Grit to Great

Linda Kaplan Thaler & Robin Koval Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Você já se perguntou se deveria mesmo insistir em algum esporte ou atividade mesmo não tendo um talento natural? Já tentou vencer seu próprio desânimo ao pensar que precisa se esforçar duas vezes mais que aquele colega de trabalho ‘sabe-tudo’? Todo mundo já passou por alguma situação assim, e em ‘Grit to great’, os autores nos mostram como a perseverança e o esforço superam qualquer talento inato em qualquer situação! Não importa sua idade, cargo ou classe social, se você trabalhar duro, pode alcançar o que quiser. Vem com o 12’ aprender como!

Talento não é melhor que trabalho duro

Pesquisas atuais sugerem que há coisas muito mais importantes para o sucesso do que talento ou habilidades naturais. A paixão e a perseverança são muito mais importantes do que o talento ou a inteligência. Para a maioria de nós, o cargo mais alto é o resultado do trabalho duro e não de genes excepcionais. O sucesso é reservado para aqueles que são mais esforçados, para aqueles que têm determinação.

Você já teve o sentimento de que algumas pessoas se saem muito bem, em diversas atividades, sem muito esforço? No colégio algumas crianças nunca estudam e conseguem tirar ótimas notas, enquanto outras precisam estudar por horas para conseguir acompanhar. Mas a verdade é que as pessoas que dependem do seu talento, não vão chegar muito longe na vida.

O talento é superestimado. E isso acontece porque muitas pessoas talentosas possuem um grande potencial mas percebem muito cedo que podem alcançar as coisas sem trabalhar duro. Por outro lado, as pessoas menos talentosas lutam pelo sucesso. Elas buscam os objetivos mais importantes, e não só aqueles nos quais são naturalmente boas.

Então, embora possa parecer que as pessoas talentosas são as vencedoras no mundo, a realidade é que, quem trabalha duro acaba chegando mais longe. E isso acontece porque enquanto as pessoas talentosas sonham, as outras alcançam.

O esforço é o resultado de uma luta, uma disposição em assumir riscos e um senso forte de determinação, trabalhando de maneira implacável para alcançar um objetivo, aceitar desafios e ter paixão e perseverança para alcançar coisas difíceis, mesmo se você está enfrentando circunstâncias complicadas

O que é mais interessante sobre o esforço, é que você pode aprender a ter. A perseverança e o valor do trabalho duro, desde os tempos dos filósofos gregos, são considerados elementos chave da educação e criação das gerações. Aristóteles afirmou que ‘somos o que fazemos repetidas vezes. A excelência não é uma atitude, e sim um hábito. ‘

Esforço e perseverança podem ser aprendidos

Uma famosa escritora do Los Angeles Times revisou diversos estudos ligados à autoestima e seus efeitos nos seres humanos. Ela concluiu que ter uma autoestima alta não traz efeitos positivos nas crianças – não afeta notas escolares ou comportamentos antissociais por exemplo. Na realidade, ela descobriu que dizer às crianças que elas são inteligentes, pode ser contraprodutivo. E isso acontece porque quando a criança acredita ser um gênio, ela normalmente se esforça menos em suas atividades.

E isso tem uma implicação importante: quando uma criança, que foi criada acreditando ter um talento inato, é superada por alguém, pode querer desistir ao invés de lutar para melhorar.

Por isso, todo mundo pode se beneficiar aprendendo a perseverar. E o Departamento de Educação Americano já entendeu isso: eles estão encorajando o ensino do esforço e da resiliência aos estudantes americanos.

Bob Deutsch, um neurocientista americano, afirma que o esforço e a perseverança são habilidades que podem ser ensinadas com um treinamento certo, com experiências e com a prática.

Pense por exemplo, em Steve Jobs. Ele foi demitido em 1985 da sua própria empresa, a Apple. E ao invés de desistir, seu retorno foi triunfal e fez com que a organização se tornasse um grande sucesso. Ele mesmo já afirmou em entrevistas, que ter sido demitido acabou sendo uma ótima oportunidade.

Michael Bloomberg, um dos homens mais ricos do mundo com uma fortuna estimada em $30 bilhões, também reconhece e valoriza o trabalho duro como superior ao talento. Em uma entrevista para a revista New York, ele afirmou: ‘Eu sei o que significa trabalhar duro. E a minha estratégia vai ser sempre essa: não sou o cara mais inteligente, mas eu posso te superar trabalhando mais que você. Essa é a única coisa que sou capaz de controlar.'

Os ingredientes do esforço e da determinação

Depois de muita pesquisa e também pelas experiências próprias, os autores quebraram o esforço e a determinação em quatro ingredientes principais:

  • Coragem: o esforço começa com a coragem de enfrentar um desafio complicado e de não hesitar mesmo com as dificuldades. A coragem te dá confiança para assumir riscos calculados e para ser audacioso.
  • Resiliência: algumas das pessoas mais impressionantes que conhecemos, desistiram dos estudos, foram demitidas de seus empregos, ou precisaram enfrentar alguma adversidade. Mas elas não desistiram por isso. Pense em Jerry Seinfeld, ele foi vaiado no palco durante seu primeiro show stand-up. Steven Spielberg só foi aceito no curso de cinema depois de três tentativas. Mas nenhum dos dois deixou que a humilhação ou o fracasso diminuíssem suas convicções. Pessoas esforçadas e determinadas conseguem se manter focadas mesmo quando enfrentam fracassos e obstáculos.
  • Iniciativa: é o que faz com que você continue se movendo. E é o que torna o esforço algo dinâmico.
  • Persistência: é a habilidade de se manter focado em seu objetivo. Essa é a característica mais associada ao esforço normalmente. Estudos feitos por Anders Ericsson da Florida State University, concluíram que são necessários pelo menos dez anos para dominar uma habilidade em seus níveis mais altos, e para alcançar o potencial máximo.

Lidando com o desconhecido

Quando o artista Nick Wallenda atravessou o Grand Canyon em um longo fio de 430 metros, ele tropeçou e não tinha nenhuma rede de segurança embaixo para segurá-lo. Mas ele não caiu. Ao invés disso, utilizou sua habilidade e seu treinamento intensivo e conseguiu permanecer de pé no fio.

E assim como Nick, em alguns momentos da sua carreira você vai precisar perder a ‘rede de segurança’. E isso acontece porque se você tem paixão e determinação, sua carreira vai decolar; e se você quer ter sucesso, vai precisar sair da zona de segurança. E nesse momento as pessoas com determinação começam a tomar riscos calculados e a mergulhar no desconhecido.

Mas isso não significa que você deve aceitar todas as situações que aparecem. Por exemplo, se você for o CEO de uma empresa que está tentando entrar em um novo mercado, é essencial que conheça os riscos e seus competidores primeiro; não há nada pior do que não entender seus riscos potenciais e levar sua empresa para o buraco.

No entanto, se você cair, a determinação vai te ajudar a aprender com a rejeição. Por exemplo, você quer ser um empreendedor, mas não consegue enfrentar os investidores com medo de ser rejeitado. Você precisa ter em mente que, embora a rejeição incomode, você pode sempre pensar nela por uma perspectiva positiva.

Pense em Jia Jiang, que deixou de lado a segurança do seu emprego, e inspirado por Steve Jobs, começou a empreender. Ele foi rejeitado muitas vezes e estava a ponto de desistir, mas ao invés disso ele transformou a rejeição em uma vantagem e começou um projeto chamado ‘100 Dias de Rejeição’. Jiang tentou fazer uma tarefa diferente todos os dias por 100 dias – como pedir um quarto de camarão em um restaurante ou pedir $100 emprestado para um estranho – todas essas coisas o ajudaram a superar seu medo da rejeição.

Ele colocou seu projeto online e ficou famoso no processo. Depois disso ele escreveu um livro e palestrou no TED Talks.

O sucesso não vem da noite para o dia

Você sabia que Van Gogh só vendeu um quadro depois de sua morte? Pode parecer chocante, já que suas pinturas impressionam os amantes da arte em todo o mundo e são vendidas a preços exorbitantes. Mas mesmo sem reconhecimento durante sua vida, Van Gogh produziu mais de 2,000 quadros.

A maioria dos projetos levam tempo para apresentarem um progresso real, e ainda mais tempo para alcançarem o sucesso. Como resultado, muitas pessoas perdem sua motivação e paciência na metade do caminho e por isso desistem. Mas há uma outra opção.

Você pode se manter motivado durante os projetos de longo prazo se alegrando com as pequenas realizações no caminho. Por exemplo, o procurador Mike Moore, que ficou famoso por suas lutas contra a Big Tobacco, passou anos tentando responsabilizar os grandes conglomerados de tabaco por inúmeras mortes relacionadas ao câncer. Mas suas tentativas foram rejeitadas inúmeras vezes, por diferentes procuradores.

No entanto, com o passar dos anos, ele construiu lentamente um time e se motivava por pequenas medidas de apoio que recebia de outros procuradores. Finalmente, ele conseguiu fazer com que as empresas de tabaco pagassem $100 bilhões para 46 estados, cobrindo os custos médicos dos fumantes.

Mas algumas pessoas vão sentir que com o passar dos anos, as coisas ficam mais difíceis. Portanto, é essencial que você aumente sua motivação e não se acostume. Ao invés disso, faça uso produtivo do seu tempo ao planejar cada ano. Não deixe que uma atitude de incapacidade domine suas decisões, e nunca sinta que você é velho demais para fazer as coisas que deseja. Você não é velho demais e nunca será.

Por exemplo, o Capitão James Henry que foi criado em uma fazenda e se tornou um pescador, só aprendeu a ler depois dos 90 anos de idade. Não apenas isso, mas ele escreveu um best-seller autobiográfico chamado ‘In a Fisherman’s Language aos 98 anos.

Fracassos e obstáculos são pontes para o sucesso

Todos já experimentamos o fracasso e sabemos o quanto é difícil. No entanto, seus fracassos não te definem e você precisa aprender a lidar com eles. Até mesmo jogadores de pôquer famosos perdem alguns jogos, mas o melhor jogador sabe como aprender com seus erros e crescer com eles.

E isso não é verdade apenas para os jogadores de pôquer. Não importa o que você faz, na sua carreira você vai enfrentar o fracasso e outros obstáculos, mas todos os desafios devem ser entendidos como uma oportunidade para aprender e melhorar. Por exemplo, Eleanor Longden foi diagnosticada com esquizofrenia depois de escutar vozes em sua cabeça.

Mas ela não deixou que sua doença a derrotasse. Ao invés disso, ela começou a estudar psicologia, se tornou doutora e agora está na diretoria de uma organização global de pesquisa e apoio que ajuda pessoas com a mesma doença que ela.

No entanto, superar as adversidades não significa que sua determinação deve vir do medo de perder tudo. Na realidade, as pessoas com determinação não são bem-sucedidas porque temem o fracasso, mas sim porque veem o que podem ganhar se conquistarem seus objetivos.

Essa maneira de pensar permite que as pessoas com determinação conquistem coisas que parecem impossíveis e superem qualquer desafio. Por exemplo, Oprah Winfrey foi demitida do seu primeiro emprego como âncora de televisão porque seu chefe não acreditava que ela tinha uma aparência para a TV. Mas ela não desistiu. Ela estava determinada a ser bem-sucedida e todos sabemos o que aconteceu: ela se tornou uma das maiores estrelas da televisão na história.

Lições aprendidas com os bambus

Apesar de ter um corpo rígido, os bambus são muito flexíveis por conta do interior oco. Eles se balançam mesmo com as brisas mais leves. Ainda assim, podem ser a única coisa de pé depois de um tufão, pois suas raízes são firmes e profundas. Os bambus podem enfrentar temperaturas extremas de inverno e de verão e são considerados uma das plantas com crescimento mais rápido do mundo. Diferentemente de outras madeiras utilizadas para construção de móveis, o bambu não precisa de muito acabamento. O que queremos dizer com isso? Você pode aprender muitas coisas com o bambu como por exemplo, enfrentar obstáculos com resistência, mas mantendo flexibilidade e confiança e se adaptando às mudanças.

E é claro que flexibilidade e capacidade de adaptação são elementos essenciais para o esforço. Vivemos em um mundo em que a inovação e a mudança estão em ritmos cada vez maiores. Como reagimos quando enfrentamos uma mudança nos cenários é afetado pelo nosso senso de esforço e determinação.

O otimismo como ferramenta para o esforço

Pensar que o otimismo é uma qualidade aprendida pode ser uma surpresa para muitos. O psicólogo Martin Seligman da Universidade da Pensilvânia estudou o poder do otimismo por muitos anos. Sua pesquisa sugere que o otimismo é uma característica aprendida – e o pessimismo também!

Em 1960, o grupo de pesquisa de Seligman realizou um estudo em que davam choques levemente dolorosos em cachorros, ratos e baratas, com o objetivo de testar resiliência. Depois de um tempo, os animais perceberam que não tinham controle sobre os choques, e por isso começaram a aceitar a situação sem tentar escapar.

Os pesquisadores realizaram o mesmo teste com seres humanos. Nesse caso, os participantes que foram divididos em três grupos, eram forçados a escutar músicas muito altas. As pessoas no primeiro grupo podiam apertar um botão para parar a musica e as do segundo grupo, embora tenham feito diversas tentativas, não eram capazes de desligar a música. O ultimo grupo era o grupo controle, eles não precisavam escutar a música.

No dia seguinte, cada pessoa escutava um som e tudo que precisava fazer para o som parar, era mexer as mãos. As pessoas do primeiro e do último grupo perceberam isso rapidamente. Mas as pessoas do segundo grupo, que foram condicionadas a acreditar que não tinham controle sobre a música alta do dia anterior, não fizeram nada.

E esses resultados confirmaram o fato de que o pessimismo e o otimismo, podem ser aprendidos! Mas o que isso tem a ver com determinação e esforço?

Pense sobre um vendedor pessimista. Depois de algumas semanas ou meses sem sucesso, ele pode desistir ou começar a trabalhar com muito menos entusiasmo. Os estudantes universitários que recebem uma nota ruim em uma aula podem acreditar que não são inteligentes o suficiente para se saírem bem. Em todos os casos, o talento individual ou a aptidão de uma pessoa é muitas vezes menos importante do que a atitude dela – o otimismo e a habilidade de trabalhar duro para melhorar são essenciais.

Ajudar outras pessoas traz motivação

Você já se perguntou como o ser humano de milhares de anos atrás conseguia sobreviver em meio às doenças e aos animais selvagens? A chave para o sucesso deles era o trabalho em grupo: ajudar um ao outro, compartilhar alimento e aumentar a qualidade de vida do outro; eram características essenciais para o desenvolvimento das primeiras comunidades humanas. O mesmo ainda vale para os dias de hoje.

Ajudar o próximo vai aumentar sua própria motivação. Por exemplo, você já ajudou uma pessoa idosa a carregar sacolas pesadas? Você já ofereceu um cobertor, abrigo ou comida para um desabrigado? Se você já fez essas coisas, ou qualquer coisa parecida, provavelmente já se sentiu uma pessoa melhor e experimentou uma onda de gratificação.

Bem, essa gratificação pode aumentar sua determinação. Por exemplo, Navyn Salen era uma dona de casa com três filhos. Um dia ela tomou a decisão de ajudar crianças africanas que sofriam com desnutrição. Ela levou anos para construir uma ONG e para ter o apoio necessário para expandir sua rede, mas depois de anos de investimento de tempo e dinheiro, ela agora consegue ajudar mais de 2.5 milhões de crianças em 44 países.

Então, ajudar o próximo pode te ajudar a fazer coisas impossíveis e também te ajudar a moldar seu caráter e conhecer pessoas novas. E isso acontece porque ajudar o próximo vai te dar uma conexão mais profunda com suas próprias emoções e personalidade. Por exemplo, você vai entender que pode agir com altruísmo e generosidade. Mas você também vai conhecer outras pessoas como você que querem colaborar – e isso vai levar seu trabalho para um próximo nível.

Não apenas isso, mas quando você conhece pessoas que compartilham seus valores, por que não oferecer a elas motivação também? É fácil, você pode ensinar outras pessoas a serem generosas, a terem resiliência e a perseverarem. O resultado vai gerar maior motivação para todos os envolvidos.

Notas Finais

O esforço e a perseverança são grandes ferramentas para alcançar o sucesso na vida de qualquer pessoa. Não importa o momento, o background ou os recursos que você tem. Aqueles que não se cansam ou não desistem com as derrotas, que têm resiliência e implacáveis, que tomam as iniciativas e perseveram, são os verdadeiros vencedores.

Dica do 12’: Gostou da leitura? Leia também ‘As sete leis espirituais do sucesso’! Achamos que você pode gostar. =]

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: