A Lógica do Cisne Negro

Nassim Nicholas Taleb Também disponível em audiobook: Baixe nosso app para ouvir gratuitamente.

Nassim Nicholas Taleb, em O Cisne Negro explora os problemas de percepção causados nas pessoas por eventos aleatórios, inesperados, incidentes como o 11 de setembro, que têm um grande impacto na humanidade e que as pessoas tentam explicar, sem sucesso. É um livro fantástico por ajudar você a se conhecer melhor e evitar que caia em armadilhas racionais nas quais nos pegamos tentando explicar situações imprevisíveis e aprender com elas. Os eventos aleatórios, junto a nossas falhas de cognição, acabam por criar desafios lógicos que, se não entendermos como nosso cérebro funciona e como lidar com eles, podem nos trazer grandes problemas. O ser humano é péssimo em fazer previsões e precisamos aceitar isso. Nesse livro, Taleb tenta nos ajudar a entender quando o nosso julgamento está comprometido. É fácil tentar explicar algo que aconteceu e tentar criar uma história fácil de ser repetida após o acontecimento. Nosso desafio é entender nossa ignorância e saber usá-la a nosso favor diante do imprevisível. Sim, este é um livro denso (quase 500 páginas) e criar este resumo foi incrivelmente desafiador. Esperamos que você aproveite e, é claro, se tiver algum feedback sobre o material, não deixe de fazer sua avaliação e enviar seus comentários!

Cisnes Negros são uma Armadilha Lógica.

O conceito central de Cisne Negro refere-se ao fato de que antes da descoberta da Austrália, acreditava-se que todos os cisnes eram brancos, afinal, ninguém nunca tinha visto um cisne da cor preta. No entanto, eles existem. Neste livro, um Cisne Negro é um evento que é raro, tem um impacto colossal na sociedade e é explicável, porém impossível de ser previsto apenas analisando o passado. Não era possível prever que o Cisne Negro existia, antes de ele ter sido visto pela primeira vez. Eventos raros como o primeiro Cisne Negro ocorrem com mais frequência do que imaginamos e nossas mentes são programadas para lidar com o que já vimos antes. No entanto, muitas vezes, eventos extremos ocorrem e têm grandes impactos. Nossa tendência de ignorá-los vem do fato de que as pessoas tendem a subestimar sua ignorância. Existe muita coisa que não sabemos, mas como se sentir ignorante é algo que não nos faz nos sentirmos bem com nós mesmos, nós tendemos a não considerar essa nossa característica. Nós criamos histórias onde elas não existem. Nós "inventamos" explicações de motivos pelos quais as coisas acontecem, afinal isso é muito mais prazeroso do que se sentir estúpido e ignorante quando algumimprevisto aparece. O conhecimento humano está constantemente crescendo e evoluindo e a abordagem dogmática que tendemos a tomar não faz sentido. Não podemos ter certeza das nossas crenças, pois elas nos tornam cegos para os conceitos que estão fora do que julgamos ser verdade.

O Impacto do Altamente Improvável...

Cisnes Negros são os eventos que causam grandes transformações cognitivas, sejam elas triviais ou enormes, como a destruição de um setor no mercado de ações ou uma crise política. Os efeitos podem afetar profundamente algumas pessoas e outras podem passar praticamente ilesas. O único jeito de se precaver destes impactos é a informação. Quanto mais ignorante você é, mais provável será que você seja surpreendido por um Cisne; quanto mais informado você é, menos provavelmente você será atingido. Um Cisne Negro pode transformar todo o entendimento moderno da ciência, impactando a filosofia,a teologia e a física. No século 15, quando Nicolau Copérnico propôs que a Terra não é o centro do universo, as consequências foram imensas, em todos os níveis. Ele desafiou a religião (sim, a igreja católica sofreu grandes impactos), mas também abriu o caminho para uma mudança cultural em toda a sociedade e a ciência. Cisnes como esse mudam sociedades e aceleram a mudança do mundo cada vez mais.

Dois Tipos de Improbabilidade

Para melhor compreender o impacto do improvável, Nassim Taleb divide o conhecimento humano em duas áreas principais da aleatoriedade, separando os dois principais grupos de efeitos improváveis em nossas vidas. Dividindo o improvável em dois grandes grupos, fica mais facil entender como ele nos engana e assim provar nossa incapacidade de fazer previsões. O primeiro deles é chamado por Taleb de Mediocristão, descrevendo uma terra onde as médias são a regra. No Mediocristão, nossa amostragem de informações e dados disponíveis é muito grande e nenhum fato isolado vai mudar a maneira como o modelo funciona. Os dados, neste contexto, não são escaláveis, pois eles têm limites mínimo e máximo definidos. Exemplos de informações do Mediocristão, são, por exemplo, características físicas, como altura e peso corporal, e até mesmo QI. Uma dimensão como o peso de uma pessoa não é considerada escalável, pois existem limitações físicas relativas a quanto uma pessoa pode pesar: enquanto é possível alguém pesar 300kg, é fisicamente impossível para alguém atingir 1000kg. Uma vez que as propriedades de tais informações não escaláveis são claramente limitadas, é possível fazer previsões relativamente precisas sobre as médias. O segundo território é o Extremistão e é nele que moram os extremos. No Extremistão, as informações são tão desproporcionais, que uma única observação pode impactar dramaticamente nossas observações e iludir nossa capacidade de fazer previsões. O Extremistão traz o lado não físico, coisas fundamentalmente abstratas. Exemplos de dados e informações que surgem do Extremistão são bem mais diversos. Exemplos incluem: Mortes em ataques terroristas, vendas de livros por um autor, taxas de inflação. Diferentemente de dados como altura e peso, distribuição da riqueza e vendas de álbuns são itens escaláveis. Por exemplo, você pode vender seu livro em formato digital através do Kindle infinitamente, porque o formato digital não requer que você imprima um livro a cada cópia vendida. Outro exemplo é a riqueza, que é altamente escalável: é possível para uma pequena porcentagem da população possuir uma porcentagem incrivelmente grande da riqueza. E se você analisar os dados olhando a média, você pode ser iludido com uma representação da distribuição de renda que não reflete com precisão a realidade das pessoas.

A Maior Parte dos Eventos Aleatórios, dos Cisnes Negros, Surgem em Cenários do Extremistão.

Cuidado para não ser o peru no dia de ação de graças... Imagine o seguinte cenário. Você é um peru, que é alimentado diariamente, bem cuidado todos os dias, por anos e sua vida está indo ok. Porém, no dia de ação de graças, uma surpresa ocorre. Você não é alimentado, é assassinado e comido pelas pessoas que te alimentam. Essa é a metáfora que Taleb usa para ilustrar como observar o passado para predizer o futuro. Ela também prova que os Cisnes Negros são relativos. Para o você (o peru), o jantar de ação de graças é claramente um Cisne Negro, mas para o cozinheiro do jantar de ação de graças, não há surpresa neste evento. Muitas vezes, nós encaramos nossa vida como se as coisas ocorressem no Mediocristão, quando, na verdade, a vida ocorre muito mais no reino do Extremistão. Para aprendermos a lidar com isso, é preciso aceitar, abraçar e entender a natureza imprevisível do mundo, ao invés de ignorá-la. Isso não vai fazer com que você não seja o peru, mas ao menos te permitirá não se acostumar com o status quo.

Não Confie no Seu Cérebro!

Nosso cérebro nos prega peças. Sempre. Temos a tendência de concluir que frases que soam similares tem significados absurdamente diferentes. Por exemplo, se falarmos que: "Não temos provas de que existem Cisnes Negros", muitas pessoas podem entender que não existem Cisnes Negros. A falta de provas de que uma coisa existe não significa que ela não existe. Não é porque nunca houve um terremoto em sua cidade, que ele nunca vai ocorrer, não é mesmo? Também existe a tendência do nosso cérebro de buscar evidências, a chamada falácia da confirmação. Nosso cérebro é acostumado a buscar por provas de que as coisas existem ou vão ocorrer. Porém, dada a nossa ignorância, buscar evidências de que o que acreditamos é real, pode limitar muito nossa linha de pensamento e nos fazer ignorar informações que não confirmam nossas crenças. Muitas vezes, é mais valioso buscar por fatos que vão contra nossas crenças do que os que a corroboram. Isso leva a descobertas muito mais poderosas e permite não sermos tão cegos.

Seu cérebro Inventa História, Sem Querer…

Outra falha do nosso sistema operacional é que temos o hábito de criar histórias baseadas em coleções de eventos que ocorrem em nossas vidas. Ele chama esta falha de falácia narrativa. Ela se caracteriza por explorar nossa habilidade limitada de analisar sequências de eventos, sem adicionar uma explicação a eles. As explicações amarram os fatos e os tornam mais fáceis de serem lembrados, porém, nosso cérebro sempre busca contar uma história onde os eventos estão correlacionados e fazem sentido. Porém, ao condensar fatos em uma narrativa única, acabamos gerando perda de informações e temos uma tendência muito grande de simplificar demais as coisas. Nós descartamos os dados que não fazem sentido na nossa história e isso nos deixa à mercê dos Cisnes.

Dois Jeitos de Pensar...

Segundo os psicólogos cognitivos, temos dois tipos de pensamentos. O pensamento do tipo 1 é instintivo, rápido, imediato e se baseia na sua experiência com o mundo. Esse sistema é vantajoso por ter alta velocidade e te ajudar a reagir rápido a estímulos externos, mas também é muito propenso a erros. Já o sistema 2 é lento, racional e possui auto-conhecimento, sendo muito mais útil na sala de aula ou num momento de vida ou morte. O problema é que muitas vezes confundimos pensamentos do sistema 1 com o sistema 2, pois no nível 1 não temos controle sobre estes pensamentos. Muitas vezes, acreditamos que os pensamentos que vêm do sistema 1 são baseados em análise e não em reflexos e isso prejudica nossa cognição. O sistema 1 nos deixa cego para Cisnes Negros e muitas vezes também os interpreta erroneamente. O sistema 1 considera principalmente dados anedotais e baseados na nossa experiência em vez de utilizar estatísticas ou dados empíricos. Conheça seu cérebro.

Você Quer Fazer Algo Improvável?

Você já sonhou em ser um grande autor ou criar uma grande empresa em um mercado inovador? Se é isso que você busca, Taleb tem um ponto de vista interessante. O ser humano precisa de resultados e recompensas constantes, tangíveis, para continuar perseguindo algo. Uma série de pequenas e constantes recompensas geralmente trazem mais felicidade e realização do que uma recompensa enorme. Existem dois tipos de progressos, os constantes e lineares e os não lineares, que tendem a ocorrer em grandes saltos, alternados com a estagnação. Porém, apesar de preferirmos acreditar que o mundo funciona em uma perspectiva linear, esse não é o jeito certo de abordar o problema. As situações não lineares são as mais constantes na vida e as coisas lineares tendem a ser a verdadeira exceção. Seu aprendizado vem de coisas tão diversas e em muitos casos randômicas, que acreditar que o modelo linear é o melhor modelo acaba se tornando uma falácia. O modelo linear é adotado nas salas de aulas e livros simplesmente por serem mais fáceis de ser compreendidos. Além disso, o ser humano tem a limitação de que ao ver o passado, ele seleciona as partes de um processo que se encaixam nas suas impressões e ignora as partes que não estão de acordo com seus pré-conceitos. Nossa mente cria um registro que ignora os fatos que não se encaixam em nosso modelo mental e Taleb chama isso de a evidência silenciosa. Por exemplo, o ser humano tem uma tendência de ver autores de livros famosos como extremamente talentosos e atribuir o motivo do sucesso deles aos seus talentos. Muitos escritores com várias obras, nunca chegam a ter um livro publicado por uma grande editora e tornar-se um best seller. Por isso, eles acabam não ficando conhecidos pelo público. Como nós não temos acesso aos trabalhos de centenas de milhares de autores que nunca tiveram seus livros publicados pelas grandes editoras, temos a tendência de não levar em conta sua importância e relevância. Nós, como seres humanos, tendemos a considerar apenas os Cisnes Negros que tiveram a combinação adequada de talento e sorte do autor para garantir seu lugar no hall da fama. Isso faz com que a presença ou ausência do talento não possa ser provada como uma causa de sucesso no mundo editorial. A evidência silenciosa são os eventos que não criaram um Cisne Negro e, por isso, não receberam atenção do público.

O Improvável Pode Estar ao Seu Lado.

Para Taleb, a serendipidade, as surpresas positivas, tem um papel crucial no papel de descobertas da ciência. O modelo tradicional de pesquisa e descoberta funciona assim: Você busca algo em que acredita (como um novo caminho para a Índia) e descobre algo que não sabia que estava lá (Você descobre a América). Por isso, é importante estar aberto à possibilidade de ter resultados não planejados para nossas atividades. Isso pode nos ajudar a aproveitar de forma vantajosa os Cisnes Negros quando eles aparecerem. Existe uma lei em estatística, chamada de lei das expectativas iteradas. Ela afirma que a expectativa de atingir um conhecimento por si só é equivalente ao conhecimento em si. Na prática, Taleb explica que esta lei age da seguinte maneira nas nossas expectativas: Se eu espero que algo ocorra em uma certa data no futuro, eu já espero este algo no presente. Se você sabe qual a descoberta você fará no futuro, você praticamente já a descobriu. Para entender o futuro a ponto de predizê-lo você precisa incorporar elementos do futuro ao seu presente, ou seja, adicionar componentes de incerteza em seus experimentos.

Cisne na Prática...

Se você já está pronto para abraçar sua ignorância, compilamos aqui algumas dicas práticas de Taleb para saber capturar mais valor dos Cisnes Negros. O primeiro passo é focar-se nas consequências potenciais do inesperado em vez de focar na probabilidade de o improvável ocorrer. As consequências de se errar na previsão do tempo, por exemplo, costumam ser triviais, ao passo que as consequências de errar em previsões do mercado de ações podem ser devastadoras. Para tal, o ideal é priorizar suas crenças de acordo com os danos que elas podem causar e não com a chance de elas acontecerem. O que você acredita que poderia ter o maior impacto na sua vida hoje? Esse é o ponto que deve tirar seu sono, e não o (que você acredita ser) mais provável com um impacto menor. Por exemplo, se você você investe em ações, é melhor considerar cenários extremos do que cenários de risco moderado (percebido).Em vez de colocar seu dinheiro em investimentos de médio risco (como você sabe que o risco é médio?) você deveria por a maior parte do seu capital (85-90%) em instrumentos extremamente seguros, como tesouro direto. Os 10-15% que sobraram, você deveria colocar em investimentos extremamente especulativos, como por exemplo, capital de risco. Assim você não precisa se preocupar com gestão de riscos e se coloca parcialmente à mercê de Cisnes Negros. O objetivo é estar muito exposto aos Cisnes Negros positivos e ainda assim continuar paranóico em relação aos negativos. Os eventos com os maiores impactos em sua vida serão inesperados, os cisnes negros, por causa dos nossos vieses cognitivos e da nossa incapacidade de prever estes eventos. Por isso aprender através de tentativas e erros importam muito e nosso cérebro tem dificuldades de aceitar isso. Abraçar este processo, pode ajudar você a realizar mais. E se nós não podemos confiar em previsões, o importante é depender apenas daquelas cujo assunto é trivial. Evite fazer previsões sobre os grandes assuntos complexos que podem te iludir no futuro. Seja enganado pelos assuntos simples, não pelos complexos. Se o assunto é futuro, você deve ser sempre cético e ter a mente aberta para eventos positivos e negativos. Nunca desacredite algo, apenas por parecer improvável. Uma maneira de manter a mente aberta aos casos positivos, por exemplo, seria aumentar sua exposição a situações onde eles poderiam acontecer, como, por exemplo, eventos sociais, jantares e criar o terreno para encontros inesperados, porém valiosos. O último conselho de Taleb é, além de não se expor muito a previsões do futuro, tente também evitar fazê-las, você está gastando sua energia sem necessidade.

Notas Finais

Previsões não funcionam e você não deveria gastar seu tempo ouvindo-as ou fazendo suas próprias. Seu cérebro foi projetado para te golpear toda vez que um fato novo imprevisível ocorre. Esteja preparado e entenda como ele funciona. Você está exposto ao improvável apenas se você deixar que ele te controle. Você sempre controla o que você faz, tome cuidado. Saiba que você não sabe muito e aprenda a conviver com isso, para garantir que aproveitará o melhor das circunstâncias improváveis que a vida te trará.

Dica do 12': Confira nosso microbookAntifrágil! Ele nos mostra eabrange as coisas e ideias que não apenas se beneficiam do caos, mas que precisam dele para sobreviver.

Cadastre-se e leia grátis!

Ao se cadastrar, você ganhará um passe livre de 3 dias grátis para aproveitar tudo que o 12min tem a oferecer.

ou via formulário: