Autobiography of a Yogi Resumo - Paramahansa Yogananda

Aprenda a aprender de casa! Para você usar o tempo a seu favor! REDUZIMOS A ASSINATURA EM 30%!

Oferta por tempo limitado!

218 leituras ·  0 avaliação média ·  0 avaliações

Autobiography of a Yogi

Autobiography of a Yogi Resumo
Estilo de vida

Este microbook é uma resenha crítica da obra: Autobiography of a Yogi

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 978-0876120798

Também disponível em audiobook

Resumo

Paramahansa Yogonanda foi um grande guru indiano, considerado um dos maiores emissários de toda a história. Em sua "Autobiografia de um Iogue", podemos ver mais detalhes de sua vida, desde as polêmicas, brigas judiciais que envolveram a disseminação de seu trabalho, assim como o esforço que este líder espiritual teve que impor para que seus conhecimentos e sua iluminação alcançasse novos espaços.

Se você deseja conhecer mais sobre como é a vida de um guru indiano, ou mesmo, se deseja se inspirar na perseverança de Yogonanda, este livro é mais que recomendado para você. Ideal para ser lido ou ouvido em casa, num momento de relaxamento.

Hoje sendo considerado um "cisne espiritual", que seria algo como "o ápice supremo da espiritualidade", Paramahansa Yogonanda teve uma história de muito contato com o mundo das energias e, através de seus ensinamentos, conseguiu mudar a vida de milhões de pessoas, principalmente através de seus livros. Conheça o que ele tem a compartilhar nos próximos 12 minutos.

A infância e os primeiros passos na busca espiritual

O desejo da busca espiritual por Yogananda vem desde seus primeiros anos de vida. Ainda criança, ele já tentava entender mais sobre as diversas experiências de vida e morte pelas quais a família e pessoas conhecidas passavam.

O guru espiritual nasceu em Gorakhpur, no nordeste da Índia, numa região próxima às montanhas do Himalaia, em 5 de janeiro de 1893. Por ali, passou seus primeiros anos com seus pais, entre oito irmãos.

Desde cedo, fazia uma pergunta que intrigava os mais velhos, depois de grandes períodos de concentração, incomuns a crianças de sua idade: o que há por trás da obscuridade dos olhos?

Outro fator que modificou sua maneira de ver o mundo foi a morte da mãe, quando tinha apenas 11 anos, a partir da qual intensificou a busca pessoal por Deus.

A morte da mãe e o amuleto místico

O maior desejo da mãe de Yogananda era ver seu irmão mais velho casado.

Sua morte aconteceu quando o mestre tinha apenas 11 anos de idade. E alguns meses depois disso, ele estava em Bareilly, dormindo com o pai, quando foi acordado por um barulho estranho e viu a figura de sua mãe entre as cortinas.

Após mais de um ano, descobriu que ela havia deixado uma mensagem a Yogananda, que na época de sua morte estava longe, morando com um pai em outra cidade.

Em tal mensagem, a mãe anunciava ao filho sempre saber de seus talentos espirituais extraordinários. As mudanças em sua vida, até chegar ao reconhecimento com grande líder espiritual, davam sinais de tempos em tempos.

Linhagem espiritual

Mahavatar Babaji é considerado por Yogananda como o Cristo Iogue da Índia Moderna.

Tem como principal discípulo Lahiri Mahasaya. E um de seus alunos mais conhecidos, Swami Sri Yukteswar, foi o mestre de Yogananda.

Lahiri foi mestre dos pais de Yogananda. Ele conta ter sido curado de forma milagrosa de uma cólera aos oito anos de idade, tão logo sua mãe invocou o auxílio espiritual de Lahiri Mahasaya.

Os três gurus aqui citados são muito elogiados por Yogananda, devido à influência grande e ensinamentos que moldaram sua vida e forma de enxergar o mundo espiritual.

As relações entre mestre e discípulo

Yogananda passou muito tempo buscando um guru. Tal busca acabou ao encontrar Swami Sri Yukteswar e notar que ali havia uma relação única. Foi com ele que treinou por muitos anos para sua missão de difundir a ioga no mundo.

Sri Yukteswar passou muitas lições a Yogananda nos anos em que ele esteve no eremitério com seu mestre, no que considera ser uma experiência em consciência cósmica.

Yogananda ressalta que a relação entre um guru e um discípulo é eterna, nunca acaba, mesmo depois da morte. Não foram poucas as vezes em que ele buscou orientações invisíveis ao mestre para tomar as decisões corretas quando se sentia em caminhos difíceis de seguir.

Profecia de Sri Yukteswar: uma missão no Ocidente

Durante uma interpretação de escrituras, Sri Yukteswar teve uma clarividência e
interrompeu a leitura.

Então, fez a advertência a Yogananda de que ele não estava se concentrando, de fato, nas palavras que estava ouvindo. Segundo o mestre, seu discípulo criava, mentalmente, três instituições: uma criada na planície, a segunda em um monte e a terceira delas no oceano.

Anos depois, Yogananda notou o quanto a profecia estava correta, já que ele fundou a escola para meninos em Ranchi, na Índia, a instituição da sede americana da SRF em Mount Washington e, por fim, construiu um retiro em Encinitas, junto ao Oceano Pacífico.

É importante explicar que a SRF indica a sigla de “Self-Realization Fellowship”, também conhecida como Yogoda Satsanga Society of India, localizada na Califórnia.

Missão no Ocidente profetizada por Bábaji

Em seu primeiro encontro espiritual com Mahavatar Babaji, Sri Yukteswar demonstrou
seu interesse em difundir seus ensinamentos pelo Ocidente.
A divulgação da ioga nos Estados Unidos e na Europa foi uma promessa, que Sri
Yukteswar revelou a Yogananda que ele era um discípulo que Babaji prometeu ser
enviado para realizar essa missão.
Então, tudo o que Yoagananda fez disseminando seus conhecimentos espirituais pelo
Ocidente era uma missão, muito mais que uma mera tarefa a cumprir.

Deus, milagres, religião e ciência

Ao longo de sua autobiografia, Yogananda relata alguns milagres operados naqueles que entendem o significado real da espiritualidade. Ao citar a chamada “lei dos milagres”, ele faz um paralelo entre escrituras e leis físicas.

Yogananda trata de maneira científica da relação com Deus. Há uma relação direta entre as divindades, a vida humana, a religião e a ciência.

Ele se refere à fascinação das pessoas por milagres inexplicáveis como algo que não deve ser discutido em público. Segundo o guru, suas orientações dos mestres o incentivam a incentivar a espiritualidade, sem buscar explicações sobre o que levou um milagre ou algo que a ciência não é capaz de decifrar.

Yogananda, as organizações e os Estados Unidos

Yogananda costumava dizer que as organizações voltadas ao desenvolvimento espiritual eram como caixas de marimbondos.

Em determinado momento da vida, Sri Yukteswar lhe perguntou porque ele tinha essa postura avessa a elas.

Então, Sri Yukteswar reiterou que foi a generosidade de sua linhagem de mestres espirituais que fez com que o conhecimento do ioga se transmitia por várias partes do mundo e as organizações não eram de todo o ruim, elas tinham um papel importante.

Em sua fala: "Deus é o mel, as organizações são as colmeias; Ambos são necessários. Qualquer forma é inútil, é claro, sem o espírito, mas por que não começar a urticária movimentada, repleta de néctar espiritual?"

Foi a partir daí que Yogananda optou por compartilhar seu conhecimento por todo o mundo.

Depois de entrar para a Ordem Monástica dos Swamis, Yogananda criou a escola de Ranchi. E foi aos 27 anos, em 1920, que, recebeu o convite para representar a Índia no Congresso Mundial das Religiões nos Estados Unidos, e acabou morando por lá definitivamente.

Antes de confirmar a aceitação do convite, Yogananda teve a permissão dada por seu guru para aproveitar este momento. Seu pai pagou sua viagem e abençoou sua missão.

Kriya Ioga

Esta é uma técnica de meditação usada por Yogananda, razão de sua missão no Ocidente. Yogananda trata a Kriya Ioga como uma ciência.

Lahiri Mahasaya dava ensinamentos sobre as quatro iniciações em kriya ioga, nas quais demonstrava as três técnicas mais elevadas da meditação. E apenas seus discípulos chegam a este nível de progresso espiritual.

Yogananda e a Iniciação

Ao tratar da ciência da Kriya Yoga, Yogananda explica que a raiz sânscrita das palavras kriya e karma, que são o princípio de causa e efeito, é a mesma. Ambas vêm do termo kri, que significa fazer, agir e reagir.

A verdadeira técnica da Kriya Yoga deve ser recebida de um kriyaban ou kriya iogue, conforme exigido nas aulas realizadas pela SRF.

Afinal, toda a técnica para a meditação mais profunda vai muito além de fechar os olhos e se concentrar no vazio. Os verdadeiros iogues, como Yogananda, têm conhecimentos que o mundo ocidental deveria ouvir com maior atenção.

Yogananda e Mahatma Gandhi

O encontro entre os dois grandes gurus espirituais do século XX causou forte impressão em Yogananda.

Ele descreve a incrível luz nos olhos brilhantes de sinceridade, inteligência e discernimento em um líder que emanava saúde física.

Tal encontro foi intermediado por um guia, que fez Yogananda conhecer pessoalmente um líder que alcançou mais gente em suas palavras sobre paz que qualquer outro na história do mundo.

Yogananda definiu Gandhi como a “grande alma” e seu encontro aconteceu em agosto de 1935, num vilarejo intitulado Wardha.

Um grande encontro, o qual todo e qualquer seguidor gostaria de ter presenciado.

Idas e vindas ao Ocidente

Yogananda relata ter muito prazer em ensinar ioga na Índia e nos Estados Unidos, mas tinha um prazer maior em dar aulas, como hindu, na Inglaterra.

Segundo ele, as classes de Londres eram mais compreensivas e menos suscetíveis a perturbação por parte da política.

Seus ensinamentos seguem por livros e aulas ministradas em diversas partes do mundo.

Objetivos e Ideais da Self-Realization Fellowship

Por fim, compreender um pouco do que são os ideais que seu instituto dissemina nas aulas ministradas no Oriente e no Ocidente é fundamental para entender por completo a missão de Yogananda:

  • Disseminar entre as nações o conhecimento de técnicas científicas definidas para atingir a experiência pessoal e direta de Deus;
  • Revelar a unidade básica e a completa harmonia entre o Cristianismo original ensinado por Jesus Cristo e a Ioga original ensinada por Bhágavan Krishna; e mostrar que estes princípios são o fundamento científico comum a todas as verdadeiras religiões;
  • Apontar a divina e única estrada preferencial para a qual todas as sendas das verdadeiras crenças religiosas eventualmente se dirigem: a estrada preferencial da meditação em Deus, diária, científica e devocional;
  • Demonstrar a superioridade da mente sobre o corpo, e da alma sobre a mente;
  • Liberar o homem de seu tríplice sofrimento: doença física, desarmonias mentais e ignorância espiritual;
  • Promover a compreensão espiritual entre Ocidente e Oriente, e advogar o intercâmbio de suas características distintivas mais refinadas;
  • Harmonizar ciência e religião pelo conhecimento de que a Natureza e suas leis tiveram origem na Mente Divina: a Causa Primeira e Única;
  • Encorajar “o viver com simplicidade e o pensar com elevação” e difundir o espírito de fraternidade entre todos os povos, ensinando-lhes o eterno alicerce de sua unidade: filiação a Deus;
  • Vencer o mal com o bem, a tristeza com a alegria, a crueldade com a bondade, a ignorância com a sabedoria.

Notas finais

Compreender culturas diversas é fantástico. E quando se trata de conhecimentos espirituais, é melhor ainda.

Neste Autobiography of a Yogi, é importante notar o quanto a mescla entre a história de vida de Paramahansa Yogananda e um pouco do que são os ensinamentos de sua doutrina torna esta obra mais rica, já que não está focada em um único aspecto.

Sua descoberta espiritual, ainda na infância, é um fato marcante, tanto por ter vindo de uma profecia da linhagem de seus mestres, quanto por ter forte influência dos seus pais, em especial sua mãe, que lhe apareceu após a morte.

A cultura da Índia, muitas vezes vista de maneira estereotipada por parte do Ocidente, é explicada com detalhes por quem viveu como um mestre espiritual de fato. As aulas dadas por Yogananda em seu instituto nos Estados Unidos, e também na Inglaterra, foram fundamentais para desmistificar preconceitos que o mundo ocidental tem com a cultura iogue.

A autobiografia de Paramahansa Yogananda é uma boa leitura para quem se interessa pelo surgimento dos chamados gurus espirituais do Oriente, cada vez mais em voga num mundo tão corrido quanto o do mundo ocidental.

Dica do 12’

A leitura de O mundo assombrado pelos demônios, escrito pelo astrofísico Carl Sagan, é um grande desafio para pessoas mais espiritualizadas. Nele, o cientista exorciza mitos ligados ao sobrenatural. Faz enriquecer os conhecimentos e fortalecer a verdadeira espiritualidade.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Paramahansa Yogananda foi um iogue e guru indiano. É considerado um dos maiores emissários da antiga filosofia da Índia para o Ocidente. Através da Self-Realization Fellowship (SRF), a organização que fundou ao chegar aos Estados Unidos, foi pioneiro ao promover a prática da meditação por meio das... (Leia mais)