×
50% OFF

Você está a 12min da sua melhor versão!

Aproveite 50%OFF no 12min e comece a se desenvolver agora!

1770 leituras ·  0 avaliação média ·  0 avaliações

Dicionário 12min de Investimentos

Dicionário 12min de Investimentos Resumo
Investimentos & Finanças e 12min Originals

Este microbook é uma resenha crítica da obra: 

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 

Editora: Editora Independente/Não Encontrada

Também disponível em audiobook

Resumo

Como os juros compostos atuam nos investimentos? 

Antes de começar para valer, vamos recapitular uma regrinha matemática que mostra bem como dá para fazer o dinheiro ir se multiplicando, mesmo investindo só um pouco. Nos investimentos, os juros compostos fazem o seu dinheiro crescer. 

Talvez você não se lembre da fórmula matemática que faz esse cálculo, mas isso não é o mais importante. Precisa mesmo entender como a coisa funciona. Os juros compostos aplicam juros sobre os juros. 

Se você não consegue pagar uma conta num mês, por exemplo, a dívida aumenta porque os juros começam a ser cobrados sobre os juros já existentes. Essa bola de neve é a maneira de calcular as taxas em diversas modalidades de crédito. 

A boa notícia é que os juros compostos também são usados nos cálculos dos rendimentos dos valores investidos. Muitos investimentos não são chamados de títulos da dívida à toa. Da mesma forma que um banco cobra juros sobre juros daquele empréstimo que você pegou, também é assim que são calculados os rendimentos dos seus ativos diversos, que não deixam de ser uma modalidade de empréstimo, né? 

Bem, se depois dessa pequena aula de matemática, você ainda não se decidiu por investir, então é sinal que você não gosta mesmo de fazer o dinheiro trabalhar e se multiplicar. Só não vale reclamar daqui para frente, hein?

Agora vamos listar, em ordem alfabética, os principais termos do mundo dos investimentos!

Ações

São um investimento de Renda Variável, cada uma delas representa um pedacinho do valor das empresas, uma fração da companhia. Podem ser ordinárias, que dão direito a votos nas decisões da companhia, ou preferenciais, que dão direito à preferência na hora da distribuição dos lucros.

Alavancagem

Trata-se do uso de recursos financeiros para aumentar as possibilidades de lucro. 

Benchmark

É a referência de mercado usada para basear os resultados de um produto. Se a Taxa Selic representa a rentabilidade do produto, então ela é o benchmark do produto. 

B3

É a Bolsa de Valores Oficial do Brasil.  

Caderneta de poupança 

Modalidade de investimentos mais antiga e conhecida no Brasil, tem baixo risco e pouquíssima rentabilidade. De toda forma, é uma ferramenta para guardar dinheiro.

CDB

Certificados de Depósito Bancário, usados pelos bancos para captar dinheiro para emprestar e realizar outras operações. São títulos de renda fixa, podendo ter rendimento pré-fixado ou pós-fixado. 

CDI

Certificado de Depósito Interbancário, uma taxa de juros usadas pelos bancos nos empréstimos que fazem entre uns e outros. 

Clubes de Investimento

Nesses clubes, um grupo de 3 a 50 pessoas faz um investimento coletivo títulos e valores mobiliários em ações ou derivativos. 

Contratos Futuros, mercado futuro

Negociações acertadas para datas futuras, com o trader negociando contratos e se comprometendo a pagar um valor numa data futura, apostando na alta ou na baixa do índice Ibovespa, do dólar ou de commodities. 

Day Trade

Operação de compra e venda de ações num mesmo dia. 

Debêntures

Títulos de dívidas emitidas por empresas, que oferecem direitos de crédito ao investidor. Costuma ter maiores rendimentos que outros investimentos de Renda Fixa.

Declaração de Imposto de Renda

Comprovação anual da renda de cada cidadão brasileiro. 

Diversificação de investimentos 

Estratégia de investidores para evitar a concentração de todo o capital numa única modalidade de investimentos. Recomenda-se deixar um valor equivalente a um período ode 6 a 12 meses de despesas mensais em investimentos de boa liquidez, para o saque imediato caso haja necessidade. O restante fica em outros investimentos, de menor liquidez e com foco no médio e longo prazo. 

Dividend Yeld

Termo em inglês para a distribuição de lucros periódica, os populares dividendos. Muito valorizado por investidores que pensam no longo prazo. 

Para calculá-lo, você precisa dividir o valor pago em dividendos pelo preço individual das ações antes da distribuição dos dividendos. Depois, multiplique o resultado por 100, e aí terá à disposição a relação entre os dividendos e o valor da ação. 

FGC

Fundo Garantidor de Crédito, instituição que garante o pagamento de até 250 mil reais no caso de falência das empresas que emitiram títulos de renda fixa. 

Fundos de Investimento

Fundos de investimentos reúnem um grupo de vários investidores, que realizam um ou mais investimentos financeiros. São semelhantes a um condomínio, em que especialistas administram o fundo estrategicamente e os investidores dividem as receitas e despesas. 

Home Broker

Plataforma digital para operações de compra e venda no mercado financeiro, quase sempre por meio de uma corretora. 

Indexador

Índice referência para a rentabilidade de um investimento. 

Índice Bovespa (Ibovespa)

Este índice indica a variação de compra e venda dos ativos mais negociados na bolsa de valores. 

IPCA

Índice de Preços ao Consumidor Amplo, medidor da inflação oficial e referência para a rentabilidade de alguns investimentos. 

IPO

Sigla em inglês para Oferta Pública Inicial de Ações, quando a empresa oferece a venda de ações pela primeira vez. Também chamado de abertura de capital. 

LC

Letras de Câmbio, uma modalidade de títulos de Renda Fixa.  

LCI e LCA

Letras de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito do Agronegócio. São fundos usados pelos bancos para usar o dinheiro em operações de empréstimos imobiliários e financiamentos agropecuários. Dentre suas vantagens, está a de serem isentos da cobrança do Imposto de Renda.

Liquidez

Período de espera necessário para resgatar o valor investido. Em alguns investimentos, você precisa aguardar anos, em outros casos, são poucos dias até ter o dinheiro investido, com os rendimentos, na mão. Quando você ouvir que a liquidez de um investimento é d+1, isso indica que você terá que esperar um dia após o pedido para ver seu dinheirinho devidamente resgatado. 

Lucro

Medida de ganho de uma empresa ou instituição qualquer depois de uma operação ou de um período de tempo. 

Regra 50-15-35

Regra clássica de poupança. Nela, 50% do seu orçamento precisa ser reservado para os gastos básicos, como aluguel, condomínio, contas de luz, água, telefone, mensalidades de escola e faculdade, planos de saúde etc. O segundo número representa os 15% da renda mensal reservado para as prioridades financeiras, como dívidas e pendências para quitar ou investimentos quando não houver inadimplência. Os outros 35% são para a manutenção de estilo de vida, como lazer, academia e cuidados pessoais.

Reserva de emergência

Mecanismo para alcançar a estabilidade econômica. Pode começar guardando 10% dos rendimentos, até chegar aos 15%. O intuito é ter uma reserva equivalente a um período de 6 a 9 meses do valor gasto mensalmente. 

Opções

Contratos de compra e vendas para uma data futura. 

Previdência Privada

Para quem já se preocupa com a aposentadoria, a previdência privada é uma boa opção que incentiva a poupar e oferece vantagens fiscais ao longo do tempo. Existem dois modelos. 

  • PGBL: pelo Programa Gerador de Benefício Livre, o valor aplicado pode ser deduzido do Imposto de Renda;
  • VGBL: já o modelo Vida Gerador de Benefícios Livres é indicado para o longo prazo, já que o Imposto de Renda é todo retido na fonte e só incide sobre a rentabilidade. 

Pré-fixado, pós-fixado e híbrido

Títulos pré-fixados são um rendimento fixo, que não se altera com o passar do tempo. Títulos pós-fixados dependem das oscilações de um indexador, como a Taxa Selic ou o IPCA, por exemplo. 

Por fim, existem ainda os títulos de Renda Fixa híbridos. Neste caso, o rendimento tem uma parte fixa e outra parte atrelada a um desses índices. Como exemplo, imagine um título cujo rendimento é de 5% mais a Taxa Selic. Enquanto o percentual não varia, as oscilações da taxa básica de juros podem fazer aumentar ou diminuir o rendimento final. 

Renda Fixa

Nos investimentos de Renda Fixa, os retornos são estáveis e seguros. Essa modalidade de investimentos é perfeita para quem não quer se arriscar ao aplicar o seu dinheirinho. Aqui, você já sabe qual será a rentabilidade do ativo na hora do vencimento, que é quando você recebe o valor inicial mais os rendimentos. 

Renda Variável

Investimentos de Renda Variável dão a oportunidade de maiores rendimentos, especialmente quando mantidos por bastante tempo na carteira do investidor. Em compensação, não há garantia de receber o mesmo valor investido. 

Rentabilidade

É o retorno sobre o investimento, o rendimento. Quanto maior, significa que o dinheiro rendeu mais, se multiplicou mais. 

Risco e Retorno

O risco envolve as chances de perder ou ganhar dinheiro, proporcionalmente ao valor investido. Já o retorno tem a ver com a rentabilidade do seu investimento. Essas duas características variam de um tipo de investimento para o outro. 

ROE – Retorno sobre Patrimônio

Índice que mete o retorno do acionista. 

Selic

É a taxa básica de juros, sobre a qual se calculam rendimentos pagos pelos títulos do Tesouro e por meio do qual as instituições financeiras do governo controlam os valores negociados. 

Swing Trade

Esta operação é de curto prazo, com compra e venda de uma ação em dias diferentes, podendo ser de dois dias, uma semana ou até mesmo um tempo maior. 

Termo de ações

Compra a prazo com juros, em que o cliente se compromete a realizar a compra ou venda de um ativo financeiro por um preço e juros já determinados na data de fechamento do negócio, com a data de liquidação também pré-determinada. 

Tesouro Direto

É por meio do Tesouro direto que são feitas as negociações de compra e venda dos títulos públicos federais. Apenas pessoas físicas podem participar dessas transações, onde o governo emite títulos para financiar suas dívidas. São muitas, com prazos e taxas variadas. 

Títulos Públicos

Os títulos públicos são emitidos pelo Tesouro Nacional. É uma forma de financiar a dívida pública. Não tem segredo: o investidor acaba emprestando para o governo e recebe de volta nas modalidades pré-fixada ou pós-fixada. Compra e venda podem ser feitas diretamente pelo site do Tesouro Direto. 

Títulos privados

Títulos privados são emitidos por instituições particulares, como bancos, instituições financeiras diversas e empresas em geral. Alguns dos mais conhecidos são CDB, RDB, Fundos de investimentos, LCI, LCA, CRA, CRI e Debêntures.

Volatilidade

Medidor do risco de um investimento, de acordo com a oscilação da rentabilidade num recorte de tempo histórico. 

Notas finais 

Ufa! E aí? Aprendeu todos os termos, ficou craque nos primeiros passos para começar a investir e mudar de vida? Esperamos ter ajudado nesse início de caminhada para um estilo de vida de mais prosperidade. Agora é com você!

Dica do 12min

Depois desse guia bem detalhado do 12min, bora começar a investir? Não precisa ser muito, você vai pegando as manhas aos poucos até se especializar! Vamos?

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.