Como ler livros

Charles Van Doren & Mortimer J. Adler Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Você já leu um livro todo para depois perceber que não entendeu nada? Acredite, muita gente já passou por isso também! E, na maioria das vezes, culpamos o autor, não é mesmo? Mas a realidade é que, muitas vezes, nós não sabemos como ler corretamente!

Criar este microbook foi uma ótima experiência aqui no 12' pois nos ajudou a pensar sobre nosso processo de criação de novos sumários. Nós recomendamos MUITO a leitura deste microbook e também da obra original. "Como ler um livro" vai te ensinar a compreender melhor suas leituras, e vai te dar algumas dicas sobre como ler determinados tipos de livros, sem preconceitos e prejulgamentos. Aprenda algumas técnicas e extraia o máximo de informação possível das suas leituras! Vem com o 12 descobrir como fazer isso!

Aumentando seu conhecimento através da leitura

Quando você lê um livro, duas coisas podem acontecer: ou você entende tudo perfeitamente, ou entende o suficiente para saber que não entendeu absolutamente nada. Ler é um exercício para aumentar seu conhecimento. E para alcançar este objetivo, são necessárias duas condições. A primeira é que exista uma desigualdade inicial no entendimento: o autor e o leitor devem possuir ideias e conhecimentos distintos. Após isso, o leitor precisa superar essa desigualdade e, então, compreender o texto.

Entendendo os diferentes níveis de leitura

Se você quer ler melhor, é preciso entender os diferentes níveis de leitura. Para o autor do livro, existem quatro níveis de leitura. Os níveis são cumulativos no sentido de que cada nível abrange todos os outros anteriores, e você não conseguirá progredir para um nível mais alto sem dominar os níveis anteriores.

Os quatro níveis de leitura são: Leitura elementar, inspecionável, analítica e sintática. Vamos conhecê-los?

A Leitura elementar

Para dominar esse nível, você precisa conhecer os fundamentos da arte de ler. Nosso primeiro encontro com a leitura é nesse nível; infelizmente, muitas pessoas nunca avançam para os níveis posteriores.

Nesse nível de leitura, a pergunta que o leitor tenta responder é “O que essa frase diz?”.

Embora essa possa ser considerada uma pergunta complexa, nesse cenário ela deve ser analisada em seu sentido mais simples.

As habilidades da leitura elementar tendem a surgir muito cedo para a maioria das pessoas. Mesmo assim, continuamos a enfrentar problemas com esse nível de leitura, não importando nossa capacidade enquanto leitor.

A maioria dessas dificuldades é mecânica, e pode ser rastreada no início do aprendizado da leitura. Superar essas dificuldades normalmente nos permite ler mais rapidamente.

Para um leitura elementar, existem quatro sub-estágios básicos:

  • Leitura pronta (desenvolvimento físico precoce)
  • Leitura simples (vocabulário pequeno; simples habilidades)
  • Leitura expandida (vocabulário extenso; assuntos diversos; satisfação)
  • Leitura refinada (entendimento de conceitos; comparação de diferentes pontos de vista)

A leitura pronta começa na época do nascimento e continua até quando a criança tem entre seis a sete anos. Esse tipo de leitura inclui os preparativos para que a pessoa aprenda a ler. O preparo físico envolve o desenvolvimento de uma boa visão e audição; o preparo intelectual envolve um nível mínimo de percepção para que a criança se lembre de palavras inteiras ou letras que se combinam. O preparo da linguagem envolve a habilidade de falar claramente e de usar frases na ordem correta.

Na leitura simples, as crianças aprendem a ler coisas simples. Elas começam dominando por volta de 300 a 400 palavras no final do primeiro ano. As habilidades básicas são introduzidas nessa época, como o uso dos contextos. No fim desse período, é esperado que as crianças leiam livros simples com independência.

A leitura expandida é caracterizada pelo progresso rápido na construção do vocabulário e pelo aumento na habilidade de entender contextos. As crianças nesse nível aprendem a ler por motivos diferentes e em diferentes áreas de conteúdo, como ciência, artes, estudos sociais e etc.

Finalmente, a leitura refinada é caracterizada pelo refinamento e desenvolvimento das habilidades adquiridas anteriormente. O estudante começa a ser capaz de assimilar suas experiências de leitura, ou seja, transportar os conceitos de uma leitura para outra, e comparar diferentes pontos de vista sobre o mesmo assunto. Esse estágio de leitura maduro, deve ser adquirido por jovens, no início da adolescência. E ele deve manter um desenvolvimento contínuo pelo resto da vida.

A Leitura inspecionável

O foco da leitura nesse nível é extrair o máximo de um livro em um certo período de tempo. Quando você lê nesse nível, seu objetivo é examinar a superfície do livro para aprender tudo que essa superfície pode te ensinar.

Técnicas para leitura inspecionável de um livro incluem:

  • Skimming sistemático ou pré-leitura. Essa técnica consiste em ler os tópicos principais rapidamente, sem se ater as frases;
  • Ler o título das páginas e o prefácio para entender o que esperar de um livro;
  • Procurar por algumas passagens que pareçam cruciais;
  • Ler as notas do editor para entender o contexto do livro;
  • Procurar pelos capítulos fundamentais e ler as passagens de abertura e/ou de fechamento;
  • Folhear o livro todo, lendo alguns parágrafos e/ou páginas pelo livro; especialmente no final, procurando pelo argumento central;

A Leitura analítica

O terceiro nível de leitura, a leitura analítica, é uma atividade mais complexa e sistemática do que os dois níveis anteriores. A leitura analítica é a leitura minuciosa, completa. O leitor analítico deve se fazer muitas perguntas organizadas sobre o que ele está lendo.

A leitura analítica provavelmente não será necessária se seu objetivo com a leitura for apenas buscar por informações simples ou entretenimento. A leitura analítica é utilizada, em particular, com o objetivo de compreender o texto de forma aprofundada. Mudar sua mentalidade de uma condição de pouca compreensão para uma condição de mais compreensão, com a ajuda de um livro, é quase impossível a menos que você tenha pelo menos alguma habilidade com leitura analítica.

Técnicas para a leitura analítica incluem:

  • Sublinhar frases importantes;
  • Fazer linhas verticais para marcar seções importantes;
  • Fazer marcações na margem como asteriscos ou estrelas;
  • Circular palavras chaves ou frases;
  • Fazer anotações estruturais – sobre o conteúdo do assunto;
  • Fazer anotações conceituais – sobre os significados e conceitos explorados no livro;
  • Fazer anotações dialéticas – sobre o formato do argumento nas grandes discussões sobre as ideias de outras pessoas;

A Leitura Sintática

O quarto e último nível de leitura é o mais complexo e sistemático. Ele faz exigências muito pesadas para o leitor, mesmo que o material seja relativamente simples.

Outro nome para esse nível de leitura é ‘leitura comparativa’. Nesse estágio, o leitor está lendo muitos livros, não apenas um, e os compara uns com outros e com assuntos e informações relacionadas ao livro. Uma comparação simples dos textos não é suficiente: a leitura sintática envolve muito mais. Com a ajuda dos livros que estão sendo lidos, o leitor é capaz de construir uma análise do assunto que pode não estar em nenhum dos livros. A leitura sintática é o tipo de leitura mais ativa e exigente.

Técnicas para a leitura sintática incluem:

  • Estabelecer terminologias comuns entre livros diversos;
  • Esclarecer questões e problemas através de conteúdos sobre o mesmo assunto;
  • Analisar a discussão e o ponto de vista do autor para procurar pela verdade;

Aprendendo a criticar um livro

Ler é como dialogar, a única diferença é que, aqui, o leitor tem a palavra final. Como leitores, devemos aos autores um julgamento justo e considerado da sua obra. E isso significa que devemos suspender nossas suposições, entender seus pontos de vista, e buscar por argumentos para concordar ou discordar com sua narrativa.

Você deve ser capaz de dizer, com confiança, “eu entendo”, antes de dizer frases como: “eu concordo”, ou “eu discordo”, ou “eu não tenho opinião. ”

A maioria das pessoas pensa que vencer uma discussão é mais importante do que aprender a verdade. Mas a única maneira de vencer uma discussão, é adquirindo conhecimento. O desacordo é inútil a menos que seja considerado como uma maneira de resolver um problema, ou como uma aproximação justa da verdade.

A primeira coisa que precisamos fazer é entender o autor, e a partir daí fazer uma observação crítica à sequência e a lógica dos argumentos do autor.

A leitura crítica é uma questão de disciplina. Devemos evitar qualquer preconceito e prejulgamento.

Lembre-se de que somos racionais, mas também emocionais. Reconheça seus sentimentos e julgue o livro com argumentos embasados e contextualizados.

Esteja ciente de que você e o autor possuem seus próprios preconceitos e suposições. Por isso, tente ser imparcial e evite julgamentos preconceituosos.

O autor precisa dar razões para dizer o que diz, e você também precisa ter razões para discordar dele.

Fazer comentários como: “eu não sei o que você quis dizer, mas eu acho que você está errado”, não ajudam em nada. Não faz sentido nenhum responder às críticas desse tipo.

Finalmente, pode parecer óbvio, mas não julgar ou criticar também é uma maneira de criticar. Isso significa que você não está convencido e que não foi persuadido de nenhuma maneira pela obra.

Lendo livros práticos

O que é um livro prático? Qualquer livro que contenha regras ou prescrições guias, ou qualquer tipo de direcionamento prático. Existem dois tipos de livros práticos: os livros com regras atuais, em que qualquer discussão no livro gira em torno dessas regras; e os livros com princípios que dão origem às regras.

Enquanto você lê qualquer livro prático, você deve se fazer algumas perguntas. Alguns bons exemplos são:

  • Qual o assunto do livro?
  • O que o autor quer que eu faça?
  • Como o autor sugere que eu faça isso?
  • Os objetivos do autor estão, junto com os meios propostos, de acordo com sua concepção do que é certo?

Lendo histórias, peças, poesias e biografias

Para ler histórias e compreender a obra como um todo, ela deve ser lida de uma vez, ou pelo menos no menor período de tempo possível. Devemos também ter cuidado para distinguir os livros que satisfazem nossas necessidades inconscientes individuais, antes de dizer que uma história é boa.

Quando a obra é uma peça, ela só é compreendida quando atuada em um palco. Por isso, o leitor precisa imaginar essa dimensão enquanto lê, como se a peça estivesse realmente sendo atuada. Essa leitura é melhor compreendida quando lida em voz alta, lentamente e com expressão, por meio de palavras que são arranjadas com ordem e ritmo.

Leia tudo sem interrupção, leia em voz alta e leia mais de uma vez. Qualquer poema lírico bom, possui uma unidade.

Por fim, biografias e autobiografias são narrativas sobre a vida de alguém, ou seja, uma história de uma pessoa ou de um grupo de pessoas. As autobiografias revelam muita coisa sobre a alma do autor.

As biografias são, em sua maioria, escritas depois que a pessoa já morreu. Nelas,o autor reúne todo o material que conseguiu sobre a pessoa. Leve em conta que as biografias autorizadas são muitas vezes enviesadas para que a pessoa seja vista de um ponto de vista melhor.

Lendo livros de ciências e matemática

Antigamente, quando não existia especialização institucionalizada, todos os livros científicos e matemáticos eram escritos por leigos, para qualquer pessoa que pudesse ler. Atualmente, os livros mais modernos sobre esses tópicos são escritos apenas para pessoas no mesmo campo de estudo que o autor.

Para uma leitura eficiente de textos científicos, se você quer realmente entender a ciência, você precisa seguir o experimento que o cientista fez de perto. Dessa maneira, você consegue entender a parte indutiva que é muito característica da ciência. É ainda melhor se você puder refazer os experimentos ou se você puder visitar um laboratório ou algum lugar em que os experimentos estão sendo feitos.

Tente observar as evidências que levaram o autor à sua conclusão.

Quanto à leitura de textos matemáticos, o autor nos lembra de que a matemática é uma linguagem, e que é a linguagem menos influenciada pelos sentimentos. Ele fala muito sobre a beleza e satisfação da matemática, graças à sua abstração e símbolos.

Lendo livros de filosofia

A filosofia tenta responder questões como: a existência do ser, mudanças, a necessidade e a contingência, o conhecimento humano, o livre arbítrio, o bom e o mal, o certo e o errado, virtudes e vícios, felicidade, justiça, indivíduos e a sociedade e os propósitos da vida. O problema filosófico é tentar explicar, não descrever, a natureza das coisas. O principal objetivo ao ler filosofia é pensar sobre o que o autor está dizendo. Todas as questões filosóficas, ao final, precisam ser respondidas pela pessoa que está lendo sobre elas. Para maximizar sua compreensão, o melhor que você pode fazer é ler mais de um filósofo sobre um tema específico.

O autor explica que temos mais ou menos as mesmas experiências, mas o que nos diferencia dos grandes filósofos é o fato deles pensaram profundamente sobre suas experiências. Existem maneiras diferentes pelas quais esses filósofos impressionaram seus pensamentos para sempre.

Lendo livros de ciências sociais

É muito difícil definir o que são ciências sociais, e é também muito difícil definir que tipo de livro você está lendo nessa área. Em ciências sociais, é importante ler uma questão particular ou um problema ao invés de um autor particular ou um livro, porque é uma ciência que muda muito rapidamente. O autor também recomenda a leitura de autores que influenciaram o livro que você está tentando ler, ou pelo menos conhecer um pouco mais sobre quem escreveu esses livros. Livros nessa área precisam ser lidos de maneira sintática.

Busque por auxílios à leitura

Alguns livros são mais complicados e pode ser mais difícil entender o que o autor quer dizer. Por isso, podemos buscar alguns auxílios que nos ajudam com a leitura. Existem dois tipos de auxílios: a leitura extrínseca e a leitura intrínseca. Quando falamos em leitura extrínseca estamos falando em ler um livro à luz de outros livros. E a leitura intrínseca implica em lermos um livro sem qualquer relação com outros livros.

A leitura extrínseca pode ser separada em quatro categorias principais:

  • Experiências relevantes: você pode ter a ajuda de dois tipos de experiências relevantes para entender livros complicados. As experiências comuns e as experiências especiais. As experiências especiais devem ser buscadas de maneira ativa e só estão disponíveis para as pessoas que procuram. Um exemplo de experiência especial é de um antropologista que viaja para a Amazônia para estudar os habitantes de uma região não explorada. As experiências comuns estão disponíveis para todas as pessoas, mas não precisam ser compartilhadas por todos para serem comuns. A experiência de ser pai por exemplo, é comum mas não é compartilhada por todos os seres humanos.
  • Outros livros: ler outros livros relacionados podem ajudar a entender os livros difíceis. Algumas vezes os autores são influenciados por outros autores, então quando você lê esses livros, pode entender melhor os contextos e outros detalhes importantes.
  • Comentários e resumos: Os resumos podem ser utilizados se você quer conhecer o conteúdo do livro antes de ler, para saber se a leitura será relevante para você. Quanto aos comentários, é importante que você só leia comentários depois de ter lido o livro, para que não seja influenciado por eles.
  • Livros referência: são os dicionários e as enciclopédias. Para usar esses livros, você precisa ter pelo menos uma vaga ideia do que quer saber, e você precisa saber onde encontrar as respostas.

Já a leitura intrínseca pode ser separada nas seguintes partes:

  • Resumo: um resumo não pode substituir a leitura do livro, mas te ajuda a entender se você quer mesmo ler o livro em questão;
  • Prefácio
  • Introdução
  • Prólogo
  • Notas do autor

Buscando ajuda em outros livros

A maioria dos milhões de livros escritos no mundo ocidental - mais de 99% dos livros - não vai te ajudar a melhorar sua habilidade de leitura. E você não deve esperar aprender qualquer coisa importante com esses livros. Na realidade, você não precisa lê-los de maneira analítica. Uma leitura utilizando técnicas como o skimming, muitas vezes, é mais que suficiente. Um livro que faz um bom trabalho te entretendo pode ser muito divertido por uma hora, mas você não deve esperar aprender nada com ele.

Entretanto, existe uma segunda classe de livros com os quais você pode aprender - como ler e como viver. Esses livros correspondem a menos de um porcento dos livros e eles demandam muito do leitor. Finalmente, a terceira classe de livros, é ainda menor: Os livros que nem mesmo o melhor leitor consegue tirar toda a informação. Você deve procurar esses poucos livros, pois terão grande valor para você. Eles são livros que te ensinam muito, tanto sobre leitura quanto sobre a vida. Além disso, te farão querer repetir a leitura inúmeras vezes e te ajudarão a crescer.

Lendo e evoluindo a mente

A leitura ativa é o ato de fazer perguntas e procurar por respostas. Bons livros exercitam nossa mente, melhoram nossas habilidades de leitura e nos ensinam sobre o mundo e sobre nós mesmos. Eles exigem muito de nós.

Mas existe um mundo além dos bons livros – o dos livros excelentes. Bons livros não precisam ter mais de um significado ou não exigem mais que uma leitura. Por outro lado, livros excelentes possuem muitos significados e precisam ser lidos muitas vezes.

Faça o seguinte teste para saber se um livro é excelente:

  • Se você estivesse fosse para uma ilha deserta, quais dez livros você levaria com você?
  • O livro parece desenvolver você?
  • Você vê novas nuances cada vez que você relê o livro?

Você só vai conseguir melhorar como leitor se ler livros que te desafiam, que estão além da sua capacidade. Estes livros vão trabalhar a sua mente e te ajudar a evoluir, e dessa maneira você vai conseguir aprender. Finalmente, nossa mente pode atrofiar se não for usada, assim como os músculos. A atrofia dos músculos mentais é o castigo que pagamos por não realizarmos exercícios mentais.

Os grandes escritores sempre foram grandes leitores, mas isso não significa que eles leram todos os livros que foram listados como indispensáveis. Em muitos casos, eles leram alguns poucos livros, mas leram muito bem. Porque eles dominaram esses livros, se tornaram parte do mundo dos autores. Dessa forma, passaram a ser autoridades no meio. O curso natural de eventos é que, um bom aluno se torne um professor, e da mesma maneira, um bom leitor se torne um autor.

Notas Finais

Ler bem, ou seja, ler ativamente, não é só um meio de avançar no mundo e em sua carreira; ler bem mantém sua mente viva e em crescimento constante. Procure pelos livros que sejam excelentes para você.

Desenvolver habilidades de leitura adequadas, vai te ajudar a adquirir novos conhecimentos e a aprender mais sobre diferentes tópicos que te interessam.

Pronto para aplicar os conceitos aprendidos aqui? Comece identificando o gênero literário da sua próxima leitura, e faça o teste para descobrir se esse livro é um livro excelente. E boa leitura!

Dica do 12’: Se você gostou desse microbook, que tal ler ‘10 days to read faster’ da autora Abby Marks-Beale? Ele vai te ajudar a acelerar sua leitura sem perder a compreensão!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: