Gestão Fácil

Oseias Gomes Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Em “Gestão Fácil”, Oseias Gomes, consultor corporativo, gestor e empresário fundador da franquia Odonto Excellence, utiliza sua sólida carreira e vastos conhecimentos na área de administração de negócios para oferecer aos leitores uma visão acurada e extremamente útil acerca dos principais temas relacionados à estratégia e à cultura empresarial.

Se você deseja alavancar o seu negócio e desenvolver inovações lucrativas, venha conosco e descubra, em apenas 12 minutos, como inserir a genialidade em suas estratégias empresariais. Boa leitura!

A gestão não pode ser frágil

A despeito de existir inúmeros perfis de empresários (os inovadores, os que conseguem erguer seus negócios com poucos recursos, aqueles que apostam alto etc.), é  possível delimitar um elemento que representa todos, sem exceção: o fato de eles não dormirem!

Além disso, todo gestor se preocupa com o futuro de sua organização e, assim, nem sempre recordam que determinados vícios são mais preocupantes que a própria situação do cenário econômico.

Em tal contexto, os empreendedores verdadeiramente geniais são, segundo o nosso autor, aqueles que conseguem reservar um tempo para descansar.

Afinal, as responsabilidades de quem se encarrega de gerir um negócio não poderia, de modo algum, ser como um pesado fardo para quem deseja crescer. Apenas uma mente devidamente relaxada será capaz de produzir soluções e ideias brilhantes, criando oportunidades reais para o seu empreendimento.

A vaidade do poder

A vaidade do poder leva o gestor ao erro. E este, por sua vez, o conduz ao fracasso. Portanto, é imprescindível se livrar da vaidade, sob pena de não conseguir inovar continuamente.

O líder empresarial vaidoso cessa sua busca por novos conhecimentos e uma melhor formação, desperdiçando, nesse processo, oportunidades muito vantajosas. Com efeito, o gestor que age desse modo acaba por se isolar e, consequentemente, enfrenta sérias dificuldades em compreender a realidade de seu trabalho.

A surdez e a miopia causadas pela vaidade devem ser superadas a partir da atuação de uma nova geração de empreendedores que almejam se manter atualizados e competitivos em mercados que passam por evoluções constantes.

O gestor que deseja estar sempre seguro

A vontade de sempre estar em segurança pode levar o gestor ao mais retumbante dos fracassos. Para Gomes, em vez de agarrar a âncora de seu barco, o melhor a fazer é compreender o valor inerente às velas.

Isso significa que buscar segurança fará com que você permaneça estático, quando o seu papel é se mexer. Lembre-se que tudo na vida está em constante movimento. O autor não orienta a viver uma rotina banalizada ou desregrada, fazendo quaisquer coisas somente para não ficar estagnado.

É por isso que Gomes rejeita o tradicionalismo que se constitui baseando-se em estereótipos. Tenha em mente que o estereótipo de empreendedor que lhe foi ensinado, via de regra, não funciona na prática.

Assim, você deve parar de buscar segurança e começar a procurar pelo movimento, a fim de atender às necessidades de seus funcionários e clientes. Procure mudar diariamente, encontrando no mundo, nas pessoas e nas variadas fontes de conhecimentos as soluções para os desafios que a sua empresa terá de encarar.

O segredo é gerar facilidades

O autor explica que o conceito de genialidade se constitui a partir da articulação entre a inteligência e a sabedoria, entre o poder criador e a capacidade de realizar. Dessa forma, o gestor genial é aquele que sabe como gerar facilidades.

Todas as empresas podem chegar à genialidade, desde que respeitem os 6 passos explicados a seguir:

1. Uma boa ideia

O seu serviço e/ou produto deve ser bom, porém, sem nenhum “mas”, isto é, sem detalhes escondidos ou “pegadinhas” para os clientes. Uma boa ideia faz o negócio surgir.

Não será, necessariamente, a ideia que você mais gostou ou se orgulha de ter tido, mas aquela que o mundo necessita em determinado momento e você teve a sensibilidade de identificar nos hábitos dos indivíduos.

As boas ideias nascem da observação rigorosa dos costumes para chegar na identificação daquilo que as pessoas necessitam que seja facilitado. Não se esqueça de que  dispor de capital sem antes desenvolver uma boa ideia é uma verdadeira armadilha para os empreendedores.

No passado, para que um negócio tivesse êxito, ele só precisava elevar a produção dos mesmos produtos que já existiam no mercado, porém, de uma forma mais barata. Na atualidade, porém, o foco tem sido deslocado cada vez mais para a criação de produtos geniais.

2. Pessoas

Em qualquer área e em todos os momentos da sua empresa, você precisará das pessoas: elas são órgãos vitais para que o corpo permaneça vivo. Acima de tudo, você necessita que tais pessoas estejam totalmente engajadas em seu projeto.

A cultura deve ser compreendida como um hábito, ou seja, práticas diárias que passam a ser internalizadas por todos os colaboradores. Isso só é possível, contudo, a partir do momento em que o gestor entende que as pessoas são o verdadeiro valor de uma empresa.

Para atingir o sucesso é preciso acreditar, mergulhar de cabeça no fortalecimento da cultura organizacional – o mais importante patrimônio de uma empresa – e na valorização e reconhecimento do trabalho de cada colaborador.

3. Gestão

A técnica necessária para garantir que tudo flua como o esperado é algo próprio dos mais talentosos maestros.  Como gestor, você é parte da orquestra e, embora não produza nenhum som, assegura que eles estejam afinados, coordenados, intensos e sutis quando necessário, fazendo com que a orquestra funcione como uma unidade.

Do contrário, o público assistiria a um tenebroso espetáculo, no qual dezenas de instrumentos produziriam ruídos freneticamente caóticos. Uma boa gestão diz “como fazer”, “onde fazer” e “o que fazer”.

Gomes afirma que o gestor deve partir de uma visão integral de seu negócio, incluindo responsabilidade, igualdade, controle, ambiente, qualidade e processos. Lembre-se de analisar detalhadamente a experiência dos clientes com os seus produtos e/ou serviços:

  • a experiência da compra;
  • a experiência com a marca;
  • a experiência do serviço ou produto, a prática de consumir.

4. Estratégia

Ser um gestor competente implica em desenvolver e executar as ações que ajudarão a alavancar o seu negócio. Traçar estratégias externas e internas, a fim de compreender como a organização deve atuar para conquistar mais espaço no mercado, e engajar os clientes são pilares  fundamentais para o sucesso de qualquer empresa.

Você não deve se prender às tendências passadas. O autor recomenda desburocratizar a implementação de novas medidas estratégicas, à medida que uma das piores coisas que pode acontecer é ver os concorrentes implantarem a sua ideia.

Pense: quantos gestores burocratizaram excessivamente o lançamento de certas medidas e, assim, acabaram vendo os concorrentes entregando aos clientes exatamente aquilo que eles imaginavam?

Para que isso não aconteça com você, saia do escritório e ganhe as ruas para entender como a vida é e como são compostos os desejos e anseios das pessoas comuns, isto é, dos seus clientes. Depois, não se contente em oferecer um produto inovador: ofereça experiências de compras agradáveis e, sobretudo, fáceis.

5. Estrutura

A estrutura adequada para que os profissionais trabalhem pode fazer toda a diferença. Similarmente, uma estrutura inadequada significa dinheiro perdido. Criamos, ao longo dos últimos anos, uma cultura baseada nas startups, segundo a qual muitas pessoas passaram a propagar a noção de que, nos dias atuais, não é preciso investir em estruturas físicas.

Para o autor, tudo isso não passa de mesquinharia escondida sob o manto da modernidade. Uma vez que a estrutura engloba tanto os softwares quanto os espaços físicos e benefícios, não é razoável exigir excelência em contextos que não são excelentes.

Para que o seu negócio tenha condições de crescer, assegure uma estrutura condizente com os objetivos e as especificidades da sua organização, cuidando dos elementos físicos e da cultura organizacional, de modo a permitir que os membros da equipe tomem parte em todas as decisões importantes.

Não subestime a importância do investimento necessário para colocar suas ideias em prática. Ao investir corretamente, você estará pronto para colher os melhores frutos do seu empenho e da dedicação dos seus colaboradores.

Evite se “apaixonar” pela estrutura que for construir: se as coisas mudarem, esteja disposto e bem preparado para efetuar as adaptações que se mostrarem necessárias. Não se abale por críticas, mantendo-se firme e fugindo dos maus conselhos.

6. Inovação

A inovação é um dos elementos mais característicos dos ambientes de negócio do século XXI. E isso não se dá por acaso. Todos desejamos inovar, sem exceções, o grande problema é “como”.

A inovação é o último dos pilares da organização. Embora o autor a classifique como essencial, ela é um passo que pode ser dado somente após garantir a efetivação dos cinco anteriores.

Outro fator interessante é que a inovação não é uma escolha. Ela tem que ser constante para que a empresa não perca sua competitividade e relevância e, também, possa gerar  valores maiores no mercado em que atua.

Para exemplificar como isso pode ser feito, Gomes elabora o conceito de “tecnologia de impulsionamento”, visando potencializar o contato entre os clientes e o seu negócio de forma exponencial.

Tecnologia de impulsionamento

A tecnologia de impulsionamento é o tipo de solução que cria novos mercados e exponencialidade. Esse é o caso de redes sociais como Airbnb, Uber, Twitter, Instagram e Facebook, além de aplicativos de lojas, bancos, dentre outros.

Aqui, as organizações que obtiveram sucesso ou se constituíram segundo esses princípios lograram maior alcance e se converteram em alguns dos negócios mais valiosos de todo o mundo.

O mindset da escalabilidade visa encontrar formas de conectar clientes e empresas de forma que o crescimento ocorra sem, necessariamente, exigir aumentos proporcionais de estrutura.

Afinal, o que vivenciamos na atualidade são ciclos mais rápidos de inovação, o que faz com que tenhamos menos tempo para o aprendizado e para a adaptação.

Notas finais

Para ser genial e criar uma organização verdadeiramente exponencial você não precisa ter poderes sobre-humanos nem necessita controlar obsessivamente planilhas ou as metas de vendas.

Em vez disso, deixe a sua organização na crista da onda e comemore cada pequena conquista, celebrando sua vida nesse processo. Dessa forma, notará que tal desapego não se confunde com a irresponsabilidade: basta aplicar os passos propostos por Gomes e deixar de lado o egocentrismo.

Mude a sua mentalidade para pensar que, caso algo realmente funcione, então ele precisará funcionar sem a sua intervenção direta. Faça a sua gestão, sonhe, coloque os sonhos em prática e, depois, descanse.

Dica do 12min

Gostou do microbook? Então, acompanhe o canal oficial do nosso autor no YouTube e veja os melhores conteúdos para multiplicar negócios com estratégias voltadas à geração de facilidade em todos os aspectos da sua empresa!

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: