As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança

John C. Maxwell Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Ainda que ninguém seja capaz de aplicar fórmulas sobre melhores técnicas para liderança o tempo todo, há sempre o que aprender nessa arte tão difícil de gerir pessoas. A obra escrita e revisada anos depois por John Maxwell traz leis simples que nos ajudam a ter um melhor desempenho nessa tarefa. E todas elas são, de fato, irrefutáveis. Não há como contestar as técnicas para ser um líder mais eficaz. Siga essas leis, começando nos próximos 12 minutos a dissecá-las profundamente.

1. A lei do limite - A capacidade de liderança determina o grau de eficácia da pessoa

A capacidade de liderança é o limite que determina o grau de eficácia de uma pessoa. Quanto mais baixa a capacidade de liderança de uma pessoa, mais baixo o limite em seu potencial. Quanto maior a capacidade de liderar, maior o limite em seu potencial. O sucesso está ao alcance de quase todo mundo. Mas também sucesso pessoal sem capacidade de liderança tem eficácia limitada. Sem capacidade de liderança, o impacto da pessoa é apenas uma parcela do que poderia ser com uma boa liderança. Quanto mais alto você quer chegar, mais precisa de liderança. Quanto maior o impacto que pretende ter, maior precisa ser sua influência. O que você realiza é determinado por sua capacidade de liderar os outros. Quanto mais alto você quer chegar, mais precisa de liderança. Quanto maior o impacto que pretende ter, maior precisa ser sua influência.

2. A lei da influência - A verdadeira medida da liderança é a influência: nada mais, nada menos

A liderança é muitas vezes mal compreendida. Quando as pessoas sabem que alguém tem um título admirável ou uma posição de liderança, supõem que aquela pessoa é um líder. Algumas vezes, isso é verdade. Mas os títulos não têm muita importância no que diz respeito a liderar. A verdadeira liderança não pode ser concedida, indicada ou atribuída. Ela é fruto unicamente da influência, e isso não pode ser dado. Precisa ser conquistado. A única coisa que um título pode comprar é um pouco de tempo, para aumentar seu grau de influência sobre os outros ou para diminuí-lo. Para identificar um verdadeiro líder, a tarefa pode ser muito mais fácil. Não dê atenção às alegações da pessoa de que ela é o líder. Não estude suas credenciais. Não confira seu título. Confira sua influência. A prova da influência está nos seguidores.

3. A lei do processo - A liderança se desenvolve diariamente, não em um dia

Liderança é como investimento: gera dividendos. Tornar-se líder é muito como investir com sucesso no mercado de ações. Se sua esperança é fazer uma fortuna em um dia, não terá sucesso. Em desenvolvimento de liderança, não há “operadores de curto prazo” para o sucesso. O mais importante é aquilo que, a longo prazo, você faz dia após dia. Se você investe continuamente em desenvolvimento de liderança, deixando seu “patrimônio” render, o resultado inevitável é crescimento com o passar do tempo. O que você pode ver quando olha para a agenda de uma pessoa? Elas podem demonstrar muito de sua personalidade, de acordo com as prioridades e do que ela põe importância em seu dia a dia. Veja o que uma pessoa faz todos os dias, dia após dia, e você saberá quem aquela pessoa é e o que ela está se tornando.

Liderar é um dom?

Embora seja verdade que algumas pessoas nascem com mais dons naturais que outras, a capacidade de liderar é, na verdade, uma coleção de habilidades, e quase todas podem ser aprendidas e aperfeiçoadas. Mas isso não acontece da noite para o dia. Liderança é algo complicado. Existem muitas facetas: respeito, experiência, força emocional, habilidade no trato com as pessoas, disciplina, visão, impulso, noção de tempo — a lista é interminável. Como você pode ver, muitos fatores que afetam a liderança são intangíveis. Por isso os líderes precisam de muita experiência para serem eficazes. Por essa razão acho que realmente comecei a compreender com clareza os muitos aspectos da liderança, apenas ao chegar aos 50 anos de idade.

Líderes são aprendizes

Líderes de sucesso são aprendizes. E o processo de aprendizado é contínuo, resultado de disciplina pessoal e perseverança. O objetivo de cada dia deve ser tornar-se um pouco melhor que o do dia anterior, assim é possível edificar a partir do progresso conquistado diariamente.

4. A lei da navegação - Qualquer um pode conduzir o navio, mas é preciso um líder para estabelecer o rumo

Antes dos bons líderes levarem seu pessoal em uma viagem, eles passam por um processo de modo a que a viagem tenha a maior chance possível de sucesso. Navegadores se valem de experiências passadas. Todos os sucessos e fracassos que você já experimentou podem ser uma valiosa fonte de informações e sabedoria. Os sucessos ensinam o que você é capaz de fazer e geram confiança. Mas os fracassos, muitas vezes, oferecem lições mais importantes. Eles revelam suposições equivocadas, falhas de caráter, erros de avaliação e métodos de trabalho ruins. Ironicamente, muitas pessoas odeiam tanto seus fracassos que os escondem rapidamente, em vez de estudá-los e aprender com eles.

5. A lei da adição - Líderes agregam valor ao servir aos outros

Por que os líderes devem liderar? E quando eles o fazem, qual é a primeira responsabilidade? Se você perguntar a muitos líderes, pode receber uma série de respostas diferentes. Pode ouvir que o trabalho de um líder é:

• Tomar conta.

• Fazer a organização funcionar harmoniosamente.

• Dar lucro aos acionistas.

• Construir uma grande empresa.

• Superar a concorrência.

• Vencer.

6. A lei da base sólida - Confiança é o fundamento da liderança

Quão importante é a confiança para um líder? É a coisa mais importante. Confiança é o fundamento da liderança. É a conexão que mantém unida uma organização. Os líderes não podem, repetidamente, quebrar a confiança das pessoas e continuar a influenciá-las. Simplesmente, isso não acontece. Confiança é como troco no bolso de um líder. Toda vez que você toma boas decisões de liderança, recebe mais troco. Toda vez que você toma decisões ruins, dá uma parte do seu troco às pessoas. Todos os líderes, quando assumem uma nova posição de liderança, têm algum troco no bolso. O que eles fazem aumenta ou diminui esse troco. Se os líderes tomam uma decisão errada atrás da outra, continuam a dar o troco. Então, um dia, após terem tomado mais uma decisão ruim, de repente se vêem sem troco. Não importa sequer se a besteira foi grande ou pequena. Nesse momento, já é tarde demais. E quando você não tem mais troco, não é mais líder.

Por outro lado, líderes que continuam a tomar boas decisões e produzindo vitórias para a organização acumulam troco. Então, mesmo que façam uma grande besteira, ainda têm muito troco sobrando.

Confiança é o fundamento da liderança

Confiança é o fundamento da liderança. Como um líder gera confiança? Sendo, de forma consistente, um exemplo de competência, de conexão e de caráter. As pessoas perdoarão erros eventuais graças a sua capacidade, especialmente se podem ver que você continua a crescer como líder. E darão a você tempo para se conectar. Mas não confiarão em alguém que tenha falhas de caráter. Nesse campo, mesmo pequenos lapsos são fatais.

7. A lei do respeito - As pessoas, naturalmente, seguem líderes mais fortes que elas

Quanto mais capacidade de liderança a pessoa tem, mais rapidamente reconhece a liderança nos outros. Quando as pessoas se reúnem pela primeira vez em um grupo, veja o que acontece. Elas começam a interagir, e os líderes do grupo partem para o ataque imediatamente. Eles pensam na direção que desejam tomar e em quem querem levar com eles. Inicialmente, as pessoas podem fazer experiências em muitas direções diferentes, mas, depois que elas se conhecem, não demora muito para que reconheçam os líderes mais fortes e passem a segui-los. Normalmente, quanto mais capacidade de liderança a pessoa tem, mais rapidamente reconhece a liderança nos outros. Com o tempo, as pessoas do grupo entram em forma e seguem os líderes mais fortes. Ou fazem isso, ou deixam o grupo para buscar seus próprios interesses.

8. A lei da intuição - Líderes avaliam tudo em função da liderança

Bons líderes veem tudo com um viés de liderança; por conseguinte, eles, de forma intuitiva, quase que de modo automático, sabem o que fazer no que diz respeito a liderar. Esse instinto de ler e de reagir é claro nos melhores líderes. Em função de sua intuição, os líderes avaliam tudo com um viés de liderança. As pessoas que nascem com uma capacidade de liderança natural são particularmente fortes na área de intuição de liderança. Outras têm de trabalhar duro para desenvolvê-la e conquistá-la. Mas seja como for, a intuição é fruto de duas coisas: a combinação de habilidade natural, as áreas fortes da pessoa, e habilidades aprendidas. A intuição é bem informada, e isso faz com que as questões de liderança apareçam ao líder de uma forma que não ocorre aos outros.

Vejo a intuição da liderança como a capacidade de o líder ler o que está acontecendo.

9. A lei do magnetismo - Você é quem você atrai

Líderes eficientes estão sempre em busca de boas pessoas. Todos temos uma relação mental de que tipos de pessoas gostaríamos de ter em nossa organização ou departamento. Pense nisso. Você sabe quem procura neste exato momento? Para você, qual é o perfil do funcionário perfeito? Que qualidades ele deve ter? Você gostaria que ele fosse agressivo ou empreendedor? Está em busca de líderes? Faz diferença se está na casa dos vinte, dos quarenta ou dos sessenta anos? Pare agora, tire um tempo e faça uma lista das qualidades que gostaria de encontrar nas pessoas de sua equipe. Ache um lápis ou uma caneta e faça isso agora, antes de continuar a ler. As respostas para essas perguntas devem estar num papel para você sempre lembrar delas, que não devem apenas habitar o campo das ideias.

10. A lei da conexão - Líderes tocam o coração antes de pedir uma mãozinha

No que diz respeito a trabalhar com pessoas, o coração vem antes da mente. Isso vale tanto em casos que você se comunica com um estádio cheio de pessoas, comanda uma reunião de equipe ou tenta se relacionar com seu cônjuge. Pense em como você reage às pessoas. Quando você ouve um palestrante ou um professor, quer ouvir um monte de estatísticas áridas ou um monte de fatos? Ou preferiria que o palestrante se ligasse a você no aspecto humano, talvez com uma historinha ou uma brincadeira? Se você já integrou uma equipe vitoriosa nos negócios, nos esportes ou em outra área, sabe que o líder não se limita a dar instruções e colocá-lo no caminho. Sabe que ele se ligou a você na esfera emocional. Para que os líderes sejam eficazes, precisam se ligar às pessoas. Por quê? Porque você primeiramente precisa tocar o coração das pessoas antes de pedir uma mãozinha. É a lei da conexão. Todos os grandes líderes e comunicadores reconhecem essa verdade e a seguem quase instintivamente. Você não consegue colocar as pessoas em ação, a não ser que, antes, as toque com a emoção.

11. A lei do círculo íntimo – O potencial de um líder é determinado por aqueles mais próximos dele

Quando vemos uma pessoa inacreditavelmente bem dotada, há sempre a tentação de achar que o sucesso foi fruto apenas do talento pessoal. Pensar isso é comprar uma mentira. Ninguém realiza sozinho algum grande feito. Líderes não são bem-sucedidos por si sós. O potencial de um líder é determinado por aqueles mais próximos dele. O que faz diferença é o círculo íntimo do líder. Recentemente, as pessoas no mundo dos negócios redescobriram o sentido das equipes. Nos anos 1980, a palavra da moda nos círculos de negócios era gerenciamento. Depois, nos anos 1990, a ênfase era em liderança. Hoje, no século XXI, a ênfase é em liderança de equipe. Por quê? Porque ninguém faz tudo bem.

12. A lei do fortalecimento - Só líderes seguros dão poder aos outros

Para liderar os outros bem, precisamos ajudá-los a atingir seu potencial. Isso significa estar ao lado deles, encorajá-los, dar a eles poder e ajudá-los a alcançar o sucesso. Não é bem o que normalmente vem a nossa mente quando pensamos em liderança. Liderar bem não é se enriquecer, mas sim fortalecer os outros.

13. A lei da imagem - As pessoas fazem o que elas vêem

Grandes líderes parecem sempre incorporar duas qualidades aparentemente incompatíveis. Eles, ao mesmo tempo, são altamente visionários e altamente práticos. Sua visão permite que eles vejam além do imediato. Eles podem antecipar o que está por vir e o que precisa ser feito. Líderes têm a compreensão de como…

Missão gera objetivo — ao responder à pergunta Por quê?

Visão gera uma imagem — ao responder à pergunta O quê?

Estratégia gera um plano — ao responder à pergunta Como?

Os líderes são organizadores da visão. Portanto, o que eles devem fazer para preencher a lacuna entre a visão deles e a dos seus seguidores? Para muitos líderes, a tentação é simplesmente transmitir a visão. Não entenda mal, a comunicação certamente é importante. Bons líderes precisam transmitir a visão de forma clara, criativa e contínua. A transmissão eficaz da visão pelo líder torna a imagem clara. Mas isso não é o bastante. O líder também precisa viver a visão. Quando o líder modela a visão de modo eficiente, faz com que a imagem ganhe vida. Bons líderes sempre têm consciência do fato de que dão o exemplo e de que os outros farão o mesmo que eles, para o bem ou para o mal. Em geral, quanto melhores forem os atos dos líderes, melhores serão os das pessoas. Isso não quer dizer que os líderes têm todas as respostas. Qualquer um que já tenha liderado sabe disso. Muitas vezes, os líderes de maior impacto são aqueles que lideram bem em meio à incerteza.

14. A lei da aquisição - As pessoas compram o líder, depois a visão

As pessoas, de início, não seguem causas merecedoras, mas seguem líderes merecedores que defendem as causas nas quais possam acreditar. As pessoas, primeiro, compram o líder e, depois, a visão do líder. Compreender isso muda toda sua abordagem de como liderar as pessoas. Todas as mensagens que as pessoas recebem são filtradas pelo mensageiro. Se você considera o mensageiro confiável, acredita que a mensagem tem valor. Por isso, atores e atletas são contratados para promover produtos. O mesmo vale quando atores defendem algumas causas. Os atores, de repente, tornam-se especialistas na causa que defendem? Normalmente, não. Mas isso não importa. As pessoas querem ouvi-los, porque acreditam neles como pessoas, ou porque eles têm credibilidade como realizadores. Depois que as pessoas compram alguém, elas estão dispostas a dar uma chance à visão daquela pessoa. As pessoas querem concordar com aqueles que seguem. O único momento em que as pessoas seguirão um líder do qual não gostam com uma visão na qual não acreditam é quando o líder tem alguma espécie de poder. Pode ser em razão de algo muito sinistro, como a ameaça de violência física, ou algo básico, como a capacidade de segurar o contracheque. Se os seguidores tiverem escolha, não seguirão. E mesmo que não tenham muita escolha, começam a procurar outro líder para seguir. É uma situação em que todos perdem. Quando os seguidores não gostam do líder, mas gostam da visão... buscam outro líder

15. A lei da vitória - Líderes descobrem uma forma de a equipe vencer

Você já pensou sobre o que diferencia os líderes que vencem dos que sofrem derrotas? O que é preciso para tornar uma equipe vencedora? É difícil identificar a qualidade que distingue vencedores de perdedores. Cada situação de liderança é diferente da outra. Cada crise tem seus próprios desafios. Mas os líderes vitoriosos têm uma coisa em comum: eles nunca estão dispostos a aceitar a derrota. E, para eles, a vitória como uma possível alternativa é inteiramente inaceitável. Como resultado, eles descobrem o que precisa ser feito para conseguir a vitória.

16. A lei do grande impulso - O impulso é o melhor amigo de um líder

Se você tem toda a paixão, as ferramentas e as pessoas de que precisa para realizar uma grande visão, mas parece não conseguir fazer sua organização se mover e seguir na direção certa, você está morto como líder. Se você não conseguir fazer as coisas andarem, não terá sucesso. Do que você precisa nessas circunstâncias? Você precisa dar atenção à lei do grande impulso e conseguir o poder do melhor amigo do líder: o impulso. O impulso é como uma lente de aumento; faz com que as coisas pareçam maiores do que realmente são.

17. A lei das prioridades – Os líderes entendem que movimentação não é necessariamente realização

Líderes nunca avançam até um determinado ponto em que não precisem mais priorizar. É algo que os bons líderes continuam a fazer, independentemente de onde exerçam sua liderança, se em uma corporação de um bilhão de dólares, em um pequeno negócio, em uma igreja, em um time ou em um pequeno grupo. Os bons líderes sabem intuitivamente que isso é verdade. Contudo, nem todo líder pratica a disciplina de priorizar. Por quê? Primeiro, quando estamos ocupados, naturalmente acreditamos que estamos realizando. Mas ocupação não se equipara à produtividade. Atividade não é necessariamente realização. Segundo, priorizar demanda que os líderes estejam sempre pensando à frente, saibam o que é importante, vejam o que vem a seguir e percebam como tudo se relaciona com a visão mais ampla. É um trabalho árduo. Terceiro, priorizar leva-nos a fazer coisas que são no mínimo desconfortáveis e, algumas vezes, verdadeiramente dolorosas.

18. A lei do sacrifício - Um líder precisa abrir mão para progredir

Por que um indivíduo se apresenta para liderar outros? As respostas variam de pessoa para pessoa. Alguns fazem isso para sobreviver. Outros para ganhar dinheiro. Muitos querem construir uma empresa ou uma organização. Outros o fazem porque querem mudar o mundo, e essa foi a razão de Martin Luther King Jr. em sua luta contra a discriminação racial nos Estados Unidos. Mas, ao estudar a biografia deste grande líder, você vai reparar que houve momentos em que ele teve de voltar atrás na busca por seus objetivos para evitar massacres ou violência contra sua causa. E um bom líder sabe quando é hora de dar um passo para trás e posteriormente dois passos para frente.

19. A lei do momento - Quando liderar é tão importante quanto o que fazer e para onde ir

Bons líderes reconhecem o momento em que liderar é tão importante quanto o que fazer e para onde ir. O momento, muitas vezes, faz a diferença entre o sucesso e o fracasso em uma empreitada. Caso contrário, uma ação no momento equivocado produz uma mancha na imagem do líder que dificilmente ele consegue recuperar, ainda que seja muito competente.

20. A lei do crescimento explosivo - Para aumentar o crescimento, lidere os seguidores; para multiplicar, lidere os líderes

Os líderes são naturalmente impacientes. Eles querem se mover rapidamente. Querem que sua visão seja concretizada. Adoram o progresso. Bons líderes avaliam rapidamente a situação de uma organização, projetam para onde ela precisa ir e têm ideias sólidas sobre como chegar lá. O problema é que, na maior parte do tempo, as pessoas e a organização estão atrás do líder. Por essa razão, os líderes sempre sentem uma tensão entre onde eles e seu pessoal estão, e onde deveriam estar.

21. A lei do legado

O verdadeiro líder toma suas atitudes sempre pensando no legado que ele vai deixar, no que seu trabalho vai repercutir ao final de sua trajetória. Como ele vai ser lembrado por seus liderados depois que mudar de local, de pessoas ou mesmo largar uma determinada função? A preocupação com essas perguntas é crucial para identificar um líder na acepção da palavra.

Notas finais

Há quem tenha nascido com a liderança correndo nas veias, enquanto outros buscam esse dom a vida inteira e nunca o alcançam. A enumeração de 21 leis cruciais para a liderança fazem da obra de John Maxwell um manual para quem precisa gerir pessoas e se perde no meio do caminho. Ainda que em alguns casos não seja um dom natural, a liderança pode ser treinada e lapidada. É para isso que as 21 leis da liderança se mostram indispensáveis.

Dica do 12’

O microbook Liderando Equipes Para Otimizar Resultados é um complemento que mostra a aplicação das regras na prática.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: