×
44% OFF

Não deixe suas metas para 2022

Assine 12min Premium por apenas R$0,46/dia e aprenda mais em menos tempo!

2053 leituras ·  0 avaliação média ·  0 avaliações

O maior vendedor do mundo - resenha crítica

O maior vendedor do mundo Resenha crítica
História & Filosofia

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 9788501013552

Editora: 

Também disponível em audiobook, baixe agora:


Resenha crítica

O segredo de Hafid

O maior vendedor do mundo nos leva aos antigos mercados árabes, em um tempo no qual caravanas nas costas de camelos eram as responsáveis por levar produtos de cidade a cidade. Nesse cenário de dois mil anos atrás vive Hafid, o personagem principal dessa história – o maior vendedor do mundo de sua época.

Og Mandino narra o percurso de vida de Hafid, um comerciante que tem um grande segredo. O relato começa com as dificuldades de um jovem cuidador de camelos que queria progredir na vida. Seu amo e guia, Pathros, compartilha com ele um segredo que o faz atingir o objetivo da grandeza financeira. Mais que isso, Hafid se torna um homem exemplar.

O segredo é um baú, com tiras de couro, no qual estão guardados dez manuscritos. O primeiro é uma indicação de como os demais devem ser lidos: um por vez, três vezes ao dia, todos os dias ao longo de trinta dias. Só depois desse período, com cada palavra internalizada e profundamente aprendida, é que o próximo pergaminho deve ser aberto.

Se todos os pergaminhos forem seguidos à risca, o leitor terá sucesso garantido e se tornará o maior vendedor do mundo. Foi o que Hafid fez e é o que você poderá fazer ao ler as 10 instruções contidas nos manuscritos.

Adquira bons hábitos

O primeiro pergaminho é um incentivo à mudança. “Eu formarei bons hábitos e me tornarei escravo deles”, incentiva. Mandino destaca que é através do cultivo de bons hábitos que qualquer pessoa pode chegar ao sucesso. Quando crianças, seguimos apenas nossos impulsos. Quando adultos, seguimos cegamente nossos hábitos. Porém, quais hábitos devemos seguir? “Bons hábitos são a chave do sucesso. Maus hábitos são a porta aberta para o fracasso. Assim, a primeira lei que obedecerei é: formarei bons hábitos e me tornarei escravo deles”.

Apesar de reconhecer o papel do conhecimento e da experiência, Mandino destaca que coletar conhecimento indefinidamente ou aguardar até que haja experiência suficiente pode ser uma perda de tempo. Ao invés disso, o foco sugerido é em seguir os princípios apresentados nos 10 pergaminhos e ser melhor a cada dia.

Pratique o amor

Ter o amor como prioridade no dia a dia é outro ensinamento valioso. Esta é a lição para começar o trabalho de um bom vendedor. Amar todas as condições, sejam elas favoráveis ou não. Observar a beleza do sol e da chuva, da luz e da escuridão. Amar seus seres queridos e também os inimigos, transformando-os em amigos. Amar todas as condições humanas, afinal todas são admiráveis. Transformar o ódio em amor, reconhecendo cada ser humano como completo. Mais do que tudo, amar a si mesmo e cuidar de si, é também uma forma de amor.

“Se nenhuma outra qualidade possuo, posso ter êxito apenas com o amor. Sem ele eu fracassarei, embora possua todo o conhecimento e as técnicas do mundo”. Apenas ao considerar este ensinamento, seremos capazes de praticar todos os outros. Afinal, o amor por aquilo que faz e pelos outros é a marca de um vendedor humano.

Persistência

A persistência é a chave para lidar com o fracasso. Quando persistimos, continuamos caminhando até chegar no sucesso. É preciso entender que tropeçar no caminho não significa uma derrota, mas um aprendizado. “Devo fracassar muito para alcançar o sucesso definitivo”.

Persistir até o êxito significa não se abalar ante uma aparente derrota e também não se deixar cair na complacência ante um dia bom. Significa não comparar com o dia anterior, mas buscar sempre o melhor em cada dia, pois “os prêmios da vida estão no fim de cada jornada, não próximos do começo; não me é dado saber quantos passos são necessários a fim de alcançar o objetivo”.

Você é um milagre

Cada pessoa é absolutamente singular. Observe sua singularidade, aquilo que o faz diferente e especial e use isso a seu favor: você é um milagre da natureza. Para ser um bom vendedor, se limitar a copiar os outros não é suficiente. Ao contrário, ressaltar suas diferenças é o caminho para o destaque. Permita-se ser diferente, explorar o que outros não exploram, testar caminhos jamais testados.

Aqui, Mandino também incentiva o vendedor a aumentar seu conhecimento, tanto da humanidade quanto de seus produtos: somente conhecendo a fundo cada um deles, o vendedor poderá usar seu vocabulário mais aprimorado, usando a fala como recurso para suas vendas.

Viva como se fosse seu último dia

Aproveitar o tempo da melhor maneira possível é a dica do quinto pergaminho. “Não tenho senão uma vida e a vida não é nada mais que uma medida de tempo. Ao perder tempo, destruo a vida”. Desperdiçar tempo não é apenas desperdiçar oportunidades de vendas, mas desperdiçar a vida em si. Reflita sobre o que pode estar gerando tédio e momentos de preguiça. Entre em ação para observar, mapear esses desperdícios e deixe-os de lado. Viva cada dia como se fosse seu último – e seu último dia deve ser, sempre, o seu melhor dia.

Seja dono de suas emoções

“Fraco é aquele que permite que seus pensamentos controlem suas ações; forte é aquele que força suas ações a controlar seus pensamentos”. Como fazer isso? Praticando o oposto. Se está triste, cante. Se está com preguiça, mexa-se. Se sentir inferior, use roupas bonitas. Erga a voz quando se sentir inseguro. Lembre-se de seus acertos passados quando se sentir incompetente. Seja dono de suas emoções.

O mesmo vale para emoções exaltadas. Se estiver muito confiante, lembre-se de seus fracassos. Quando estiver abastado, lembre das bocas sem comida. Se muito orgulhoso, lembre de suas fraquezas. Domine suas emoções e pensamentos, sendo dono de si mesmo.

Não perca a capacidade de rir

Mantenha a capacidade de rir, do mundo e de si mesmo. Nada é grande ou importante de mais para não permitir o riso. E é essa capacidade que mantém cada coisa em seu tamanho real. Ria de seus fracassos e eles se dissiparão. Ria de seus sucessos e eles irão encolher para sua proporção real. E lembre sempre: “Isto também passará”. Se tudo passa, porque não rir de tudo? “Jamais permitirei tornar-me tão importante, tão sábio, tão imponente e tão poderoso que esqueça de como rir de mim mesmo e do meu mundo”.

Lembre também que a felicidade não pode ser estocada, mas deve ser utilizada. “Desfrutarei hoje da felicidade de hoje. Ela não é um grão para ser armazenada numa caixa. Ela não é vinho para ser guardada na jarra. Ela não pode ser guardada para o dia seguinte. Deve ser plantada e colhida no mesmo dia e isto eu farei, de hoje em diante”.

Gere valor

Seja sua própria referência e gere seu próprio valor, centuplicando-o a cada dia. Crie objetivos para cada dia, cada semana e cada mês – e gere mais valor a cada objetivo. Pense em seu desempenho no passado e engrandeça seu objetivo com base nisso. Use seu próprio padrão como medida de crescimento e crie metas altas. Comparar-se com outras pessoas é importante, porém não há comparação melhor do que a consigo mesmo. Seja sua própria referência.

Aja

Use a ação em seu favor, sempre. Não fique preso a apenas conceitos, conhecimentos abstratos, tabelas e números. Aja. Não evite as tarefas de hoje, não deixe para depois. Não deixe a paralisia do medo ou do desconhecido o atingir. Apenas aja. “É melhor agir e fracassar do que não agir e atrapalhar-me. A felicidade, em verdade, pode não ser o fruto colhido pela minha ação, mas sem ação todo fruto morrerá na vinha”.

Tenha fé

A dica final dos pergaminhos é manter a fé. Afinal, se todos os seres buscam e pedem por ajuda nos momentos de dificuldade, porque não se apoiar na fé? Mas não peça socorro. Peça por orientação, para que você mesmo possa agir, sendo dono de sua vida, mas se apoiando na fé para encontrar seu próprio caminho.

Notas finais

O maior vendedor do mundo é inspirador e extrapola seu objetivo de vendas: mais do que ensinar a vender, ele ensina a viver. As dez dicas apresentadas por Og Mandino são preciosas para quem quer uma vida mais leve, produtiva e feliz. Ele ressalta que tudo depende de nossa própria postura frente ao mundo. Não está lá fora, mas dentro de cada um a chave para ter sucesso e felicidade.

Dica do 12min

Quer mais lições centenárias sobre como viver a vida ao máximo? Leia também Os quatro compromissos da filosofia tolteca e aproveite esse momento para se tornar uma pessoa mais equilibrada e completa

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

Quem escreveu o livro?

Og Mandino (Augustine Mandino) foi um escritor nascido na Itália e que viveu nos Estados Unidos da América. Foi um "guru" do setor de vendas. Presidiu a revista Success Unlimited até 1976, quando, aos 52 anos, "chocou o setor ao renunciar à presidência para dedicar-se em tempo integral a escrever e dar palestras" (do posfácio do livro The Choice, Bantam Books, 1984, um romance traduzido no Brasil como A Escolha Certa). Ex-alcoólatra que quase chegou ao suicídio, tornou-se milionário ao publicar O Maior V... (Leia mais)