44% OFF

#BLACKFRIDAY 12min - Traga sua carreira de volta aos trilhos!

Não perca essa chance! Escolha um livro agora e potencialize seu aprendizado!

1111 leituras ·  5.0 avaliação média ·  1 avaliações

As 5 linguagens do Amor para Crianças

As 5 linguagens do Amor para Crianças Resumo
Parentalidade e Psicologia

Este microbook é uma resenha crítica da obra: As 5 linguagens do Amor para Crianças – Como expressar um compromisso de amor com seus filhos

Disponível para: Leitura online, leitura nos nossos aplicativos móveis para iPhone/Android e envio em PDF/EPUB/MOBI para o Amazon Kindle.

ISBN: 8543302536; 978-8543302539

Também disponível em audiobook

Resumo

O amor é o alicerce

Você pode amar seu filho de verdade, mas, se não falar a linguagem que lhe transmita amor, ele não se sentirá amado. Uma coisa é o que você sente por seus filhos. Outra é a expressão adequada deste sentimento. 

É com esta provocação que os autores começam a relatar a importância das linguagens do amor na relação entre pais e filhos. Quando seu filho se sente amado, torna-se muito mais fácil discipliná-lo e instruí-lo do que quando o tanque emocional dele está quase vazio. 

Toda criança tem um tanque emocional, um reservatório de força emocional capaz de alimentá-la nos dias desafiadores da infância e da adolescência. O tanque emocional deve ser preenchido, obviamente, com amor.

Mas um amor completo, que aceita e apoia a criança pelo que ela é, não pelo que ela faz. Não importa o que ela faça (ou não faça), os pais continuam a amá-la. Infelizmente, alguns pais expressam amor condicional, que depende de outros fatores.

Para os nossos autores, só o amor incondicional é capaz de evitar problemas como ressentimento, sensação de não ser amado, culpa, medo e insegurança. Mas não é tarefa fácil criar crianças hoje em dia. 

Parece que os pais esqueceram que são apenas crianças, que podem ter comportamentos tidos como desagradáveis, e que crianças devem ser amadas a todo momento, não apenas quando têm uma atitude que desejamos.

Os seus filhos precisam de você

Seu modo de agir com seus filhos lhes revela o que você sente a respeito deles. Quantas formas há de amar os seus filhos? Para os autores, não há tantas assim, mas a saída é sempre a maneira incondicional de amar. 

Para isso, você pode simplesmente lembrar que as expressões comportamentais de amor podem ser divididas em toque físico, tempo de qualidade, presentes, atos de serviço e palavras de afirmação.

Cada criança ou adolescente tem uma linguagem do amor que se destaca: pode ser o toque físico, os presentes, palavras, o tempo de qualidade ou os atos de serviço. É importante descobrir qual é o do seu filho.

Primeira linguagem do amor: Toque físico

O toque físico é a linguagem do amor mais fácil de ser usada de forma incondicional, porque os pais não precisam de ocasiões especiais ou de desculpas para expressá-la. 

Há oportunidades constantes para transferir amor ao coração de um filho por meio do toque físico: aperto de mão, abraço, batidinhas de aprovação nos ombros, colo, etc. Qualquer tipo de contato corporal é válido.

Durante o crescimento, o toque físico é essencial para o desenvolvimento do bebê – não apenas quando os pais estão em casa, fora do trabalho, mas a todo momento. 

Não se deve restringir o tempo para transmitir afetividade pelo toque. À medida que o bebê cresce e se torna mais ativo, sua necessidade de toque físico não diminui. 

Trocar abraços e beijos, brincar de luta no chão, andar de cavalinho: tudo isso deve ser contínuo, inclusive quando as crianças vão crescendo. 

Meninos e meninas devem ser tocados igualmente. E, à medida que crescem, ao se tornarem mais resistentes ao toque físico, tente jogos e brincadeiras físicas mais efetivas.

Na adolescência, o toque físico também é importante para reforçar a autoestima e a segurança.

Vale ressaltar que nem todo toque físico é motivado pelo amor e que os limites devem ser entendidos pela criança, principalmente em relação a estranhos, uma vez que os abusos físicos e sexuais existem.

O feedback da criança quanto ao toque físico afetuoso dos pais é muito importante: “eu sei que a mamãe me ama porque ela me abraça”. Frases como essa apresentam o entendimento e o funcionamento dessa linguagem do amor.

Segunda linguagem do amor: Palavras de afirmação

Para os autores, as palavras são poderosos meios de expressão de amor. Palavras de afeto e carinho, palavras de elogio e encorajamento, palavras positivas de orientação, todas comunicam a mesma coisa: “Eu me importo com você”. 

Eles utilizam a seguinte metáfora: as palavras se assemelham a uma chuva morna e suave irrigando a alma, pois nutrem o senso de valor e segurança no íntimo de seu filho.

Por outro lado, palavras que ferem, proferidas em momentos de frustração, podem prejudicar a autoestima da criança e lançar dúvidas sobre sua capacidade. As crianças pensam que acreditamos piamente em tudo que dizemos.

A segunda linguagem do amor são palavras de afirmação. Mesmo antes de entender o significado das palavras, as crianças sentem o seu significado pela gentileza, expressões e cuidados.

As palavras “eu te amo” assumem um significado maior quando a criança consegue associá-las aos sentimentos afetuosos dos pais, e, em geral, isso significa proximidade física.

A dica dos autores, principalmente com crianças que preferem esta linguagem do amor, e para que se use essas palavras de formas diferentes e em momentos distintos, de modo que ela as relacionem com fatos cotidianos.

O elogio correto e sincero, e o encorajamento também são recursos da linguagem do amor, assim como o “eu te amo”. As palavras de afirmações devem ser usadas de forma adequada, com bons exemplos, nas horas certas, sem depreciar a criança em outros momentos e sem privá-las das palavras de atenção e até de proibição. 

Terceira linguagem do amor: Tempo de qualidade

Você passa tempo de qualidade com os seus filhos? O que faz uma criança se sentir verdadeiramente amada é a atenção exclusiva dos pais. Não no tempo que sobra e nem quando estes fazem outras tarefas.

No mundo moderno, tempo de qualidade pode ser um problema. Mas quem tem filhos sabe que esta é uma necessidade, e não uma opção.

Tempo de qualidade é atenção concentrada, exclusiva. A maioria dos bebês recebe grandes doses de tempo de qualidade. A alimentação e a troca de fraldas oferecem esse tipo de cuidado, não apenas da mãe, mas também de todos da família. 

Mas é importante manter o tempo de qualidade à medida que a criança cresce. Tempo de qualidade é presença. A mensagem que esta linguagem do amor transmite é “você é importante”.

Cultive momento exclusivos com seus filhos, e com cada um deles. Isso pode acontecer por meio de um passeio, de brincadeiras e jogos, do acompanhamento nas tarefas, cozinhando, viajando, conversando, vendo TV, indo às compras etc.

Quarta linguagem do amor: Presentes

Não se trata, neste caso, de consumismo ou recompensa – pelo menos não deveria ser assim. O ato de dar e receber presentes, segundo os autores, pode ser uma forte expressão amorosa.

Os presentes devem ter sentido, um significado para o momento e para outros momentos da vida da criança ou do adolescente. Os presentes mais significativos tornam-se símbolos de amor, de acordo com os autores, e aqueles que transmitem esse sentimento de forma sincera fazem parte da linguagem do amor.

É preciso que haja sinceridade ao presentear, sem exigir nada em troca. Presente não é recompensa, não é suborno, nem favorecimento. Não precisa ser exagerado ou caro: precisa ser significativo para a relação. Se isso ocorrer, não é verdadeiro, e a criança saberá.

Dar e receber presentes é um fenômeno social e cultural que existem em diferentes sociedades – e também entre a família. A dica é extrair o máximo do ato de presentear, como o contato físico, as palavras e a constatação do encantamento e da alegria da criança.

Quinta linguagem do amor: Atos de serviço

Os autores afirmam que os atos de serviço são a principal linguagem do amor de algumas pessoas. O seu filho pode não saber, mas tenha certeza disso: criar filhos é uma vocação orientada para o serviço.

Desde que soube que seria pai ou mãe, soube que teria que se dedicar, pelo menos, 18 anos aos seus filhos. E para poder se dedicar e servir a uma relação você deve estar bem consigo mesmo: prestar muita atenção à saúde física e emocional, ter uma rotina equilibrada de sono, alimentação e exercícios físicos, investir em autoconhecimento e um relacionamento conjugal de apoio mútuo.

Queremos sempre o melhor para as crianças. Mas o que é realmente o melhor? Dar uma barra de chocolate para o seu filho almoçar pode deixá-lo feliz, mas não significa que seja mais nutritivo ou que seja o melhor para ele. 

Essta linguagem do amor é o zelo, é buscar o que é saudável, de fazer coisas que eles não são capazes de realizar sozinhos. É também ter atitudes que possam ser reproduzidas, aprendidas e tidas como exemplo.

Para os autores, há um intermeio: servimos a nossos filhos; porém, quando eles estiverem prontos, devemos ensinar-lhes como servir a si mesmos e aos outros. É ajudá-los a desenvolver também habilidades específicas, dentro das nossas possibilidades.

Vale ressaltar que o ato de serviço, ou seja, a tarefa de servir aos filhos, é constante e se estende por muitos anos. Mas isso não deve se transformar, de forma alguma, em um tipo de trabalho forçado. É um ato de amor, sem amarguras e sem ressentimentos. 

Os nossos autores ressaltam que o serviço feito com amor é um desejo pessoal de usar a própria energia em favor dos outros. O serviço feito com amor é um dom, não uma necessidade, e é realizado livremente, não sob coerção.

E por que servir aos seus filhos com amor? Para ajudá-los a se tornarem adultos maduros, capazes de expressar amor aos outros mediante essa linguagem.

Como descobrir a principal linguagem do amor de seu filho

Já vimos que todas as linguagens do amor são necessárias para o desenvolvimento das crianças e para as relações saudáveis entre pais e filhos. E que cada indivíduo tem uma linguagem sobressalente, ou seja, que funciona mais que as demais, sem anular as outras.

Mas como descobri-la? Os autores ressaltam que quando expressamos amor nas cinco linguagens, principalmente na linguagem do amor da criança, mostramos a ela maneiras de amar as pessoas e a necessidade que ela própria tem de falar a linguagem do amor dos outros.

Encontrar a linguagem de amor preferida do seu filho pode demorar um pouco. É preciso que você teste todas as linguagens continuamente, já que deve fazer isso de qualquer modo. Principalmente quando bebês, pode exigir paciência para que seja descoberta.

As dicas apresentadas pelos autores neste processo são:

  • Observe como seu filho expressa amor por você
  • Observe como seu filho expressa amor aos outros
  • Preste atenção ao que seu filho pede com mais frequência
  • Observe as reclamações mais frequentes de seu filho – isso o ajudará a tomar decisões

Notas finais 

Em As 5 linguagens do Amor para Crianças – Como expressar um compromisso de amor com seus filhos, Chapman e Campbell, nossos autores, oferecem saídas para a aproximação e o relacionamento de qualidade entre pais e filhos, por meio do amor verdadeiramente incondicional, que é a base de tudo.

Com uma linguagem simples e cativante, em cada capítulo é possível conferir instruções, não apenas para identificar a linguagem do amor mais utilizada por seu filho, mas para promover e aprofundar ainda mais as relações em família. Leva tempo saber qual o melhor modo de fazer com que o seu filho se sinta amado, mas é essencial e muito gratificante todo o processo de tentativas e ações. 

E também, ao final de cada capítulo, o leitor pode conferir dicas práticas para cada linguagem, para que expressar o amor seja algo gratificante e cheio de resultados. 

Ao separar o amor de todas as dúvidas, provações, desafios, mitos sociais, gatilhos e recompensas, há um sentimento que permite uma relação incrível, que lhe acompanhará por toda a vida – e pela vida de seus filhos. Vela a pena se permitir!

Dica do 12’

Outra obra que pode lhe ajudar na construção de relacionamentos gratificantes é Disciplina positiva para crianças de 0 a 3 anos, das autoras Jane Nelsen, Cheryl Erwin, Roslyn Duffy, que já está disponível para a sua leitura e é um best-seller sobre desenvolvimento infantil. 

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário:

Quem escreveu o livro?

Ross Campbell é um dos escritores responsáveis por "As 5 linguagens do Amor para Crianças – Como expressar um compromisso de amor com seus filhos". Reconhecidos na á... (Leia mais)

Casado mais de 45 anos para Karolyn, Dr. Gary Chapman é apenas o homem a quem pedir ajuda para melhorar ou curar nossos relacionamentos mais importantes. Suas experiências própria vida, além de mais de quarenta anos de pastoreio e aconselhamento matrimonial, o levou a publicar seu primeiro livro da série Love Language, The 5 Love Languages®: Como expressar o compromisso sincero de seu companheiro. Milhões de leitores de crédito neste contínua # 1 New York Times best-seller com a salvar seus casamentos, mostrando-lhes simples e prático maneiras de comunicar o seu amor ao seu partner.Since o sucesso de seu primeiro livro, Dr. Chapman ampliou sua série 5 Love Languages® para atingir especificamente para adolescentes, solteiros, homens e children.He é o autor de vários outros livros publicados pela Moody Publishers / Northfield Publishing, incluindo a raiva, a família que você sempre quis, o casamento que você sempre quis, desesperado casamentos, Deus fala a sua língua do amor, Parenting seu Adulto criança e esperança para o Separado. Ele foi co-autor... (Leia mais)