×
44% OFF

Não deixe suas metas para 2022

Assine 12min Premium por apenas R$0,46/dia e aprenda mais em menos tempo!

1944 leituras ·  0 avaliação média ·  0 avaliações

O segredo de Luísa - resenha crítica

O segredo de Luísa Resenha crítica
Startups & Empreendedorismo

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 978-85-7542-338-7

Editora: Sextante

Também disponível em audiobook, baixe agora:


Resenha crítica

Motivação e perfil do empreendedor 

O cenário inicial dessa jornada é o salão nobre da FIEMG, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais. Ali, dona Maria Helena e Geraldo, seu marido, aguardavam o resultado do prêmio de Melhor Empreendedor Global do Estado de Minas Gerais. Os pais de Luísa tentavam se segurar para não cair nas lágrimas com o anúncio da filha como uma das dez mais importantes empreendedoras do ano em seu estado natal. 

Seis anos antes, ela largou a faculdade de odontologia e passou a estudar incessantemente para se dedicar à sua empresa, a GMA, sigla da Goiabadas Maria Amália Ltda. Luísa seguiu um rumo diferente daquele sonhado pela família ao escolher a vida de empreendedora. 

Nessa nova vida, entendeu o quanto o empreendedorismo é o motor da economia, um agente de mudanças, entusiasta das inovações e do aproveitamento de oportunidades. Por definição, empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões.

É a partir dele que nascem as empresas, transformando sonhos em realidade. Trata-se de um genuíno ser social, produto do meio em que vive. Quem nasce em ambientes que valorizam o emprego fixo e a estabilidade tem menor propensão a seguir este caminho. Mas não se engane: todos nós somos empreendedores. 

Essa vocação exige de nós uma permanente insatisfação para transformar inconformismo em descobertas e propostas positivas para si, para os outros e para toda a sociedade. Empreendedores preferem seguir caminhos não percorridos, acreditando nas consequências positivas de seus atos para ser protagonista da própria vida. 

A validação de uma ideia 

Luísa começou a trabalhar seriamente na ideia de ter sua empresa durante as férias da faculdade. Havia deixado de lado o sonho de tomar conta de uma fábrica de goiabadas. Em seu material de estudo, estava um roteiro de plano de negócios e exemplos reais de empreendimentos que deram certo e outros que faliram. Havia modelos a seguir e a evitar. 

O plano de negócios é uma descrição completa do que é ou pretende ser uma empresa. Trata-se de um documento sério, a partir do qual empreendedores traçam caminhos futuros. Com ele, é possível atrair investidores, conseguir crédito e firmar parcerias por demonstrar quais os caminhos da empresa. 

Ele precisa responder para onde o negócio caminha, como evoluir mais rapidamente e o que fazer durante a jornada, de forma a diminuir incertezas e riscos. Também necessita descrever os motivos da existência da empresa e como o empreendedor irá gerenciar recursos para aproveitar oportunidades. Conhecido como PN, é um instrumento de negociação interna e externa para administrar a interdependência com sócios, empregados, financiadores, incubadoras, clientes, fornecedores, bancos e outros agentes. 

Deve ser feito criteriosamente para evitar cair na alta taxa de mortalidade de novas empresas, já que 90% delas encerram suas atividades logo nos três primeiros anos de atuação. Entre os fatores mais comuns para explicar esse número assustador, a falta de planejamento e de definição clara de um plano de negócios encontra-se entre as principais.  

O empreendedor busca ajuda 

Neste caminho, existe um momento em que é preciso tomar decisões difíceis. Quando começou a se dedicar à Goiabadas Maria Amália, Luísa ainda conciliava a nova vida com o curso de odontologia. Mas em pouco tempo, sua queda de rendimento na universidade foi notável e ela precisou entrar de cabeça na vida de empresária. 

O tempo todo, sua cabeça estava voltada ao plano de negócios, à engenharia financeira, à estrutura para manter seu sonho de pé. Mas há momentos em que o empreendedor precisa de suporte. O ambiente empresarial é hostil e em um país como o nosso, o auxílio aos novos empreendimentos precisa ser o foco de atenção dos sistemas sociais e políticos preocupados com o crescimento econômico e o desenvolvimento social. Só assim é possível estimular a criação e apoiar a consolidação de empresas em toda a sociedade, não apenas em um setor específico. 

Existem sistemas de suporte às novas empresas oferecendo consultoria, incubação, financiamento e outras ferramentas. É mais do que necessário cobrar dos governos políticas públicas para um sistema legal e tributário favorável às pequenas empresas, com políticas adequadas ao cenário brasileiro, para que os juros de empréstimos sejam suficientes para a manutenção dos pequenos empreendimentos. 

Em países avançados, existem até mesmo bancos de dados preparados para fornecer informações ao cidadão que deseja abrir um negócio. Ensinar sobre empreendedorismo em sala de aula e também na mídia faz toda a diferença nesse caso. 

Procurar ajuda não é vergonha para ninguém. Caso esteja se aventurando como empresário, não tenha vergonha de perguntar e consultar quem é experiente no ramo. 

Plano de marketing

Passamos da metade deste microbook para falar um pouco do plano de marketing. Afinal, seu empreendimento precisa ser visto, conhecido, indicado pelos clientes para crescer.

Para isso, primeiramente, você precisa realizar uma análise de mercado para conhecer clientes, concorrentes, fornecedores e ambiente de atuação da empresa. Assim, é possível descobrir a viabilidade do negócio. 

Na estratégia de marketing, é realizado um planejamento para definir como a empresa oferecerá os produtos ao mercado, otimizando seu potencial. Não bastam apenas as observações sobre o local e o público, é preciso consultar informações confiáveis. Instituições como IBGE, Sebrae, prefeituras, governos dos estados, associações de classe, sindicatos possuem dados de grandes pesquisas, com dados capazes de direcionar seus esforços na implementação de sua empresa. 

Tendo à mão o perfil do público-alvo e o comportamento dos clientes na região, divulgar sua empresa vira uma tarefa a ser realizada sem palpites vagos, mas com um direcionamento completo. 

Luísa chegou a ver sua escrivaninha pequena com tantos programas de trabalho, cronogramas, revistas e livros a ler, textos redigidos e outras informações sobre como sua divulgação seria crucial para o sucesso da empresa. Nenhum passo foi dado sem planejamento prévio. 

A busca de recursos para implementação da empresa 

Depois de elaborar o plano de negócios, o plano de marketing e a análise financeira de sua empresa, Luísa se sentia alegre por ter respondido todas as perguntas necessárias antes de colocar em prática a ideia de ser empreendedora. Sua única aflição era a conclusão da necessidade de um investimento inicial de 40 mil reais. 

Passou uma tarde inteira recalculando alternativas de produção, redução de cortes, outras formas de administrar e mesmo assim não diminuiu o valor. Então, chegou à conclusão da necessidade de buscar alguma fonte de financiamento. Sem isso, sua empresa não sairia do papel. 

Para se ter uma ideia, existem as chamadas empresas de capital de risco, cujo objetivo é investir em companhias com alto potencial de sucesso com taxas de retorno bem elevadas. Elas entram em companhias comprando ações e realizando lucros vendendo-as posteriormente. Não é um mero investimento, mas uma sociedade com retorno previsto de 5 a 10 anos, quando saem da empresa. 

Outra maneira comum de buscar recursos para empresas recém-abertas é a BNDESPar. O órgão tem a missão de desenvolver o mercado capitalizando empresas brasileiras, em geral startup ou emergentes. Ainda é possível buscar recursos com investidores anjos, que aportam recursos em empresas nascentes de grande potencial de retorno. Seu único entrave no Brasil atualmente tem a ver com a legislação pouco favorável. 

Luís suou para conseguir financiar seu início, sentindo aquele friozinho na barriga natural para quem se arrisca no empreendedorismo. 

A consolidação

Seis anos se passaram desde o início da fabricação de goiabadas por Luísa. Na Feira Internacional de Comércio de Alimentos e Bebidas Anuga, a maior do país, seus produtos eram expostos no estande de um parceiro comercial. 

Tanto tempo depois de um começo turbulento e desafiador, a GMA tinha agora uma linha de produtos, todos derivados da goiabada. Balas, biscoitos, e até um chocolate com pedaços de goiaba, concebido especialmente para exportação, lançado naquela feira. 

Se no começo havia dificuldades naturais para quem dava os primeiros passos, a vida empresarial de Luísa era outra depois de tanto tempo. Os problemas do dia a dia não a desanimavam, mas faziam surgir uma energia para enfrentá-los, proporcional ao tamanho e urgência de cada um deles. Quando perguntada por amigos e familiares, não sabia responder de onde tirava forças para superar as adversidades do cotidiano. 

Mas era consciente do quanto seu crescimento pessoal e profissional teve a ver com a atitude assumida diante dos problemas. Sua experiência ensinou que um bom empreendedor precisa acreditar no negócio e trabalhar muito para chegar longe. Luísa escolheu o caminho certo. Empreender era sua vocação. 

Notas finais 

Empreender requer coragem, especialmente em um país com dificuldades como as do Brasil. Mas é preciso desmistificar esse caminho para incentivar mais gente a se arriscar, ficando mais perto de realizar o próprio sonho. Entre uma história exemplar e dicas práticas, fica claro como existem passos importantes a serem dados por empreendedores de diversos segmentos. Não basta apenas levantar uma porta e criar seu negócio. É preciso estudar, se preparar e não ter medo, sempre acreditando na missão a ser cumprida. Esse legado começa com uma sementinha plantada em formato de livro, resultando em uma obra transformadora para quem almeja rumos profissionais libertadores.

Dica do 12min

O microbook As coisas que você só vê quando desacelera é fundamental para quem se vê preso em um dia a dia corrido e se sente perdido no meio da multidão. 

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

Quem escreveu o livro?

Fernando Dolabela, consultor e palestrante internacional, co-fundador do World Entrepreneurship Fórum, (França) e do Empreendesur, (América Latina), autor de 15 livros, entre eles o maior best seller na área, “O segredo de Luísa”, com mais de 300.000 mil cópias vendidas. É autor dos... (Leia mais)