e sugestões para eles. Você vai ficar impressionado com a qualidade das ideias deles.
  4. Pegue emprestado o emprego de alguém – troque com alguém por uma semana ou mais. Isso vai te forçar a voltar a aprender.
  5. Faça algumas perguntas ingênuas – fale sobre os problemas principais.

Saia de sua zona de conforto

Uma boa maneira de se forçar a entrar em um modo amador, é sair da sua zona de conforto e aceitar um desafio para o qual você não está preparado. Em termos práticos, existem duas maneiras de alcançar isso:

  1. Você pode aceitar um trabalho ou um projeto para o qual você não é qualificado – e então correr para aprender.
  2. Você pode ficar na fronteira – isso significa que você aceita um desafio que te empurra para fora da sua indústria. Fazer alguma coisa muito diferente vai te forçar a voltar ao modo amador, especialmente se o projeto tem muita visibilidade.

Como você sabe quando é a hora de aceitar novos desafios? Não existem regras sobre isso, mas você pode observar esses dez sinais:

  1. Tudo está correndo bem.
  2. Você só recebe feedbacks positivos.
  3. Você não precisa pensar muito e opera no piloto automático.
  4. Você não se prepara para as reuniões porque já sabe todas as respostas.
  5. Você parou de aprender alguma coisa nova todos os dias.
  6. Você está ocupado, mas também entediado.
  7. Você perde tempo a caminho do trabalho.
  8. Você fica cansado ao pensar sobre o futuro.
  9. Sua perspectiva está ficando negativa, mas você não sabe porque.
  10. Você gasta muito tempo tentando consertar o problema dos outros.

Dê passos pequenos constantemente

Para alcançar um modo amador e permanecer nele, você precisa assumir tarefas desafiadoras e desconfortáveis, mas não impossíveis.

Um grande exemplo é Paul McCartney. Quando o Beatles acabou em 1969, McCartney decidiu que queria fazer tudo de novo, mas de maneira diferente. Ele formou uma nova banda chamada Wings com sua esposa e dois músicos, e começou a fazer shows em universidades locais. A banda chegava sem ser convidada nas universidades, procurar pelos diretórios de estudantes e perguntava se podiam tocar no dia seguinte. Os estudantes ficavam impressionados quando Paul McCartney subia no palco. No final, Paul McCartney e a banda tiveram cinco álbuns de sucesso.

Outro grande exemplo desse princípio em ação, era Michelangelo pintando o teto da Capela Sistina no Vaticano. Essa foi a primeira tentativa dele com pintura a fresco – uma técnica em que a tinta era aplicada enquanto o gesso ainda está úmido, permitindo que as cores se misturem quimicamente com as paredes. Um dos rivais de Michelangelo sugeriu ao Papa Julios II, que ele deveria contratar Michelangelo para fazer a pintura, esperando que Michelangelo falhasse e que ele fosse contratado para resolver a situação.

Michelangelo contratou dois assistentes que eram habilidosos com a pintura a fresco, para trabalharem com ele por algumas semanas enquanto adquiria as habilidades necessárias. Ele também consultou teólogos que sugeriram temas para as pinturas. E então ele começou a trabalhar por quatro anos no teto.

O resultado desse projeto amador é agora considerado um dos grandes tesouros do Renascimento.

Crie rituais para renovação

Outra ótima maneira é estabelecer alguns rituais que vão te ajudar a renovar seu pensamento. Algumas sugestões:

  • Aumente sua perspectiva conversando com estranhos toda semana.
  • Separe um dia para ser seu “dia de pensar”, em que você não tem nenhum compromisso, mas usa o dia para aprender coisas novas.
  • Dedique uma semana para ler novos livros e revistas para ter ideias novas.
  • Fique sem entrar na internet por uma semana.
  • Participe de uma conferência em uma área diferente da sua.
  • Deixe seu computador de lado por um dia e utilize papel e caneta.
  • Faça uma caminhada longa. Se recuse a voltar até que tenha tido uma nova ideia.
  • Aprenda a meditar.

Saiba que as rotinas não são comuns aos amadores inteligentes. Os rituais dos amadores que você estabelece precisam ser mudados periodicamente, do contrário se tornarão hábitos que te prendem.

Repense como você gerencia os talentos

Se você quer que sua organização tenha o estilo amador, você vai precisar repensar como gerencia seus talentos. Algumas ideias que você pode considerar são:

  • Contratação – como parte das suas práticas padrões de contratação, procure por pessoas que possuem traços de personalidade dos eternos amadores. Isso inclui curiosidade, humildade, deliberação, etc. Ao invés de contratar baseado em experiência, contrate pela agilidade de aprendizado.
  • Projeto da tarefa – inclua um componente de aprendizado na descrição de tarefa de todos. Você pode também oferecer tarefas extras para que os executivos assumam responsabilidades diferentes a cada três ou quatro anos.
  • Reconheça quando as pessoas estão mais abertas ao aprendizado – o que é mais provável quando as pessoas estão em uma nova posição, ou quando enfrentam um desafio.

Dê aos novatos uma voz

Uma das maneiras mais simples de ter uma organização com a mentalidade dos amadores, é sistematicamente buscar os insights dos novos contratados. Coloque essas pessoas para trabalharem em seus problemas mais complicados, e deixe que elas gerem respostas, ao invés de assumir que elas não sabem o suficiente para ajudar.

Construa times ou parcerias, que combinem o melhor dos amadores com a habilidade dos veteranos. Se você constrói times, pode ter o melhor dos dois mundos. Essas parcerias podem ser configuradas de diferentes maneiras:

  1. Ground and spark – você pode ter um veterano que trás clareza a um problema, e um amador que injeta energia e determinação.
  2. Caçador de talentos e novos talentos – você pode usar essas parcerias para identificar os melhores novatos e então dar mentorias para eles.
  3. Conselheiro e empreendedor – você pode ter um veterano que sabe como o mundo funciona e um empreendedor novato que está empolgado em mudar o mundo.
  4. Fora da caixa – você pode combinar a experiência e a ingenuidade para gerar uma ideia coletiva brilhante.

Deixe que os executivos sejam novatos novamente

Dê a seus executivos permissão e oportunidade para serem novatos novamente. Como?

Quando você faz seus líderes aceitarem tarefas de amadores, em áreas fora das áreas de especialização deles, você gera grandes resultados para a organização. Isso sinaliza que aprender é uma coisa boa, e que fazer coisas novas é importante para a competitividade futura. Existe uma certa energia em alcançar uma coisa nova. Novas ideias e conhecimentos vão surgir dessas iniciativas.

Tarefas de amadores não serão encontradas em um plano de carreira típico. Você vai precisar incendiar as pessoas com a ideia de novas curvas de aprendizado, e ensiná-las a sair de suas zonas de conforto enquanto aprendem coisas novas. No entanto, a alternativa é que as pessoas fiquem estagnadas. Quando você deixa seus executivos serem novatos, você também permite que eles sinalizem quando estiverem prontos para desafios maiores no futuro.

Notas Finais

É muito importante que você aprenda a definir qual a mentalidade de amador ideal para você. Qualquer uma das quatro mentalidades vai te ajudar a se desenvolver melhor, e a aproveitar as vantagens de pensar como um amador mesmo sendo um profissional experimente.

Além disso, para alcançar o sucesso, você precisa adotar algumas práticas e características que todo amador tem. Essas características trazem vantagens competitivas e ajudam você e sua empresa, a se aproveitarem da mentalidade de um novato.

Dica do 12': Leia nossos resumos sobre empreendedorismo!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: