Pare de se Sabotar e Dê a Volta por Cima Resumo - Flip Flippen

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

3166 leituras ·  4.5 avaliação média ·  1233 avaliações

Pare de se Sabotar e Dê a Volta por Cima

Pare de se Sabotar e Dê a Volta por Cima Resumo
Autoajuda & Motivação

Este microbook é uma resenha crítica da obra: The Flip Side: Break Free of the Behaviors That Hold You Back

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8575425293, 978-8575425299

Também disponível em audiobook

Resumo

Por vezes, podemos não perceber, mas o nosso maior inimigo vive dentro de nossas mentes. Quase como um alter ego maligno, a insegurança nos sabota, e para quebrar os comportamentos que nos limitam, é necessário se esforçar. Neste microbook, vemos algumas dicas de como nos livrar dos comportamentos nocivos e se tornar quem realmente desejamos ser.

Procurando uma obra que seja capaz de lhe ajudar a viver melhor? Se sentindo preso em seus próprios ciclos? O presente microbook poderá te ajudar, e muito. Ideal para ser lido em momentos de concentração, preferencialmente em casa.

O autor aqui é o Flip Flippen, um educador, consultor de carreiras e psicopterapeuta. Uma de suas frases mais famosas é "Embora todos estejam empreendendo a viagem da vida, nem todo viajante está disposto a observar o mapa para escolher o melhor caminho a seguir". Entenda o presente microbook como uma olhadela no mapa. Que tal ter maior consciência de seus limites e como transpor os mesmos nos próximos 12 minutos?

Assuma a responsabilidade por ser quem você é

Na busca pelo sucesso pessoal somos freados por inúmeros obstáculos. Muitos podem ser inesperados ou até injustos. Independentemente de qual seja o fator externo que venha a se interpor em seu caminho, você é o único capaz de controlar como reagirá a ele. Portanto, se as respostas não estão vindo conforme gostaria, reflita sobre a maneira como você as busca. E puxe a responsabilidade dessa busca para si.

Muitos acabam sendo apenas empurrados pela vida, definidos por sua personalidade e força de caráter, incapazes de enxergar os papéis que representam como possíveis de serem mudados. Desbravam os anos do jeito que sempre fizeram e esperam que respostas novas caiam do céu. No impulso de seguirem vivendo, esquecem de dar um passo para trás, observar com calma o mapa da vida e escolher o melhor caminho.

Lembre-se: se você não fizer essa escolha consciente, ela será feita sem que você perceba.

Admita a existência de suas limitações

A dificuldade de enxergar as possibilidades de escolha e se agarrar a um mesmo comportamento é uma limitação. Essas limitações são fatais quando esse comportamento é nocivo ao seu progresso pessoal. Assim elas delimitam as fronteiras de seu sucesso. Se você ocupa um cargo de liderança, isso é ainda pior, pois uma equipe jamais ultrapassa as limitações de seu líder.

Isso não significa que você não tenha talentos. O problema é que as limitações podam o resultado que você consegue tirar deles. Pode ser que você conheça alguém que possui uma habilidade muito acima da média, talvez tenha até recebido oportunidades únicas, mas não as aproveitou. Contudo, será que você mesmo enxergou e aproveitou as suas?

As limitações são definidas por cinco leis:

1 - Todos temos limitações pessoais. Então sim, você também tem.

2 - Não é possível transpor limitações que não enfrentamos. Muitas vezes não conseguimos ou não queremos encarar nossos problemas. Achamos que assim podemos deixá-los de canto, mas isso apenas faz com que nos agarremos a eles com mais vigor, deixando que influenciem nossas escolhas inconscientes.

3 - Nossas limitações pessoais atuam em todas as esferas da nossa vida. Não se iluda pensando que um problema originado na família não irá interferir em seu trabalho. Qualquer que seja a sua limitação, ela ressoa em todas as respostas que você oferece ao mundo.

4 - As limitações pessoais estão atreladas às tarefas. Apesar de afetar todas as esferas da vida, o impacto que uma limitação possui será diferente em cada uma delas. Para compreender a limitação, portanto, é preciso considerá-la em cada um dos vários papéis que você assume em seu dia a dia.

5 - Quem tiver menos limitações vence. Isso não significa comparar as suas limitações com as dos outros. Os verdadeiros vencedores são aqueles que aprendem a minimizar ou eliminar suas limitações significativas. Isso quer dizer tornar-se o melhor que você pode ser.

Prepare-se para mudar

Para que você supere suas limitações pessoais, primeiro você precisa identificá-las. Tendo feito isso, preocupe-se com sua principal dificuldade e foque nela. Mude aos poucos, com calma e precisão. Só então inicie o processo de mudança na limitação seguinte.

Além disso, converse com as pessoas mais próximas. São elas que possuem os principais pontos para que a identificação seja bem-feita. Portanto, esteja aberto às críticas.

Identifique-se suas limitações fatais

Há dez limitações fatais, definidas a seguir. É provável que você possua várias delas em graus diferentes. Leia as características de cada uma com calma e analise quais você possui em excesso. Essas serão as mais significativas. Então reflita qual delas possui o maior impacto em sua vida no momento. Se lhe parecer que mais de uma possui impactos parecidos, tudo bem; mas ao fim, você deve ter não mais que duas apontadas. Sendo elas:

  • À Prova de Balas (excessivamente confiante)
  • Ostra (pouco autoconfiante)
  • Docinho de Coco (superprotetor)
  • Crítico (exigente, implicante ou rude demais)
  • Iceberg (pouco afável)
  • Catatônico (paixão, visão ou vigor baixos)
  • Rolo Compressor (excessivamente dominante)
  • Tartaruga (resistente a mudanças)
  • Vulcão (agressivo, raivoso)
  • Rápido no Gatilho (pouco autocontrole, impulsivo)

À prova de balas

São pessoas com uma autoconfiança tão elevada que não conseguem enxergar suas falhas. Acabam tornando-se dominantes, agressivas e incapazes de lidar com suas fraquezas. Muitos empreendedores possuem essa limitação.

Sintomas:

  • Você acha que é a razão do sucesso das equipes das quais participa.
  • Você acha difícil encontrar alguém com um desempenho tão bom quanto o seu.
  • Você leva uma ideia nova adiante sem pedir opinião de sua equipe.
  • Você não se preocupa com a opiniões dos outros sobre si.
  • Você percebe que as pessoas acham-lhe arrogante, mas acha que é apenas por você dizer as coisas como são.
  • Você acredita em seus palpites, mesmo quando os fatos não os confirmam.
  • Você é criticado por não ouvir as pessoas.
  • Você até admite a responsabilidade, mas enfatiza as falhas dos outros.
  • Você não reflete sobre como contribuiu para uma discussão.
  • Você assume superioridade ao expressar opinião.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Evite pedir esclarecimentos excessivos quando alguém estiver lhe oferecendo um conselho;
  • Preste atenção para não arrastar as pessoas em vez de tê-las ao seu lado;
  • Comunique-se usando um tom de voz adequado;
  • Peça mais a opinião de pessoas com uma visão diferente da sua;
  • Quando estiver discutindo com alguém, ouça o que a pessoa está dizendo e procure entendê-la em vez de formular o que você vai falar em seguida.

Atitudes para lidar com alguém À Prova de Balas:

  • Faça com que a decisão final pareça ser dele.
  • Quando precisar discordar, ofereça sua opinião, mostre os pontos em que ele está enganado e deixe claro que o seu interesse é o sucesso dele.

Ostra

São relutantes em tomar iniciativa e com pouca capacidade de encarar as dificuldades. Geralmente não sabem o que os outros esperam e ficam constrangidas quando precisam tomar decisões.

Sintomas:

  • Você tem dificuldade de superar seus erros, principalmente se desaponta alguém.
  • Você acha que há muito mais pessoas talentosas que você.
  • Você acha muito importante o que os outros pensam a seu respeito.
  • Você é tímido, reservado e tem dificuldade em conhecer novas pessoas.
  • Você cede facilmente perante pessoas de personalidade forte.
  • Você fica constrangido quando alguém lhe faz um elogio e tende a desconversar.
  • Você não sabe como proceder diante de uma situação nova sem orientação.
  • Você internaliza pequenas frustrações e acaba desabafando tudo de uma só vez.
  • Você não costuma expressar suas opiniões porque acha que outros já devem ter tido a mesma ideia.
  • Você se desgasta bastante em conflitos e, para evitá-los, não diz o que realmente pensa.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Reconheça e tire proveito dos seus pontos fortes.
  • Não seja tão autocrítico, todos erram.
  • Comece um diário e escreva o que pensa sobre si, procure mudar os pensamentos negativos.
  • Decida avançar mesmo sem receber incentivos.

Atitudes para lidar com uma Ostra:

  • Ressalte os pontos positivos de seu trabalho.
  • Faça perguntas para ajudá-la a entender outro ponto de vista sem se sentir ofendida.
  • Insista mais do que o normal, com calma, para ela expressar o que sente.

Docinho de coco

São pessoas que querem ser amigáveis e têm dificuldade em dizer “não”. São incapazes de se afirmar e estabelecer limites de convívio. Dificilmente possuem uma opinião própria.

Sintomas:

  • Você acha que com o tempo as pessoas vão corrigir os próprios erros.
  • Você é quem as pessoas tendem a procurar quando precisam de ajuda.
  • Você acha que é sempre mais importante ajudar alguém do que terminar seu trabalho.
  • Você fala o que a outra pessoa quer ouvir em vez do que está pensando.
  • Você acha difícil ser uma pessoa rígida.
  • Você considera os sentimentos dos outros importantes e ajuda a tirá-los de problemas em que eles mesmos se meteram.
  • Você tem dificuldade em dizer “não”.
  • Você sente-se sobrecarregado pelas responsabilidades que assume.
  • Você tem dificuldade em dizer algo que possa magoar outras pessoas, mesmo que seja necessário.
  • Você percebe que as pessoas, às vezes, se aproveitam da sua boa vontade.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Dê mais atenção a si mesmo; sua capacidade de ajudar os outros será maior se você estiver mais motivado.
  • Comece a impor seus limites de forma adequada.
  • Diga “não” quando achar que precisa.
  • Comece a dizer o que pensa com mais frequência.

Atitudes para lidar com um Docinho de Coco:

  • Faça perguntas que incentivem a autoafirmação; por exemplo: “como você se sente após um trabalho tão bem feito? ”.
  • Elogie a preocupação dele com os outros.
  • Deixe-o confortável para fazer críticas e peça pouco de cada vez.

Crítico

São pessoas que apontam os erros e raramente enxergam os acertos. Muitas vezes seus comentários são sarcásticos, mordazes ou rancorosos. Perfeccionistas, acreditam que estão contribuindo com sua visão inteligente ao apontar as falhas de tudo. Acabam afastando os outros e costumam terminar sozinhos.

Sintomas:

  • Você repara em coisas que não estão certas ou do jeito que deveriam.
  • Você se identifica com o sarcasmo.
  • Você acha difícil alguém atingir suas expectativas.
  • Você percebe que as pessoas não ficam entusiasmadas nem felizes ao te ver.
  • Você se frustra ao não conseguir dos outros o que quer, do jeito que quer.
  • Você é acusado de ser cético.
  • Você não acha que reclama demais, apenas mostra os problemas que precisam ser resolvidos.
  • Você dá opiniões sem que alguém lhe peça.
  • Você não dá nota máxima, pois é sempre possível melhorar.
  • Você repara bastante nos defeitos dos outros.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Preste atenção no que as pessoas fazem corretamente, invista nos pontos positivos e só então as desfie a mudar.
  • Analise suas expectativas e a forma como você lida quando alguém não as atinge.
  • Pare de reclamar; comprometa-se a passar um dia inteiro sem dizer nada negativo.
  • Ponha o sarcasmo de lado e perceba quando você costuma alfinetar alguém.

Atitudes para lidar com um Crítico:

  • Receber sua aprovação leva tempo demais e é, por vezes, doloroso. Melhor seguir sem ela.
  • Demonstre que as críticas estão sendo ouvidas e que você as entendeu.
  • Ao ser criticado, expresse o que pensa e diga que a menção de um ponto positivo seria de grande ajuda.

Iceberg

São aqueles que não sentem necessidade de se preocupar com os sentimentos ou o bem-estar dos outros. Desenvolvem poucos vínculos afetivos intensos e preocupam-se mais com os negócios do que com os indivíduos.

Sintomas:

  • Você pensa que as pessoas podem e devem resolver os próprios problemas.
  • Você filtra as mensagens e só retorna de volta se for importante.
  • Você costuma ouvir que não é dos mais afetuosos.
  • Você se fecha ainda mais quando está perto de pessoas que não conhece muito bem.
  • Você fica constrangido ao demonstrar comportamentos afáveis.
  • Você raramente pensa no que poderia fazer por outra pessoa.
  • Você não faz questão de cumprimentar as pessoas, principalmente as estranhas.
  • Você é fechado e é comum precisarem lhe perguntar o que está pensando.
  • Você não se sente responsável por ajudar os outros a terem orgulho deles mesmos.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Pense em quem está a sua volta e estabeleça um vínculo emocional.
  • Elogie e incentive as pessoas ao seu redor.
  • Interaja com as pessoas quando as encontrar.
  • Saiba mais a respeito de quem convive com você.

Atitudes para lidar com um Iceberg:

  • Incentive a interação; por exemplo, pergunte se ele gosta do que você acabou de dizer.
  • Peça por um estímulo dele sempre que necessário. Se a resposta não for suficiente, seja mais específico no pedido.

Catatônico

São aqueles que, em meio à indecisão, acabam não fazendo nada. Não possuem grandes sonhos, expectativas e nem sabem onde querem chegar. Geralmente eles precisam passar por uma crise grave para perceber que estão jogando a vida fora.

Sintomas:

  • Você costuma ouvir que é “encostado”.
  • Você acha melhor que alguém estabeleça prazos e lhe monitore no trabalho.
  • Você acha que trabalha muito melhor sob pressão, por isso demora para começar os projetos.
  • Você não é promovido com muita frequência.
  • Você acha muito importante curtir a vida.
  • Você não é uma pessoa intensa ou motivada.
  • Você pode até cumprir o que pedem, mas não tem iniciativa.
  • Você usa o horário de trabalho para resolver questões pessoais.
  • Você não sabe o que é capaz de fazer e não tem ideia de para onde está indo.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Se você quiser conquistar o respeito das pessoas, comece demonstrando paixão pelo que faz.
  • Escolha tarefas que deixem você entusiasmado e consiga alguém para comentar sua produtividade.
  • Pare de se recompensar antes de merecer um descanso.
  • Termine seus afazeres antes do prazo, chegue adiantado nos compromissos e evite desculpas.
  • Avalie sua escolha de carreira e veja se ela é válida para despertar sua paixão.

Atitudes para lidar com um Catatônico:

  • Divida as tarefas em unidades menores e celebre com ele as pequenas conquistas; o truque é fazer ele sentir-se bem-sucedido.
  • Deixe-o em posições que demandem menos iniciativa, com objetivos bem claros.

Rolo compressor

São pessoas que acreditam ter a resposta e a palavra final para tudo. Gostam de intimidar e passam por cima de quem não cede da maneira como querem.

Sintomas:

  • Você completa as frases das outras pessoas.
  • Você interrompe e corrige os outros quando discorda deles.
  • Você se sente à vontade liderando um grupo grande e toma a iniciativa.
  • Você se acha determinado e capaz de ir mais longe que os outros.
  • Você se sente à vontade em discussões.
  • Você acha que até pode ser insistente e cabeça-dura, mas geralmente está certo.
  • Você não gosta que as pessoas peguem no seu pé quando está no comando.
  • Você costuma ser chamado de teimoso, mas acha que apenas possui opiniões categóricas.
  • Você acha que indivíduos mais fracos não deviam estar em posições de gerência.
  • Você não escuta o que os outros falam e aguarda uma oportunidade para convencê-los a pensar do seu jeito.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Dê mais espaço aos outros em uma conversa e evite interrompê-los.
  • Entenda as pessoas à sua volta e interaja com elas em uma via de mão dupla.
  • Obtenha comentários sobre a visão que os outros têm de você.

Atitudes para lidar com um Rolo Compressor:

  • Esclareça que você quer ouvir a opinião dele, mas espera ser ouvido também.
  • Imponha os limites quando for necessário; mostre-lhe a pauta da reunião, por exemplo, deixando claro que você é o responsável e você é quem a conduzirá.

Tartaruga

São aqueles que gostam das coisas do exato jeito que são e, portanto, possuem uma grande resistência a mudar.

Sintomas:

  • Você fica nervoso com mudanças e incertezas.
  • Você já resistiu a mudar algo e depois percebeu que a alternativa foi melhor.
  • Você acha desnecessário correr riscos escolhendo um caminho diferente do habitual, já testado e seguro.
  • Você acha que os objetos possuem um lugar certo e não gosta que alguém seja descuidado com eles.
  • Você costuma a adotar hábitos facilmente quando algo lhe agrada.
  • Você precisa de tempo para se sentir à vontade ao mudar de rumo.
  • Você primeiro pensa na razão pela qual as novas ideias não vão dar certo.
  • Você é visto como teimoso, pois evita novo planos.
  • Você gosta de uma rotina estável.
  • Você gosta de planejar seus dias, projetos e férias e não gosta que sejam modificados.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Aceite novas ideias, procurando enxergar seus pontos positivos.
  • Experimente trocar uma atividade de sua rotina por outra.

Atitudes para lidar com uma Tartaruga:

  • Forneça tempo para ela refletir sobre uma escolha.
  • Ao perceber sua resistência, pause e retome a conversa outra hora.

Vulcão

São pessoas que se irritam com facilidade e transformam pequenas frustrações em motivos de agressão. Geralmente são competitivas em excesso.

Sintomas:

  • Você deixa sua frustração evidente quando está sob pressão.
  • Você acha que vigor e força são maneiras eficazes de lidar com as pessoas.
  • Você é determinado em vencer e nunca joga para perder.
  • Você fica furioso quando te provocam demais.
  • Você tem dificuldade em pedir desculpas e detesta ser obrigado a se desculpar.
  • Você diz o que pensa de forma aberta e direta sem se preocupar com o que as pessoas pensam.
  • Você não pensa duas vezes antes de reagir a uma provocação.
  • Você acha que se alguém não consegue fazer sua parte, deve sair do time.
  • Você não aceita ouvir certas coisas.

Atitudes para superar essa limitação:

  • Evite dizer algo para derrotar alguém em uma conversa; ao invés disso, tente fazer com que todos os lados ganhem.
  • Evite subir o tom de voz e não permita que a discussão assuma proporções maiores.
  • Pare de forçar a última palavra em uma discussão.

Atitudes para lidar com um Vulcão:

  • Preste atenção nas palavras que o deixam agitado e evite usá-las.
  • Evite fazer afirmações que o coloquem contra a parede.

Rápido no gatilho

São pessoas com um autocontrole baixo e que sentem uma necessidade constante de mudanças. Isso faz com que sejam impulsivas, ansiosas e não levem seus projetos até o fim.

Sintomas:

  • Você adora experimentar coisas novas.
  • Você precisa fazer algo criativo para se realizar.
  • Você tende a abandonar projetos e relacionamentos difíceis.
  • Você não consegue monitorar suas finanças e vive fazendo compras por impulso.
  • Você acha que trabalhar em um mesmo ambiente todos os dias é desgastante.
  • Você é espontâneo e fica facilmente entediado.
  • Você acha que sua natureza impulsiva é a causa dos seus problemas de relacionamento.
  • Você é bom para começar projetos e atividades, mas não costuma chegar ao fim da maioria.
  • Você acha que não precisa pensar a fundo em uma ideia, pois os detalhes vêm depois.

Atitudes para superar essa limitação

  • Antes de falar com alguém sobre uma ideia nova, anote-a e espere uma semana.
  • Termine as tarefas que se propôs a começar.
  • Pare de interromper as pessoas e espere dois segundos antes de dizer algo, assim você tem tempo para confirmar a importância do que será dito.

Atitudes para lidar com um Gatilho Rápido

  • Anote sua ideia e diga que vocês podem pensar nela daqui a alguns dias.
  • Ao discordar de uma decisão dele, esclareça as suas razões. Mas não esqueça de enfatizar o lado positivo tanto da decisão em si quanto do impulso em tomá-la.

Defina um plano de tração

O autor chama de Tração a combinação de transformação com ação. Assim, um plano de TrAção é aquele capaz de transformar as suas limitações. Ele fornece uma direção clara e acertada a ser seguida para um crescimento pessoal contínuo. É uma excelente alternativa a simplesmente ir vivendo os dias tentando ignorar suas limitações.

Um plano de Tração possui 5 etapas:

  • Estabeleça o Objetivo Final

Em quem você quer se transformar? Pense nos comportamentos que gostaria de adotar e resuma as principais características desse novo eu em uma ou duas frases.

Por exemplo: “Quero ser visto como alguém que valoriza as pessoas e as leva a trabalhar pelo bem comum. Para isso, modificarei minha personalidade dominante, tornando-me mais aberto e tolerante com relação aos demais.”

  • Identifique seus Pontos Fortes

Faça uma lista de todas as qualidades que você acha que possui. Depois peça para alguém ajudá-lo com uma opinião; é bem provável que a pessoa enxergue características que você não perceba, às vezes até mais fortes do que as que você escreveu.

  • Aborde Suas Limitações Principais

Veja quais das dez limitações fatais você possui mais sintomas. Se três ou mais possuírem a mesma pontuação, escolha duas e foque seu plano apenas nessas.

Então anote as primeiras frases que lhe vêm à mente quando pensa em como essas limitações lhe afetam. Essa reflexão é importante porque permite que você enquadre os exemplos citados para a sua condição de vida.

  • Elabore Etapas de Tração Específicas

Escreva com precisão os comportamentos que quer adquirir. Pense em suas limitações e em como você descreveu os efeitos que elas têm em sua vida. Que atitude você pode tomar para revertê-los?

Ao pensar em situações específicas do cotidiano, você consegue prever o exato comportamento que possui e elaborar soluções melhores. Por exemplo, se em toda reunião de segunda às 9 horas você tende a criticar demais a equipe do projeto Azul você pode se comprometer a ouvi-los em silêncio e fazer ao menos um elogio para um dos integrantes ao fim da reunião.

Esse exemplo possui três características importantes:

  • É um comportamento específico;
  • Ocorre em uma situação específica;
  • E fornece uma instrução clara para iniciar ou interromper um comportamento.

Se precisar de ajuda para escrever novos comportamentos, veja a lista de atitudes sugeridas anteriormente. Contudo, primeiro tente elaborar suas próprias etapas de TrAção. Ao fim desse passo, tenha ao menos umas cinco ou seis.

  • Afirme seu Comprometimento

Escolha até duas pessoas a quem você irá enviar uma cópia do seu plano de Tração e declarar o seu comprometimento. Então elas ficarão responsáveis por monitorar o seu desempenho; para isso, envie a elas suas observações comportamentais uma vez por semana.

Para ser bem-sucedido, escolha parceiros de confiança e tome a iniciativa de prestar contas. Deixe que eles monitorem você e peça incentivos e sugestões. Não esqueça de pedir para que eles confirmem seus pontos fortes e chequem se não deixou nenhum de lado.

Notas finais

Admita a existência de limitações que tentam freá-lo, então procure entendê-las. Veja quais dos dez arquétipos apresentados são mais congruentes com a sua personalidade. Pense nas atitudes que costuma tomar que enfatizam essas limitações e estabeleça novos comportamentos. Durante o processo, o apoio das pessoas de confiança é fundamental.

A proposta é concisa e objetiva, e o que talvez seja o maior ponto positivo do livro é a sua simplificação de personalidades. Mesmo utilizando arquétipos ele não espera que você se encaixe perfeitamente em um. Na verdade, consegue traduzir bem os diferentes níveis de cada um que existe dentro de nós.

Com as dicas oferecidas, talvez o mais difícil ainda seja enxergar nossas próprias limitações na prática e entender quais são os gatilhos que nos fazem demonstrá-las em comportamentos específicos. Então você precisará apenas da perseverança para transpor essas limitações.

Dica do 12’: O livro “Pequenas Atitudes, Grandes Mudanças”, de Caroline L. Arnold, pode ajudar você a elaborar suas etapas de Tração. Ele trata exatamente de mudanças de comportamento pontuais!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: