Fora de Série - Outliers

Malcolm Gladwell Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Quer descobrir o que é necessário para o sucesso? Como entrar para o clube dos grandes magnatas da história? Tornar-se uma pessoa realmente fora de série? Malcolm Gladwell pesquisou a história de grandes personalidades bem sucedidas como Bill Gates, os Beatles e Mozart, para provar que ninguém 'se faz sozinho'. Para Gladwell, mais importante do que entender como são essas pessoas, é saber qual é sua cultura, a época em que nasceram, seus amigos e família, pois tudo isso pode exercer um impacto no padrão de qualidade das realizações humanas. Para alcançar o nível de excelência em qualquer atividade e se tornar alguém altamente bem-sucedido, devem ser necessárias nada menos do que 10 mil horas de prática. Vem com a gente conhecer a regra das 10 mil horas de Gladwell?

Sua Saúde Não é Resultado de Uma Vida Saudável

Muitas pessoas tendem a acreditar que as pessoas saudáveis comem bem, exercitam-se e levam vidas completamente saudáveis, além de possuir bons genes. Porém, como é possível que uma grande parcela da população seja extremamente saudável sem prestar atenção nestas premissas? Estas pessoas fora de série nos forçam a avaliar a saúde humana por uma nova perspectiva. Um estudo realizado na cidade de Roseto, nos Estados Unidos, provou que o senso de comunidade, por incrível que pareça, tem impacto na boa saúde das pessoas e em seu bem-estar. Os Rosetanos sempre tiveram uma cultura igualitária, cuidavam uns dos outros e dividiam seus alimentos. Lá, muitas gerações viviam sob o mesmo teto e todos conviviam em harmonia. Esses senso de comunidade gerava um grande bem-estar na população e isso contribuiu para a saúde da população local, mesmo que seus membros não cultivassem hábitos saudáveis.

Seu Mêsversário Afeta Seu Sucesso

Você acreditaria se disséssemos que seu mês de aniversário impacta suas chances de sucesso? Veja um exemplo: No Canadá, na liga júnior de Hockey, a competição é dividida pelo ano de nascimento das crianças. Crianças nascidas em 2006 competem apenas com crianças nascidas em 2006. Isso pode parecer justo, mas se você levar em conta as diferenças de desenvolvimento que podem ocorrer entre uma criança que nasceu em janeiro e uma criança que nasceu em dezembro, a diferença pode ser dramática. Quase um ano de diferença tem um grande impacto no porte, maturidade e nas habilidades aprendidas pela criança. Isso faz com que as crianças mais velhas sejam escolhidas para o time, enquanto as mais novas daquele ano fiquem no banco de reservas. Neste caso, os mais velhos são naturalmente expostos a maiores chances de sucesso esportivo. Essa "injustiça" pode acontecer também na vida educacional. Programas desenvolvidos para crianças superdotadas foram criados para desenvolver suas capacidades além do comum e garantir seu sucesso em um ambiente de crianças com maior potencial. Jovens que nasceram no início do ano acadêmico tendem a ter maiores chances de serem escolhidos para estes programas. Além disso, os alunos mais velhos de um mesmo ano tendem a aprender mais rápido (por estarem mais desenvolvidos) e serem mais notados pelos professores. Isso dá a eles maiores chances de entrar nas melhores faculdades dos Estados Unidos.

O Lugar Onde Você Nasceu Também Impacta Seu Sucesso

Sua cidade natal, sua raça e classe social também têm um grande impacto no seu futuro. Eles não são determinantes para o sucesso, mas geram grandes oportunidades. Na Jamaica, por exemplo, no século 18, aqueles que nasciam com pele mais clara, filhos dos relacionamentos dos brancos abastados com a população negra local, eram considerados superiores em comparação aos de pele mais escura. Isso fez com que muitos jamaicanos mestiços pudessem ir à escola e se libertassem da escravidão, enquanto a população negra continuava escrava e sem acesso à educação. Isso impactou todo o desenvolvimento de classes na Jamaica, resultando na concentração de renda nas mãos dos mestiços, em detrimento da população negra. Quando o sucesso vem fácil para alguém, é muito provável que esta pessoa tenha tido um grande componente de sorte aleatória. Isso é muito diferente de criar sua própria sorte, quando você avalia as oportunidades e escolhe quais deseja perseguir. A sorte aleatória foge do controle das pessoas e as ajuda a ter melhor acesso à educação, empregos e, consequentemente, ao sucesso.

Mais Escola, Mais Sucesso

Quanto mais tempo você gasta na escola, mais sucesso você terá. Mas será que o tempo gasto estudando na escola e o tempo estudando em casa têm impactos diferentes? Analisando resultados acadêmicos de estudantes, Malcolm nos mostra a importância dos estudos em casa. Quanto mais horas extracurriculares de estudos em casa os estudantes têm, maiores suas chances de completar suas faculdades. Se um aluno estuda mais de 12 horas por semana em casa, ele tem chances muito maiores e performa melhor que os demais. Se ele frequenta a escola aos sábados, as chances de sucesso e sua performance também aumentam dramaticamente. Quando o aluno passa muito tempo na escola e, ao chegar em casa, ainda tem que estudar 'por fora', sua mente fica focada em passar nos exames de seleção e conquistar as próximas etapas da sua vida acadêmica. Além disso, isso cria disciplina e ajuda os alunos a conseguir realizar mais do que a média. Outro fato interessante é a questão das férias. É claro que os alunos precisam descansar após um ano letivo com muitos estudos, mas, por outro lado, estudos mostram que o período de férias também impacta o sucesso acadêmico. Se um estudante que vem de uma família mais rica é submetido a um teste logo após as férias, ele tende a ter uma performance melhor do que seus colegas menos favorecidos. Isso ocorre porque os estudantes das classes mais altas vivem experiências culturais diferentes durante as férias, que os ajudam a adquirir novos conhecimentos e faz com que se saiam melhor nos testes após as férias. O mais importante é notar que, quanto mais tempo dedicado aos estudos, maior a performance do aluno na faculdade, independentemente da sua classe social.

Como Sua Cultura Influencia Sua Atitude

As pessoas tendem a associar estereótipos ao lugar onde a pessoa nasceu, vive e foi criada. Já ouviu uma piada de português? É disso que estamos falando. Mas é importante analisar as estatísticas e pesquisas para entender de onde vêm estes estereótipos. Nos Estados Unidos, acredita-se que a população do Sul é mais agressiva e a população do Norte é mais pacífica. Para Gladwell, por exemplo, analisando as altas taxas de mortes por violência no Sul dos EUA, nota-se que é um lugar mais perigoso para se viver. A pergunta que emerge, então, é a seguinte: Será que o estereótipo sulista de agressividade explica essa maior taxa de mortes violentas? No estado de Kentucky, localizado no sul dos EUA, no século 19, os colonizadores escolheram as montanhas para viver e construir as primeiras cidades. Lá, famílias se envolviam em grandes brigas e discussões por questões aparentemente pequenas, como discussões sobre comida ou propriedade privada. Os homens usavam armas para proteger a honra das suas famílias e isso criou uma cultura onde a reputação e a autoafirmação eram essenciais. Estes valores prevaleciam sobre valores como paz e harmonia da cidade. Essa cultura foi passada de geração para geração e isso faz com que o temperamento sulista seja menos inclinado a aceitar pequenas brincadeiras e ofensas. No Norte, onde não existiu um grande desafio de colonização e as cidades se formaram mais rapidamente, as pessoas não se importam tanto com estes valores e tendem a ignorar pequenas falhas dos outros.

Descubra a Lei das 10 Mil Horas

Para se tornar um mestre na sua área de atuação, você precisa investir ao menos 10 mil horas da sua vida praticando. Quando uma pessoa fora de série chega ao sucesso, as pessoas tendem a pensar que eles nasceram gênios e foram presenteados com aquela característica de forma inata. Malcolm tenta desconstruir este argumento. Ele afirma que, apesar de a genética afetar a inteligência das pessoas, a genialidade é resultado de dedicação extrema à prática. Usando estudos, Malcolm busca comprovar que o nível de prática que leva à genialidade está em torno de 10 mil horas. 10 mil horas são aproximadamente 3 horas por dia, ao longo de 10 anos. Mesmo que você seja talentoso e dedicado, vai precisar de muitos anos de prática para adquirir a maestria na sua área de atuação. Você também vai precisar de um ambiente que permita que você pratique consistentemente por horas a fio, até que consiga atingir as 10 mil horas. Um estudo mostra, por exemplo, que jovens violinistas, para desenvolverem sua maestria, precisam primeiro ter condições de pagar por aulas de violino e possuir um instrumento de qualidade decente. Violinistas experts, além do suporte e motivação dos pais, têm tempo e espaço necessários para praticar dezenas de horas por semana. Se você quer desenvolver sua maestria em algo, precisa estar preparado para sacrificar sua vida social, potenciais empregos e diversões, o que faz com que muitas pessoas nunca consigam chegar às 10 mil horas de prática. Além disso, a sorte também tem um impacto na sua capacidade de atingir a maestria. Bill Gates, por exemplo, teve a sorte de ter acesso a computadores cedo em sua vida, numa época (década de 70) em que os computadores eram raríssimos. Ele conseguiu atingir as famosas 10 mil horas de programação, ao contrário de milhares de outras pessoas que poderiam ter se tornado grandes programadores e não tiveram a chance de ter acesso a um computador para praticar.

O Impacto do Ano Em Que Você Nasceu

Imagine- se como um jovem habilidoso e que trabalha duro, na época da Grande Depressão nos Estados Unidos. Na maior crise já vivida pelo país, mesmo os profissionais mais talentosos não tinham acesso a empregos e recursos e, por isso, essa geração foi profundamente prejudicada. Por outro lado, se você nasceu na década de 30, após o fim da crise, acabou vivendo a recuperação da economia. Nesta geração, nasceram menos pessoas e as universidades estavam, inclusive, oferecendo educação gratuita para estudantes, por terem capacidade ociosa. O ano de nascimento é uma mera questão de sorte que tem um grande impacto na vida das pessoas. Outro grande personagem fora de série é Steve Jobs. Assim como Bill Gates, ele nasceu na década de 50 e teve a chance de vivenciar a explosão da computação pessoal nos anos 70. Isso tornou possível que eles começassem grandes empresas e se tornassem gigantes da computação. Além do ano de nascimento, o contexto econômico também importa. Gates e Jobs tiveram diversas situações de sorte que permitiram que eles pudessem ser protagonistas na revolução do computador pessoal. Outro exemplo interessante: nas décadas de 60 e 70, jovens judeus que se formavam em Direito eram rejeitados pelas empresas tradicionais de advocacia e acabaram relegados a um mercado menos popular, os escritórios de fusões e aquisições. Esta coincidência do destino fez com que eles enriquecessem e se beneficiassem dramaticamente da virada econômica do final da década de 70, em que as fusões de grandes empresas se tornou uma área de alta demanda e extremamente rentável. As habilidades às quais eles haviam sido relegados, naquele momento se tornaram escassas e mais valiosas, o que criou uma combinação perfeita.

Se Você Faz o Que Gosta, Tem Mais Chances de Sucesso

Você é muito mais propenso ao sucesso ao tentar se encontrar em uma atividade que realmente ama. Quanto mais realizadas no trabalho, mais as pessoas se sentem inspiradas a pensar de forma criativa e desenvolver suas habilidades. Empregos que tenham um propósito para o profissional tendem a ser mais difíceis e desafiadores, mas também trazem um maior senso de satisfação e oportunidades para inovação. O sucesso do trabalho com propósito teve um grande impacto na vida dos imigrantes judeus nos Estados Unidos. Enquanto os imigrantes mexicanos e italianos se viravam como empregados domésticos, fazendeiros e nas linhas de produção por quase toda sua vida, os imigrantes judeus escolheram um caminho diferente. A cultura judia é extremanente focada na comunidade e também no comércio. Por isso, os judeus optaram por começar carreiras empreendedoras, abrirem negócios e usá-los para reforçar sua comunidade. Eles criavam negócios próprios, comércios, fábricas e isso lhes dava autonomia para entender melhor o contexto americano e encontrar novas oportunidades, crescendo seu poder econômico nos Estados Unidos. Outro aspecto interessante da cultura imigrante nos EUA é a tendência a valorizar sua história e preservá-la. Os imigrantes ensinam a importância do trabalho duro aos seus filhos e isso cria um impacto positivo em suas carreiras no futuro. Isso permitiu que várias gerações, após chegada humilde nos EUA, tenham conseguido formar grandes empreendedores de sucesso, além de milhões de médicos, engenheiros e advogados.

O Jeito Como Você Cria Seu Filho Impacta o Sucesso Dele

Em um famoso experimento focado em acompanhar ao longo do tempo a vida de crianças geniais, com QIs acima de 140 pontos, surgiu uma descoberta interessante. Muitas delas falharam e não tiveram sucesso, mesmo com todo seu potencial, muitas vezes terminando desempregadas. Isso ocorre pois as crianças que não obtiveram sucesso não contaram com o benefício de ter um ambiente familiar que os ajudasse a desenvolver suas habilidades. Outro exemplo emblemático é o homem que, com o maior QI dos EUA, trabalhou como segurança de boate por quase 20 anos. A maneira como você cria seus filhos e o ambiente familiar têm um grande impacto sobre seu futuro. Por exemplo, crianças provenientes de famílias mais pobrestendem a interagir mais com pessoas e conversar sobre suas opiniões e interesses. Já nas famílias mais ricas, pelo fato de os pais terem que ficar mais tempo fora de casa e deixarem as crianças mais sozinhas, elas tendem a crescer com menos convivência com outras pessoas. Pais mais presenteslevam as crianças a se desenvolverem melhor socialmente, enquanto pais mais ausentes tendem a ajudar as crianças a se desenvolverem para um futuro de maior sucesso.

O Impacto do QI na Genialidade

Sim, o QI das pessoas é uma vantagem em suas vidas, mas este impacto é muito menor do que tendemos a acreditar. A partir de 120 pontos de QI, mais pontos não aumentam suas chances de sucesso. Malcolm observou isso nas políticas de cotas raciais de algumas universidades americanas. Apesar de os estudantes negros terem menos qualificação que os brancos no momento da admissão na faculdade, eles tendem a ter o mesmo nível de sucesso dos seus colegas brancos após o diploma. O fenômeno se repete na seleção de alunos para o grupo das melhores universidades dos Estados Unidos, a chamada Ivy League. As melhores universidades, como Harvard, não avaliam os estudantes por QI. Alunos dos mais diversos níveis intelectuais são aceitos e o que importa são as notas anteriores e as realizações. Ser um gênio não te coloca automaticamente nas melhores universidades e não é uma garantia de sucesso. Outro aspecto importante é que criatividade tem um papel fundamental na realização de feitos relevantes, na inovação e nas invenções. Ganhadores de prêmios Nobel, por exemplo, nem sempre têm QIs de nível genial. Sua criatividade permitiu que eles fossem capazes de criar algo novo que era tido como extremamente importante pelo comitê de avaliação do prêmio.

O Valor do Trabalho Duro

Já ouviu alguém falar que japoneses e chineses são ninjas na matemática? Você acha que eles nascem com um dom para isso? A verdade é que eles vivem uma cultura em que o sucesso é derivado do trabalho duro e do esforço, que prevaleceu por gerações. Desde os tempos agrários, o esforço é valorizado e levado muito a sério nas culturas de arroz na Ásia. O processo de cultivar o arroz é meticuloso, difícil e delicado, o que formou um componente cultural que afeta a maneira como os estudantes encaram o trabalho e também a matemática. Dominar matemática tem muito mais relação com a atitude e a disciplina do que com a aptidão do aluno. Para resolver problemas complexos, é preciso persistência e otimismo, características culturais da Ásia que ajudam os estudantes orientais. Assim como nas culturas de arroz, eles fazem o esforço necessário, esperam e ajustam até a colheita. Outro aspecto importante é que, no Oriente, o sistema numérico é muito mais intuitivo.

O Papel da Comunicação

A maioria dos acidentes de avião ocorrem por erros técnicos e problemas mecânicos, geralmente durante o pouso ou na decolagem. Quase nunca é apenas uma única causa. Na maioria das vezes, os acidentes ocorrem por uma sequência de erros em conjunto. Um dos fatores de maior impacto é a falha humana. A maioria das falhas têm origem humana, mesmo quando os pilotos, que passaram por milhares de horas de treinamento, possuem experiência e certificações. Os erros mais comuns cometidos pelos pilotos se relacionam à comunicação entre eles e os controladores de tráfego no solo. Se ocorre alguma situação emergencial, a comunicação tem um papel fundamental para que o problema seja corrigido e para que os passageiros pousem em segurança. É preciso coordenar toda a comunicação entre equipe de solo, pilotos e equipe de bordo do avião para que haja sucesso. Barreiras de idioma também causam acidentes. Se o piloto vem de uma cultura que tradicionalmente espera um maior respeito à autoridade, há uma maior propensão a acatar as diretivas dos controladores de tráfego. Eles também têm mais dificuldade de comunicar a gravidade da situação quando necessário. Apenas melhorando a fluência dos pilotos em inglês, a linguagem internacional da aviação, e os treinando com a terminologia adequada, é possível reduzir dramaticamente os riscos e potenciais acidentes causados por falhas de comunicação.

Notas Finais:

Fora de Série é um livro que nos leva a entender um pouco mais sobre a história do sucesso e também entender quais componentes estão dentro e fora do nosso controle. As oportunidades que uma pessoa tem podem ser influenciadas por fatores aparentemente irrelevantes, como o lugar, o ano e o mês em que ela nasceu. Porém, fica claro também que o caminho do sucesso pede sacrifícios. Com 10 mil horas de prática, suas chances de dominar algo de verdade aumentam dramaticamente. Ao entender estes fatores e aprender sobre os grandes foras de série, podemos aprender muito e entender quais fatores podemos controlar na busca pelo nosso próprio sucesso.

Dica do 12': Gostou de aprender mais sobre como os grandes personagens fora de série da história são construídos? Você também vai gostar de ler nosso microbook Foco, baseado na obra de Daniel Goleman.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: